12 de janeiro de 2018 em Turismo

Fortaleza se prepara para receber mais de 16 mil passageiros de cruzeiros em 2018

Setor movimentou mais de 308 mil cruzeiristas na temporada passada em todo o País


Neste sábado (13/01), Fortaleza vai receber o primeiro cruzeiro do ano. O navio Sirena com capacidade de 572 passageiros vai atracar no terminal do Porto do Mucuripe pela manhã. Durante todo o mês de janeiro outros quatro navios irão aportar em Fortaleza entre os dias 20 e 27. O maior navio desta temporada em todo o Brasil, o MSC Preziosa com capacidade para 4.345 passageiros, também deve atracar na capital.

Até o final da temporada 2017-2018, a previsão é de que a capital cearense receba ainda 12 navios, com cerca de 16.110 passageiros ao todo. A Prefeitura de Fortaleza, através da Secretaria de Turismo realiza ações no terminal de passageiros do Porto para recepcionar os turistas. Durante a chegada, os visitantes recebem brindes, informações de pontos turísticos, endereços das Casas do Turista, dicas de restaurantes e praias.

“Esses turistas vêm, passam um dia aqui, quando se sentem acolhidos retornam com toda a família. Os cruzeiros marítimos além de aumentar o fluxo de turistas nas cidades, movimentam a economia local e do entorno, geram empregos e ainda promovem o destino tanto no país, quanto internacionalmente.”, destacou o secretário Alexandre Pereira.

Na temporada 2016/2017, em toda a costa brasileira a movimentação foi de 380 mil cruzeiristas fazendo um total de 108 roteiros nos transatlânticos. O pacote mais caro saiu por R$11.059, no navio Sirena da Oceania Cruises que parte do Rio de Janeiro e segue até Miami. A capital cearense é uma das rotas mais incluídas nos roteiros de paradas do Nordeste.

No último levantamento feito pelo Ministério do Turismo sobre os estudo de perfil e impactos econômicos no Brasil dos Cruzeiros Marítimos (Temporada 2015/2016), a movimentação do setor gerou cerca de R$ 1,911 bilhão e acarretou 30.884 de trabalho na economia brasileira. Desse total R$ 1113 milhões foram gerados por gastos dos passageiros e tripulantes nas cidades e portos de embarque/desembarque e de trânsito.

Fortaleza se prepara para receber mais de 16 mil passageiros de cruzeiros em 2018

Setor movimentou mais de 308 mil cruzeiristas na temporada passada em todo o País

Neste sábado (13/01), Fortaleza vai receber o primeiro cruzeiro do ano. O navio Sirena com capacidade de 572 passageiros vai atracar no terminal do Porto do Mucuripe pela manhã. Durante todo o mês de janeiro outros quatro navios irão aportar em Fortaleza entre os dias 20 e 27. O maior navio desta temporada em todo o Brasil, o MSC Preziosa com capacidade para 4.345 passageiros, também deve atracar na capital.

Até o final da temporada 2017-2018, a previsão é de que a capital cearense receba ainda 12 navios, com cerca de 16.110 passageiros ao todo. A Prefeitura de Fortaleza, através da Secretaria de Turismo realiza ações no terminal de passageiros do Porto para recepcionar os turistas. Durante a chegada, os visitantes recebem brindes, informações de pontos turísticos, endereços das Casas do Turista, dicas de restaurantes e praias.

“Esses turistas vêm, passam um dia aqui, quando se sentem acolhidos retornam com toda a família. Os cruzeiros marítimos além de aumentar o fluxo de turistas nas cidades, movimentam a economia local e do entorno, geram empregos e ainda promovem o destino tanto no país, quanto internacionalmente.”, destacou o secretário Alexandre Pereira.

Na temporada 2016/2017, em toda a costa brasileira a movimentação foi de 380 mil cruzeiristas fazendo um total de 108 roteiros nos transatlânticos. O pacote mais caro saiu por R$11.059, no navio Sirena da Oceania Cruises que parte do Rio de Janeiro e segue até Miami. A capital cearense é uma das rotas mais incluídas nos roteiros de paradas do Nordeste.

No último levantamento feito pelo Ministério do Turismo sobre os estudo de perfil e impactos econômicos no Brasil dos Cruzeiros Marítimos (Temporada 2015/2016), a movimentação do setor gerou cerca de R$ 1,911 bilhão e acarretou 30.884 de trabalho na economia brasileira. Desse total R$ 1113 milhões foram gerados por gastos dos passageiros e tripulantes nas cidades e portos de embarque/desembarque e de trânsito.