13 de julho de 2018 em Mobilidade

Fortaleza reduz em 61% o número de acidentes com vítimas depois do projeto Esquina Segura

É o maior índice de redução desde que o projeto foi iniciado em março de 2017


Fortaleza já registra conquistas efetivas na política de segurança viária implementada pela Prefeitura. Os dados de uma pesquisa realizada por meio de parceria entre a Universidade Federal do Ceará (UFC) e a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) revelam que o projeto “Esquina Segura” está alcançando o objetivo de salvar vidas. Implantado em março de 2017, o projeto fez reduzir em 61% o número de acidentes com vítima nos locais onde houve a intervenção, garantindo mais segurança aos condutores e pedestres que se deslocam diariamente pela Cidade.
 
Com relação ao número de acidentes gerais, a pesquisa também apontou queda de 53% no número de ocorrências. A análise considerou uma amostra de 112 esquinas contempladas pelo projeto, desde o ano de 2017, e uma amostra de igual tamanho de esquinas com características similares e que não receberam intervenções da operação “Esquina Segura”, das quais compõe o grupo de comparação do estudo.
 
O método visou isolar o efeito da “Esquina Segura”, que teve sua eficiência comprovada estatisticamente. “Estamos muito satisfeitos com a evolução do projeto e os seus resultados na política de segurança viária porque essa é uma orientação do prefeito Roberto Cláudio para que todas as nossas ações tenham sempre embasamento científico, o que já tem produzido frutos positivos e reforça nossa meta em aperfeiçoar cada vez mais as intervenções de segurança viária, tendo como base a análise aprofundada dos dados. O objetivo final é prevenir os acidentes de trânsito, principalmente aqueles que resultam em mortos e feridos”, explica o secretário-executivo de Conservação e Serviços Públicos, Luiz Alberto Saboia.
 
A maior variação percebida foi nos cruzamentos das ruas 24 de Maio X Meton de Alencar, no Centro, cujo número de acidentes com vítima caiu de seis para zero, e Dr. José Lourenço X Torres Câmera, na Aldeota, onde foi registrada diminuição de sete para um. A medida contempla sinalização nas áreas de esquina e reforço na fiscalização em que os veículos estacionados regularmente são rebocados. Ao todo, 198 esquinas receberam revitalização na sinalização desde o início do projeto.
 
Segundo o superintendente da AMC, Arcelino Lima, é possível observar mudança no comportamento dos condutores. “Além do nosso comprometimento em sinalizar e fiscalizar, os motoristas também estão fazendo a sua parte evitando estacionar irregularmente e dessa forma não prejudicam mais a visibilidade de quem deseja cruzar a via. Pelo que acompanhamos nas ruas e até mesmo considerando a estatística de redução de acidentes, percebemos uma significativa melhoria na postura dos cidadãos. Hoje, as equipes vão a campo e muitas vezes não se deparam mais com a prática de desrespeito à sinalização como ocorria antigamente”, avalia.

Fortaleza reduz em 61% o número de acidentes com vítimas depois do projeto Esquina Segura

É o maior índice de redução desde que o projeto foi iniciado em março de 2017

Fortaleza já registra conquistas efetivas na política de segurança viária implementada pela Prefeitura. Os dados de uma pesquisa realizada por meio de parceria entre a Universidade Federal do Ceará (UFC) e a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) revelam que o projeto “Esquina Segura” está alcançando o objetivo de salvar vidas. Implantado em março de 2017, o projeto fez reduzir em 61% o número de acidentes com vítima nos locais onde houve a intervenção, garantindo mais segurança aos condutores e pedestres que se deslocam diariamente pela Cidade.
 
Com relação ao número de acidentes gerais, a pesquisa também apontou queda de 53% no número de ocorrências. A análise considerou uma amostra de 112 esquinas contempladas pelo projeto, desde o ano de 2017, e uma amostra de igual tamanho de esquinas com características similares e que não receberam intervenções da operação “Esquina Segura”, das quais compõe o grupo de comparação do estudo.
 
O método visou isolar o efeito da “Esquina Segura”, que teve sua eficiência comprovada estatisticamente. “Estamos muito satisfeitos com a evolução do projeto e os seus resultados na política de segurança viária porque essa é uma orientação do prefeito Roberto Cláudio para que todas as nossas ações tenham sempre embasamento científico, o que já tem produzido frutos positivos e reforça nossa meta em aperfeiçoar cada vez mais as intervenções de segurança viária, tendo como base a análise aprofundada dos dados. O objetivo final é prevenir os acidentes de trânsito, principalmente aqueles que resultam em mortos e feridos”, explica o secretário-executivo de Conservação e Serviços Públicos, Luiz Alberto Saboia.
 
A maior variação percebida foi nos cruzamentos das ruas 24 de Maio X Meton de Alencar, no Centro, cujo número de acidentes com vítima caiu de seis para zero, e Dr. José Lourenço X Torres Câmera, na Aldeota, onde foi registrada diminuição de sete para um. A medida contempla sinalização nas áreas de esquina e reforço na fiscalização em que os veículos estacionados regularmente são rebocados. Ao todo, 198 esquinas receberam revitalização na sinalização desde o início do projeto.
 
Segundo o superintendente da AMC, Arcelino Lima, é possível observar mudança no comportamento dos condutores. “Além do nosso comprometimento em sinalizar e fiscalizar, os motoristas também estão fazendo a sua parte evitando estacionar irregularmente e dessa forma não prejudicam mais a visibilidade de quem deseja cruzar a via. Pelo que acompanhamos nas ruas e até mesmo considerando a estatística de redução de acidentes, percebemos uma significativa melhoria na postura dos cidadãos. Hoje, as equipes vão a campo e muitas vezes não se deparam mais com a prática de desrespeito à sinalização como ocorria antigamente”, avalia.