15 de abril de 2019 em Economia

Procon Fortaleza divulga preços de peixes frescos para a Semana Santa e alerta estabelecimentos sobre a não elevação de preços

Foram pesquisados, também, preços de vinhos e pães de coco


Pesquisadores do Procon encontraram o mesmo peixe sendo vendido de R$ 12,00 a R$ 28,00, no Mercado dos Peixes, no Mucuripe.
Pesquisadores do Procon encontraram o mesmo peixe sendo vendido de R$ 12,00 a R$ 28,00, no Mercado dos Peixes, no Mucuripe

Nesta segunda-feira (15/4), o Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou os preços de peixes frescos e produtos típicos para a Semana Santa. A pesquisa, realizada nos dias 9, 10 e 15 deste mês, contempla ainda preços de vinhos e pães de coco. O Procon visitou os mercados públicos de Messejana, Mercado dos Peixes, no Mucuripe, bem como o Mercado São Sebastião, no Centro. O órgão de defesa do consumidor emitiu recomendação aos supermercados de Fortaleza e para os permissionários dos mercados públicos da Capital, alertando sobre a prática abusiva de elevação de preços, sem justa causa.

A orientação do Procon é pesquisar. O quilo do peixe arabaiana, por exemplo, pode chegar a 133,33% de diferença. Pesquisadores do Procon encontraram o mesmo peixe sendo vendido por R$ 12,00 em um box chagando a R$ 28,00, o quilo, no mesmo Mercado dos Peixes.

O quilo do camarão também apresenta alta variação, sendo comprado de R$ 25,00 a R$ 40,00, uma diferença que chega a 60%.

Confira todos os preços.

Entre os vinhos, é possível comprar quase duas garrafas, de 750ml, no estabelecimento mais barato, em comparação com o preço de uma garrafa no local mais caro. É o caso do vinho salton, de fabricação nacional, que pode sair por R$ 20,49, no bairro Maraponga, na Regional V, enquanto que o mesmo produto custa R$ 38,99 , no bairro Joaquim Távora, na Regional II, conferindo uma diferença de 90,29%.

Um dos itens mais procurados, na Semana Santa, é o pão de coco. A diferença do quilo do produto entre o estabelecimento mais barato e o mais caro chega a 108,90%, variando os preços entre R$ 8,09 e R$ 16,90.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, reforça que os estabelecimentos não podem aumentar preços apenas pelo aumento da procura dos produtos para a Semana Santa. "O Código de Defesa do Consumidor proíbe a elevação de preços, sem justa causa caracterizando, assim, prática abusiva". Cláudia explica que a infração pode resultar em multa de até R$ 12,7 milhões.

Maiores variações por segmentação

Bacalhau

Produto Menor Maior Variação
Tipo Saithe R$ 39,99 R$ 49,90 24,78%
Porto (bandeja) R$ 61,99 R$ 99,90 61,16%


Peixes frescos e crustáceos

Produto Menor Maior Variação
Arabaiana R$ 12,00 R$ 28,00 133,33%
Atum R$ 12,00 R$ 20,00 66,67%
Camarão 17g R$ 25,00 R$ 40,00 60,00%
Biquara R$ 10,00 R$ 15,00 50,00%
Filé de pargo R$ 30,00 R$ 45,00 50,00%

Pão de coco

Produto Menor Maior Variação
Pão de coco R$ 8,09 R$ 16,90 108,90%

Vinhos e espumantes

Produto Menor Maior Variação
Salton R$ 20,49 R$ 38,99 90,29%
Miolo R$ 33,90 R$ 59,98 76,93%
Benjamin R$ 33,90 R$ 52,59 55,13%
Cidra Cereser R$ 9,79 R$ 14,29 45,97%
Chalise R$ 9,99 R$ 14,49 45,05%

Ovos de Páscoa
O Procon Fortaleza divulgou no dia 08/04, a pesquisa com preços dos ovos de chocolate nos supermercados da Capital. A diferença no preço no ovo de chocolate da mesma marca e com o mesmo peso chegou a 42,35% entre o estabelecimento mais caro e o mais barato. Confira os preços dos ovos de páscoa.

Dicas
Para os peixes frescos, o cuidado deve ser a conservação, pois devem estar bem armazenados e em gelo. Verifique sua aparência observando se os olhos estão brilhantes e as escamam bem presas ao corpo.

Procure conhecer a procedência do bacalhau e cuidado para não comprar peixe salgado no lugar de bacalhau. Uma boa dica é verificar se, na embalagem, há informações se o produto é tipo Bacalhau e qual a espécie do peixe.

Se houver divergência de preços entre o valor anunciado com o registrado no caixa, o consumidor deve pagar sempre o menor valor.

Fique atento às informações detalhadas sobre data de validade do produto, peso e composição. A embalagem deve estar em boas condições de armazenamento, verificando se não há amassados ou furos que podem contaminar o produto.

Procon Fortaleza divulga preços de peixes frescos para a Semana Santa e alerta estabelecimentos sobre a não elevação de preços

Foram pesquisados, também, preços de vinhos e pães de coco

Pesquisadores do Procon encontraram o mesmo peixe sendo vendido de R$ 12,00 a R$ 28,00, no Mercado dos Peixes, no Mucuripe.
Pesquisadores do Procon encontraram o mesmo peixe sendo vendido de R$ 12,00 a R$ 28,00, no Mercado dos Peixes, no Mucuripe

Nesta segunda-feira (15/4), o Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou os preços de peixes frescos e produtos típicos para a Semana Santa. A pesquisa, realizada nos dias 9, 10 e 15 deste mês, contempla ainda preços de vinhos e pães de coco. O Procon visitou os mercados públicos de Messejana, Mercado dos Peixes, no Mucuripe, bem como o Mercado São Sebastião, no Centro. O órgão de defesa do consumidor emitiu recomendação aos supermercados de Fortaleza e para os permissionários dos mercados públicos da Capital, alertando sobre a prática abusiva de elevação de preços, sem justa causa.

A orientação do Procon é pesquisar. O quilo do peixe arabaiana, por exemplo, pode chegar a 133,33% de diferença. Pesquisadores do Procon encontraram o mesmo peixe sendo vendido por R$ 12,00 em um box chagando a R$ 28,00, o quilo, no mesmo Mercado dos Peixes.

O quilo do camarão também apresenta alta variação, sendo comprado de R$ 25,00 a R$ 40,00, uma diferença que chega a 60%.

Confira todos os preços.

Entre os vinhos, é possível comprar quase duas garrafas, de 750ml, no estabelecimento mais barato, em comparação com o preço de uma garrafa no local mais caro. É o caso do vinho salton, de fabricação nacional, que pode sair por R$ 20,49, no bairro Maraponga, na Regional V, enquanto que o mesmo produto custa R$ 38,99 , no bairro Joaquim Távora, na Regional II, conferindo uma diferença de 90,29%.

Um dos itens mais procurados, na Semana Santa, é o pão de coco. A diferença do quilo do produto entre o estabelecimento mais barato e o mais caro chega a 108,90%, variando os preços entre R$ 8,09 e R$ 16,90.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, reforça que os estabelecimentos não podem aumentar preços apenas pelo aumento da procura dos produtos para a Semana Santa. "O Código de Defesa do Consumidor proíbe a elevação de preços, sem justa causa caracterizando, assim, prática abusiva". Cláudia explica que a infração pode resultar em multa de até R$ 12,7 milhões.

Maiores variações por segmentação

Bacalhau

Produto Menor Maior Variação
Tipo Saithe R$ 39,99 R$ 49,90 24,78%
Porto (bandeja) R$ 61,99 R$ 99,90 61,16%


Peixes frescos e crustáceos

Produto Menor Maior Variação
Arabaiana R$ 12,00 R$ 28,00 133,33%
Atum R$ 12,00 R$ 20,00 66,67%
Camarão 17g R$ 25,00 R$ 40,00 60,00%
Biquara R$ 10,00 R$ 15,00 50,00%
Filé de pargo R$ 30,00 R$ 45,00 50,00%

Pão de coco

Produto Menor Maior Variação
Pão de coco R$ 8,09 R$ 16,90 108,90%

Vinhos e espumantes

Produto Menor Maior Variação
Salton R$ 20,49 R$ 38,99 90,29%
Miolo R$ 33,90 R$ 59,98 76,93%
Benjamin R$ 33,90 R$ 52,59 55,13%
Cidra Cereser R$ 9,79 R$ 14,29 45,97%
Chalise R$ 9,99 R$ 14,49 45,05%

Ovos de Páscoa
O Procon Fortaleza divulgou no dia 08/04, a pesquisa com preços dos ovos de chocolate nos supermercados da Capital. A diferença no preço no ovo de chocolate da mesma marca e com o mesmo peso chegou a 42,35% entre o estabelecimento mais caro e o mais barato. Confira os preços dos ovos de páscoa.

Dicas
Para os peixes frescos, o cuidado deve ser a conservação, pois devem estar bem armazenados e em gelo. Verifique sua aparência observando se os olhos estão brilhantes e as escamam bem presas ao corpo.

Procure conhecer a procedência do bacalhau e cuidado para não comprar peixe salgado no lugar de bacalhau. Uma boa dica é verificar se, na embalagem, há informações se o produto é tipo Bacalhau e qual a espécie do peixe.

Se houver divergência de preços entre o valor anunciado com o registrado no caixa, o consumidor deve pagar sempre o menor valor.

Fique atento às informações detalhadas sobre data de validade do produto, peso e composição. A embalagem deve estar em boas condições de armazenamento, verificando se não há amassados ou furos que podem contaminar o produto.