24 de outubro de 2017 em Participação social

Prefeitura busca inserir usuários contemplados no Projeto Novos Caminhos no mercado de trabalho

Vivências práticas do projeto acontecem no Centro de Pequenos Negócios (Beco da Poeira), Mercado São Sebastião e SDHDS


A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Autarquia de Urbanismo e Paisagismo de Fortaleza (UrbFor), vem trabalhando intersetorialmente para a reinserção social dos usuários contemplados no Projeto Novos Caminhos, desenvolvido pela Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS) e pela Coordenaria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas). O projeto tem como público-alvo pessoas adultas que fazem uso de álcool, crack e outras drogas e que se encontram em situação de rua.

Nos últimos meses, os contemplados passaram por quatro eixos: Eixo 1 – Convívio Social, Eixo 2 – Qualificação Profissional, Eixo 3 – Inclusão produtiva e Eixo 4 – Auxílio moradia. Na etapa de inclusão produtiva, J. E. S, 47 anos, natural de Fortaleza, um dos participantes do projeto, teve a oportunidade de praticar e vivenciar todos os conhecimentos adquiridos nos cursos de qualificação profissional. A vivência prática acorreu na sede da SDHDS, na Avenida Osorio de Paiva e no anexo no Parque das Crianças, no Centro, no qual ele desenvolveu serviços de jardinagem, produção de mudas e restauração de canteiros. O desempenho, assiduidade e pontualidade chamaram a atenção da empresa terceirizada que presta serviço para UrbFor, sendo de imediato contratado para fazer parte da equipe da empresa.

O superintendente da UrbFor, Régis Tavares, afirma estar feliz com o resultado do projeto. “Reinserir envolve diversos esforços, não é um trabalho pontual. É muito mais do que oferecer ao usuário a recuperação, um emprego ou a qualificação profissional. Reinserção social somos nós: sociedade civil, governos, iniciativa privada e cidadãos comuns, permitindo apoio e uma chance para essas pessoas recomeçarem”, afirma.

Para a coordenadora adjunta da CPDrogas, Patrícia Studart, o Município vem buscando parcerias com a iniciativa privada para colaborar na oferta de emprego para este público. “A quebra de paradigmas da sociedade é necessária para que possibilidades surjam, e assim essas pessoas possam recomeçar com dignidade”, ressalta.

Outros contemplados estão sendo avaliados para serem absorvidos pelo poder público nos demais locais que ocorreram as vivências práticas do projeto: Centro de Pequenos Negócios (Beco da Poeira), Mercado São Sebastião e SDHDS.

Prefeitura busca inserir usuários contemplados no Projeto Novos Caminhos no mercado de trabalho

Vivências práticas do projeto acontecem no Centro de Pequenos Negócios (Beco da Poeira), Mercado São Sebastião e SDHDS

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Autarquia de Urbanismo e Paisagismo de Fortaleza (UrbFor), vem trabalhando intersetorialmente para a reinserção social dos usuários contemplados no Projeto Novos Caminhos, desenvolvido pela Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS) e pela Coordenaria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas). O projeto tem como público-alvo pessoas adultas que fazem uso de álcool, crack e outras drogas e que se encontram em situação de rua.

Nos últimos meses, os contemplados passaram por quatro eixos: Eixo 1 – Convívio Social, Eixo 2 – Qualificação Profissional, Eixo 3 – Inclusão produtiva e Eixo 4 – Auxílio moradia. Na etapa de inclusão produtiva, J. E. S, 47 anos, natural de Fortaleza, um dos participantes do projeto, teve a oportunidade de praticar e vivenciar todos os conhecimentos adquiridos nos cursos de qualificação profissional. A vivência prática acorreu na sede da SDHDS, na Avenida Osorio de Paiva e no anexo no Parque das Crianças, no Centro, no qual ele desenvolveu serviços de jardinagem, produção de mudas e restauração de canteiros. O desempenho, assiduidade e pontualidade chamaram a atenção da empresa terceirizada que presta serviço para UrbFor, sendo de imediato contratado para fazer parte da equipe da empresa.

O superintendente da UrbFor, Régis Tavares, afirma estar feliz com o resultado do projeto. “Reinserir envolve diversos esforços, não é um trabalho pontual. É muito mais do que oferecer ao usuário a recuperação, um emprego ou a qualificação profissional. Reinserção social somos nós: sociedade civil, governos, iniciativa privada e cidadãos comuns, permitindo apoio e uma chance para essas pessoas recomeçarem”, afirma.

Para a coordenadora adjunta da CPDrogas, Patrícia Studart, o Município vem buscando parcerias com a iniciativa privada para colaborar na oferta de emprego para este público. “A quebra de paradigmas da sociedade é necessária para que possibilidades surjam, e assim essas pessoas possam recomeçar com dignidade”, ressalta.

Outros contemplados estão sendo avaliados para serem absorvidos pelo poder público nos demais locais que ocorreram as vivências práticas do projeto: Centro de Pequenos Negócios (Beco da Poeira), Mercado São Sebastião e SDHDS.