06 de novembro de 2019 em Habitação

Trabalho social desenvolvido pela política de habitação de Fortaleza beneficia cerca de 20 mil famílias

As ações são pautadas em eixos que envolvem organização social, educação ambiental e desenvolvimento socioeconômico


mulheres posam para a foto
Após passarem por capacitação do trabalho social, Estefânia Dmasceno e a filha Jéssica trabalham juntas para reforçar a renda familiar

A Prefeitura de Fortaleza contemplou, por meio da política de habitação, 19.643 famílias com o trabalho social, nos últimos seis anos. As ações são pautadas em eixos que envolvem organização social, educação ambiental e desenvolvimento socioeconômico.

Vinculado à Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor), o trabalho social é acompanhado pela Coordenadoria de Programas Sociais (COPS). Composta por dez assistentes sociais, cinco profissionais de apoio técnico, além de estagiários, a COPS é responsável pela elaboração e acompanhamento dos projetos sociais junto à empresa licitada para desenvolver as ações que se baseiam em temas como: mobilização, organização e fortalecimento social, acompanhamento e gestão social da intervenção, educação ambiental e patrimonial, além de desenvolvimento socioeconômico.

“Além de estarmos à frente do trabalho social em todas as intervenções urbanísticas e habitacionais, nós também somos responsáveis pelo acolhimento das famílias sorteadas no Programa Minha Casa, Minha Vida, no qual, fazemos a coleta da documentação, elaboramos os dossiês que são encaminhados para análise dos agentes financeiros e somos também o elo entre as famílias e os bancos’’, explica a coordenadora do setor, Andrea Cialdini, referindo-se ao trabalho desenvolvido nos residenciais Alameda das Palmeiras (Pedras), São Domingos e Escritores, entre outros.

Outra participação importante da COPS é nos projetos de intervenção urbanística, quando as equipes executam fazem o trabalho social junto às famílias beneficiadas com ações de regularização e de melhorias habitacionais, a exemplo de trabalhos realizados no Vila do Mar (Pirambu) e nas comunidades do São Cristóvão e Campo Estrela (Jangurussu). “É importante destacar que esta gestão teve 100% dos trabalhos sociais aprovados pelos agentes financeiros, contribuindo para a agilidade nos processos de capacitação das famílias”, observa a coordenadora.

Trabalho social desenvolvido pela política de habitação de Fortaleza beneficia cerca de 20 mil famílias

As ações são pautadas em eixos que envolvem organização social, educação ambiental e desenvolvimento socioeconômico

mulheres posam para a foto
Após passarem por capacitação do trabalho social, Estefânia Dmasceno e a filha Jéssica trabalham juntas para reforçar a renda familiar

A Prefeitura de Fortaleza contemplou, por meio da política de habitação, 19.643 famílias com o trabalho social, nos últimos seis anos. As ações são pautadas em eixos que envolvem organização social, educação ambiental e desenvolvimento socioeconômico.

Vinculado à Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor), o trabalho social é acompanhado pela Coordenadoria de Programas Sociais (COPS). Composta por dez assistentes sociais, cinco profissionais de apoio técnico, além de estagiários, a COPS é responsável pela elaboração e acompanhamento dos projetos sociais junto à empresa licitada para desenvolver as ações que se baseiam em temas como: mobilização, organização e fortalecimento social, acompanhamento e gestão social da intervenção, educação ambiental e patrimonial, além de desenvolvimento socioeconômico.

“Além de estarmos à frente do trabalho social em todas as intervenções urbanísticas e habitacionais, nós também somos responsáveis pelo acolhimento das famílias sorteadas no Programa Minha Casa, Minha Vida, no qual, fazemos a coleta da documentação, elaboramos os dossiês que são encaminhados para análise dos agentes financeiros e somos também o elo entre as famílias e os bancos’’, explica a coordenadora do setor, Andrea Cialdini, referindo-se ao trabalho desenvolvido nos residenciais Alameda das Palmeiras (Pedras), São Domingos e Escritores, entre outros.

Outra participação importante da COPS é nos projetos de intervenção urbanística, quando as equipes executam fazem o trabalho social junto às famílias beneficiadas com ações de regularização e de melhorias habitacionais, a exemplo de trabalhos realizados no Vila do Mar (Pirambu) e nas comunidades do São Cristóvão e Campo Estrela (Jangurussu). “É importante destacar que esta gestão teve 100% dos trabalhos sociais aprovados pelos agentes financeiros, contribuindo para a agilidade nos processos de capacitação das famílias”, observa a coordenadora.