Vinhos, queijos, panetones, carnes e peixes, e ainda espumantes e refrigerantes. A última pesquisa do ano em supermercados do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgada nesta segunda-feira (17/12), traz preços de 58 itens para as ceias de Natal e Réveillon. No levantamento, que contempla todas as Regionais de Fortaleza, o Procon identificou variação de até 127,47% no preço da azeitona (200g), que pode ser comprada de R$ 6,59 a R$ 14,99. O Procon orienta que o consumidor adquira os produtos com antecedência para fugir da alta de preços, que pode ocorrer por conta do aumento da procura desses itens.

O levantamento, que foi realizado entre os dias 10 e 14/12, também aponta variações acima de cem por cento em outros dois produtos. O quilo da uva, por exemplo, pode ser comprado de R$ 4,69 a R$ 9,98, uma variação de 112,79%. O espumante, de 750ml, também apresenta alta diferença de preços, indo de R$ 39,90, no estabelecimento mais barato a R$ 79,90, no mais caro, ou seja, 100,25% de variação.

Confira aqui todos os itens pesquisados 

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, comenta que há uma tendência de aumento de preços para os dias mais próximos do Natal e Réveillon. "Alguns produtos podem variar até o dobro entre os supermercados pesquisados. Portanto, orientamos que, com bastante atenção, o consumidor consulte a pesquisa e avalie os preços de cada item".

A Diretora também alerta que é preciso cautela nas compras de fim de ano, a fim de evitar o superendividamento. "No mês de janeiro, várias despesas compulsórias já somam no orçamento doméstico, como matrículas escolares, tributos e impostos", disse.

Peru e chester
O tradicional peru da ceia natalina, pode variar até 22,88%, sendo encontrado de R$ 20,41 a R$ 25,08, o quilo do produto já temperado. A ave chester desossada, varia um pouco mais no preço, indo de R$ 16,98 a R$ 27,18, o quilo.

PRODUTO

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

Azeitona preta

R$ 6,59

R$ 14,99

127,47%

Uva

R$ 4,69

R$ 9,98

112,79%

Espumante 1

R$ 39,90

R$ 79,90

100,25%

Espumante 2

R$ 8,80

R$ 17,29

96,48%

Maça Argentina

R$ 7,95

R$ 13,98

75,85%

Vinho

R$ 27,89

R$ 48,59

74,22%

Azeitona verde

R$ 6,88

R$ 11,98

74,13%

Queijo coalho

R$ 27,88

R$ 46,25

65,89%

Bombons

R$ 7,99

R$ 12,99

62,58%

Ave Chester

R$ 16,98

R$ 27,18

60,07%

Dicas
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgou, nesta segunda-feira (10/12), a pesquisa mensal com preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital. Em dezembro, os preços subiram 3,76%. A soma da média dos 60 itens pesquisados, ficou em R$ 442,07, enquanto que, em novembro, esse valor era de R$ 426,07. A pesquisa foi feita de 3 a 5 de dezembro e pode ser acessada pelo aplicativo "Proconomizar", que está disponível nas versões Androi e iOS. Pelo app, é possível pesquisar preços por Regionais e ainda elaborar uma lista de produtos, de acordo com a necessidade individual do consumidor.

O levantamento de Dezembro também indica que os preços subiram mais na Regional do Centro. Os 60 produtos pesquisados mensalmente passaram de R$ 478,47, em novembro, para R$ 506,37, em dezembro, indicando uma alta de 5,83%. Isso representa quase o dobro da média geral que ficou no patamar de 3,76%.

Preços por regionais

REGIONAL

PREÇO MÉDIO

Regional do Centro

R$ 506,37

Regional II

R$ 451,01

Secretaria Regional V

R$ 449,95

Regional III

R$ 446,76

Regional VI

R$ 445,21

Secretaria Regional I

R$ 394,74

Secretaria Regional IV

R$ 375,75

Para a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, a elevação de preços, no Centro, pode estar relacionada ao aumento da procura de produtos para as ceias de Natal e Réveillon. "Certamente, os consumidores podem já estar procurando produtos para as comemorações de fim de ano, e isto influencia na alta dos preços", comentou.

Cláudia Santos adianta ainda que o Procon deve divulgar nos próximos dias uma pesquisa com preços de itens para as ceias de Natal e Réveillon.

Também em dezembro, as maiores variações dos produtos pesquisados ficaram por conta da banana, que pode ser encontrada de R$ 1,58 a R$ 5,99, indicando uma variação de 279,11%. Em seguida, vem o abacaxi, sendo comprado de R$ 1,99 a R$ 6,99, conferindo uma diferença de 251,25%.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

Banana

R$ 1,58

R$ 5,99

279,11%

Abacaxi

R$ 1,99

R$ 6,99

251,25%

Cenoura

R$ 1,98

R$ 5,98

202,02%

Pimentão

R$ 2,78

R$ 7,89

181,81%

Alho

R$ 9,90

R$ 26,98

172,52%

Batata

R$ 1,99

R$ 5,39

170,85%

Mamão

R$ 1,48

R$ 3,95

166,89%

Tomate

R$ 2,99

R$ 6,99

133,77%

Farinha

R$ 1,98

R$ 4,59

131,81%

Confira todos os preços aqui.

Acumulado de 12 meses
O Procon também realizou a análise do acumulado de doze meses. Os preços de alimentos e produtos nos supermercados de Fortaleza subiram, em 2018, 12,94%. Confira abaixo a o comparativo.

MÊS

VALOR

VARIAÇÃO

Janeiro

R$ 390,25

-

Fevereiro

R$ 412,35

5,66%

Março

R$ 395,43

-4,1%

Abril

R$ 403,01

1,92%

Maio

R$ 414,87

2,94%

Junho

R$ 413,52

-0,32%

Julho

R$ 430,31

4,06%

Agosto

R$ 423,69

-1,54%

Setembro

R$ 425,48

0,42%

Outubro

R$ 425,56

0,02%

Novembro

R$ 426,07

0,12%

Dezembro

R$ 442,07

3,76%

Variação média

 

12,94%

Publicado em Economia
Durante 60 dias, o Procon acompanhou os preços de 186 itens
Durante 60 dias, o Procon acompanhou os preços de 186 itens

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta quarta-feira (21/11), o monitoramento de preços dos produtos mais procurados durante a Black Friday, período em que o comércio promete promoções e ofertas. Durante 60 dias (de 20/9 a 20/11), técnicos do Procon acompanharam a evolução de preços de 186 produtos no comércio virtual, bem como nas lojas físicas da Capital, contemplando todas as Regionais de Fortaleza. O objetivo do Procon é auxiliar o consumidor a identificar falsos anúncios de redução de preços. A multa por publicidade enganosa pode chegar a R$ 11 milhões.

O Procon informa que já há indícios de "maquiagem de preços" promocionais, ou seja, publicidade enganosa. Em um dos produtos monitorados, o Procon encontrou aumento de preço de 1.167%, como foi o caso de um aparelho celular que passou de R$ 789,00, em setembro, para R$ 9.999,00 agora em novembro.

Nas lojas on-line, o Procon pesquisou 11 sites com preços de 118 itens, entre artigos esportivos, eletrônicos e eletrodomésticos. Já nas lojas físicas, os técnicos percorreram dez estabelecimentos, localizados em todas as Regionais de Fortaleza, coletando preços de 68 produtos.

Ao todo, a tabela contém 1.674 preços.

Acesse todos os valores aqui.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, diz que os principais problemas encontrados na Black Friday são publicidade abusiva ou enganosa e ainda o não cumprimento da oferta. Ela reforça que nas compras pela internet, o consumidor pode desistir do produto, em até sete dias da data do recebimento do produto, sem nenhuma justificativa, pois o Código de Defesa do Consumidor (CDC) assegura o direito de arrependimento.

Plantão Black Friday
Na sexta-feira (23/11), o Procon terá atendimento especial para receber denúncias de consumidores sobre ofertas enganosas na black friday. Técnicos do Procon vão analisar as ofertas da black friday e comparar com os preços coletados durante o monitoramento. Caso haja indícios de publicidade enganosa, as empresas responderão a processo administrativo e poderão ser multadas.

Como denunciar
No portal da Prefeitura de Fortaleza; ou ainda pela Central de Atendimento 151, no horário comercial. É possível ainda realizar denúncias pelo aplicativo Procon Fortaleza. Basta baixar no Android: Procon Fortaleza; ou no sistema iOS (http://galeria.fabricadeaplicativos.com.br/procon.fortaleza)

Cuidados
- Verifique os preços cobrados antes da Black Friday e registre-os com prints da tela ou foto. Isto pode ser feito em sites de buscas, além das páginas das lojas participantes;
- É recomendável que o consumidor somente efetue compras em sites confiáveis. Para verificar a segurança da página, ele deve clicar num símbolo de cadeado que aparece no canto da barra de endereço ou no rodapé da tela. O endereço da loja virtual deve começar com https://
- Todo site deve exibir o CNPJ da empresa ou o CPF da pessoa responsável, além de informar o endereço físico onde a loja possa ser encontrada ou o endereço eletrônico para que possa ser contatada;
- Analise a descrição do produto e compare com outras marcas;
- É muito importante imprimir ou salvar todos os documentos que demonstrem a oferta e confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios etc);
- Computadores de acesso público não devem ser usados para comércio eletrônico ou internet banking.

Direitos
- Produto em promoção ou liquidação, possui as mesmas garantias previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC);
- Na compra de eletroeletrônicos, peça para testar o funcionamento do aparelho;
- Nas compras feitas pela internet, por telefone ou catálogo, existe o “direito de arrependimento” para desistir da compra sem qualquer motivo. O prazo para desistência é de sete dias, a contar da data de recebimento do produto;
- No pagamento com cartão de débito/crédito, poderá haver diferenciação de preços em relação a valores pagos em dinheiro;
- A loja não é obrigada a trocar o presente que não tenha defeito. No entanto, se o vendedor afirmar que realizará a troca, em qualquer situação, o consumidor deverá solicitar por escrito;
- A garantia legal de produto/serviço não durável é de 30 dias e de produto/serviço durável é de 90 dias, de acordo com o CDC;
- A garantia legal é complementar à contratual. Portanto, se um produto tem garantia do fabricante de 12 meses, a garantia total deverá ser acrescida de mais 90 dias da garantia legal, ou seja, 15 meses;
- Se houver divergência entre o preço anunciado com o registrado no caixa, o consumidor deverá pagar o menor valor;
- Peça a nota fiscal com a discriminação do produto ou do serviço detalhadamente.

Publicado em Economia
Alho, banana e cenoura podem ser encontrados por até 281% de diferença
Alho, banana e cenoura podem ser encontrados por até 281% de diferença

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta segunda-feira (12/11), a pesquisa do mês de novembro com preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital. Em relação ao mês passado, quando a média de todos os 60 itens ficou em R$ 425,56, o Procon identificou uma discreta elevação de 0,12%, tendo em vista que, neste último levantamento, realizado entre os dias 6/11 e 8/11, os produtos pesquisados somaram R$ 426,07.

Alho, banana e cenoura podem ser encontrados por até 281% de diferença. Em outros alimentos (mamão, batata, farinha de mandioca e abacaxi), a pesquisa também identificou variações acima de cem por cento.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

Banana

R$ 1,57

R$ 5,99

281,52%

Alho

R$ 7,90

R$ 26,99

241,64%

Cenoura

R$ 1,89

R$ 5,98

216,40%

Mamão

R$ 1,48

R$ 3,59

142,56%

Batata

R$ 1,68

R$ 3,99

137,50%

Farinha

R$ 2,19

R$ 4,59

109,58%

Abacaxi

R$ 1,98

R$ 3,99

101,51%

Confira todos os preços aqui

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, orienta que o consumidor já comece a estocar os produtos da ceia de Natal e Réveillon. "Já é possível economizar, optando pelos produtos mais em conta para as festas de fim de ano", afirma. Ela também adiantou que no próximo mês de dezembro, o Procon vai trazer uma pesquisa com itens da ceia de Natal e Réveillon.

No comparativo entre as regionais, a Regional VI continua apresentando os preços mais altos. Já na Regional IV, estão os preços mais baixos.

REGIONAL

MÉDIA TOTAL

Regional VI

R$ 506,60

Regional do Centro

R$ 478,47

Regional III

R$ 465,36

Regional V

R$ 436,19

Regional I

R$ 400,64

Regional II

R$ 379,94

Regional IV

R$ 341,17

Errata
Na pesquisa de outubro, divulgada no dia 24/10, divulgamos a soma total dos itens em R$ 427,56, indicando elevação de 0,49% nos preços de produtos e alimentos dos supermercados, em relação ao mês de setembro, quando a soma total dos preços ficou em R$ 425,48.

Após a divulgação, os técnicos responsáveis pela pesquisa, identificaram um erro na digitação do preço do frango, alterando assim todo o resultado final da pesquisa.

Deste modo, a média da soma de todos os itens na pesquisa de outubro ficou em R$ 425,56, indicando uma elevação de 0,02% dos preços, em relação ao mês imediatamente anterior (setembro), quando a soma total dos preços ficou em R$ 425,48.

 

Publicado em Economia
O Procon quer saber se, na lista, constam itens considerados abusivos e que não podem ser cobrados pelas instituições
O Procon quer saber se, na lista, constam itens considerados abusivos e que não podem ser cobrados pelas instituições 

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) inicia, nesta quarta-feira (07/11), a operação "Material Escolar 2019". Pelo menos, 109 escolas particulares da Capital devem receber uma notificação do Procon Fortaleza, que está requisitando a entrega da lista de material escolar, em até cinco dias corridos. O Procon quer saber se constam itens considerados abusivos e que não podem ser cobrados pelas instituições. Marcas de produtos e especificação de livrarias também não podem ser determinadas pelas escolas.

O Procon esclarece que, inicialmente, a operação tem caráter educativo, ou seja, dando prazo para que as escolas retirem, da lista, itens considerados de uso coletivo, e que não podem ser cobrados, conforme determina a lei federal nº 12.886/2013.

Após analisar as listas enviadas pelas escolas, o Procon deve publicar uma portaria com a relação exemplificativa de produtos que não podem ser cobrados. Em 2018, a lista somou 76 itens.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, alerta que as escolas também estão proibidas de exigir valor ou taxa para aquisição de material escolar, exceto quando esta seja uma decisão do contratante e não uma exigência. "O Procon não interfere na atividade pedagógica das escolas, mas defende que o custo de determinados itens da lista de material escolar seja dos prestadores de serviço, e não dos pais que já pagam mensalidades altas", defendeu.

Como denunciar
No portal da Prefeitura de Fortaleza; ou ainda pela Central de Atendimento 151, no horário comercial. É possível ainda realizar denúncias pelo aplicativo Procon Fortaleza. Basta baixar no Android: Procon Fortaleza; ou no sistema iOS (http://galeria.fabricadeaplicativos.com.br/procon.fortaleza)

Dicas e Direitos
- Antes de comprar, verifique se existem itens que sobraram do período anterior e avalie a possibilidade de reaproveitá-los;
- A escola só pode pedir uma resma de papel por aluno. Mais do que isso já pode ser considerado abusivo;
- Organizar um bazar de trocas de artigos escolares em bom estado entre amigos ou vizinhos, por exemplo, também é uma alternativa para gastar menos;
- Outra opção para a compra de livros é pesquisar em sebos, inclusive pela internet. Costuma ser bem mais barato;
- Algumas lojas concedem descontos para compras em grupos ou de grandes quantidades ou venda por atacado;
- Produtos importados seguem as mesmas regras de marcas nacionais, resguardados os direitos do CDC;
- Evite comprar no comércio informal. Isso pode dificultar a troca ou assistência do produto se houver necessidade;
- Muita atenção a embalagens de materiais como colas, tintas, pincéis atômicos e fitas adesivas. Esses produtos devem conter informações claras, precisas e em língua portuguesa a respeito do fabricante, importador, composição, condições de armazenagem, prazo de validade e se apresentam algum risco ao consumidor.

Publicado em Economia

A nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgada, nesta quarta-feira (24/10), indica uma elevação de 0,49% nos preços de produtos e alimentos dos supermercados. No mês passado, a soma total dos preços ficaram em R$ 425,48. Neste último levantamento, realizado entre os dias 9 e 11/10, a soma de todos os 60 produtos ficou em R$ 427,56.

A Regional VI, onde estão bairros como Aerolândia, Passaré e Messejana, por exemplo, continua apresentando os preços mais elevados, se comparado com a pesquisa anterior. A pesquisa do Procon é dividida em itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil.

Consulte todos os preços aqui.

Preços por regionais
Regional                   Média total
Regional VI               R$ 492,40
Regional do Centro    R$ 450,95
Regional II                R$ 446,23
Regional V                R$ 438,16
Regional III               R$ 422,83
Regional I                 R$ 384,55
Regional IV               R$ 317,92

O Procon ressalta que a variação de preços nos supermercados pode estar relacionada, além da concorrência entre os supermercados, à falta ou reposição de itens pesquisados, bem como à promoções e ofertas em dias específicos da semana.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, lembra que uma boa pesquisa pode representar uma grande economia. "As compras começam ainda dentro de casa. Basta o consumidor acessar os dados pelo aplicativo Proconomizar e buscar os preços mais baratos", orientou.

A Diretora explica ainda que com o aplicativo Proconomizar, o consumidor pode selecionar uma lista individual de produtos, a partir de sua preferência ou necessidade. O app já está disponível na plataforma android e em implantação na iOS.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

Cebola

R$ 0,72

R$ 3,49

384,72%

Frango

R$ 6,39

R$ 26,90

320,97%

Banana

R$ 1,68

R$ 5,99

256,54%

Alho

R$ 9,90

R$ 33,50

238,38%

Batata

R$ 1,38

R$ 3,99

189,13%

Tomate

R$ 2,98

R$ 7,98

167,78%

Cenoura

R$ 1,68

R$ 4,49

167,26%

Farinha

R$ 1,89

R$ 4,59

142,85%

Laranja

R$ 1,68

R$ 3,99

137,50%

Mamão

R$ 1,68

R$ 3,99

137,50%

Abacaxi

R$ 1,98

R$ 4,49

126,76%

Refrigerante

R$ 2,99

R$ 5,99

100,33%

 

 

Publicado em Economia
Em algumas negociações, o Procon conseguiu redução de até 97% do valor da dívida.
Em algumas negociações, o Procon conseguiu redução de até 97% do valor da dívida (Foto: Rodrigo Carvalho)

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta terça-feira (18/9), o balanço do Mutirão de Renegociação de Dívidas, que ocorreu entre os dias 15 e 19 de outubro. O mutirão, realizado anualmente, superou as expectativas do Órgão. Houve um aumento de 208% na quantidade de atendimentos, se comparado com o mutirão do ano passado, quando 762 atendimentos foram realizados contra 2.348 renegociações de dívidas, deste ano. O índice de resolutividade também subiu, superando 2017, que foi de 68%, aumentando para 83% este ano.

Cerca de 1.494 consumidores procuraram o Procon para renegociar dívidas com bancos, operadoras de cartão de crédito e empresas que emprestam dinheiro, o que corresponde a 83% do total de 2.348 atendimentos. Em seguida, 211 consumidores (9%) buscaram a intermediação do Procon para renegociar dívidas com a concessionária de energia elétrica. Outros 188 consumidores (8%) registraram insatisfação com cobranças abusivas de empresas de telefonia.

Os consumidores se queixaram, principalmente, de juros e multas abusivos e de cobranças para além da dívida principal. Em algumas negociações, o Procon conseguiu redução de até 97% do valor da dívida, como foi o caso de um consumidor que possuía dívida com operadora de cartão de crédito, no valor de R$ 4.117,00, sendo reduzida para R$ 111,00 no pagamento à vista. Técnicos do Procon também relataram casos em que um único consumidor possuía dívida com 12 tipos de operadoras de cartão de crédito, que totalizavam aproximadamente R$ 30.000,00 de débitos.

Pelo menos 65% do total, cerca de 1.526 atendimentos, foram do sexo feminino, enquanto que 822 reclamações foram do sexo masculino, o que corresponde a 35%.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, esclarece que nos 399 casos em que não houve acordo, ou seja, 17% dos atendimentos, os consumidores foram orientados a registrar reclamação para tentativa de renegociação por meio de audiência no Procon Fortaleza. Ela também comemorou a adesão das empresas. "A cada ano, aumenta a participação de novas empresas, o que é positivo para o consumidor, que tem a chance de renegociar seus débitos".

Cláudia lembra ainda que os consumidores residentes na capital, podem procurar o Procon, a qualquer momento, para abertura de reclamação contra qualquer empresa, pedindo uma renegociação da dívida. No entanto, a Diretora ressalta que, durante o mutirão do Procon, as condições de renegociação são diferenciadas com redução de juros, multas e encargos, conforme as empresas se comprometeram.

Procon Fortaleza
Procon Centro (Rua Major Facundo, 869)
Procon vapt vupt Terminal de Antonio Bezerra
Procon vapt vupt Terminal de Messejana
Procon Regional V (Avenida Augusto dos Anjos, 2466 - Bonsucesso)

Publicado em Economia
A partir desta segunda-feira (15/10), consumidores endividados terão a oportunidade de renegociar dívidas com condições especiais de desconto
A partir desta segunda-feira (15/10), consumidores endividados terão a oportunidade de renegociar dívidas com condições especiais de desconto

A partir desta segunda-feira (15/10), consumidores endividados terão a oportunidade de renegociar dívidas com condições especiais de desconto e parcelamento do débito. O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) deu início ao mutirão de renegociação de dívidas, evento realizado anualmente com o objetivo de resgatar a dignidade e devolver o poder de compra ao consumidor. O Procon espera realizar dois mil atendimentos até sexta-feira (19/10). Os núcleos do Procon localizado nos Vapt Vupts de Antonio Bezerra e de Messejana e na Regional V também participam do mutirão.

As empresas que aderiram ao mutirão, assumiram o compromisso de oferecer condições diferenciadas para a quitação da dívida, inclusive com linha direta para solucionar os casos em tempo real.

Confira as empresas participantes, abaixo.

Bancos, operadoras de cartão de crédito e financeiras
Banco do Brasil
Bradescard
Bradesco cartões
Banco Santander
Banco Itaú, cartões e empresas do Grupo
Banco Investcred Unibanco S.A.
Caixa Econômica Federal
Cartão Losango
Crefisa
Dibens Leasing S.A.
FIC Promotora de vendas
FortBrasil
Grupo Rede
Hipercard Banco Múltiplo
Luizacred S.A.
Microinvest
Marcep Corretagem de Seguros
Omni Soluções Financeiras
Provar Negócios de Varejo

Operadoras de telefonia e telecomunicação
Claro TV
Claro móvel
Net
Tim celular
Vivo

Concessionária
Enel CE

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, avalia que os descontos nas dívidas podem chegar a 90% do valor do débito. "Esta é uma boa oportunidade para o consumidor limpar seu nome, com condições especiais para pagamento da dívida, inclusive, parcelando seus débitos", disse. Mas a diretora alerta que o consumidor assuma o pagamento daquilo que conseguirá pagar, sob o risco de envidar-se novamente.

O Procon ressalta que, independentemente das empresas que já aderiram ao mutirão e que se comprometeram a resolver em tempo real o problema, o consumidor pode abrir reclamação contra qualquer empresa. No entanto, nestes casos, as empresas são notificadas para realização de audiência de conciliação.

Principais problemas
O número de consumidores da capital que procuraram o Procon Fortaleza com problemas financeiros tem aumentado sucessivamente nos últimos três anos. Saiu de 5.856 em 2015 para 7.957, em 2016, um aumento de 35,87%. No ano passado, os consumidores com problemas financeiros saltou para 8.505, uma elevação de 6.88%, se comparado com o período anterior. Os consumidores se queixam principalmente de cobrança indevida e de juros e multas abusivos.

Consulta CPF
Em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL de Fortaleza), será possível consultar a situação do Cadastro de Pessoa Física (CPF) durante o período de realização do mutirão.

Documentos
É preciso levar cópias da documentação pessoal e do comprovante de endereço e ainda de faturas de cobrança ou de contratos que comprovem a situação a ser renegociada com a empresa. Só podem participar consumidores residentes na capital.

Serviço
Mutirão de renegociação de dívidas
Período: de 15 a 19/10 (segunda a sexta-feira)
Horário: das 8 às 17 horas
Locais de atendimento:
Procon Centro (rua Major Facundo, 869)
Procon vapt vupt Antonio Bezerra
Procon vapt vupt Messejana
Procon Regional V (avenida Augusto dos Anjos, 2466 - Bonsucesso)

Publicado em Economia
Monitoramento de preços da black friday
No ano passado, o Procon realizou um plantão durante a black friday

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) iniciou, nesta quinta-feira (20/09), o monitoramento de preços dos produtos mais procurados durante a Black Friday, período em que o comércio promete promoções e ofertas. O objetivo do Procon é identificar falsos anúncios de redução de preços na Black Friday, prevista para acontecer no dia 23/11. O monitoramento é feito no comércio eletrônico e em lojas físicas de Fortaleza, contemplando todas as Regionais da Capital. A multa por publicidade enganosa pode chegar a R$ 11 milhões.

Na Black Friday, os principais problemas denunciados em lojas on-line e físicas são publicidade abusiva ou enganosa e ainda o não cumprimento da oferta.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, esclarece que, nas compras pela internet, o consumidor pode desistir do produto ou serviço, em até sete dias da data do recebimento do produto, sem nenhuma justificativa, pois o Código de Defesa do Consumidor (CDC) assegura o "direito de arrependimento" nas compras fora das lojas físicas.

Cláudia Santos também reforça a necessidade do consumidor realizar seu monitoramento de preços. "Cada consumidor tem suas preferências por produtos e sites. Portanto, é importante que já inicie o acompanhamento dos preços de produtos ou serviços que deseja comprar durante a Black Friday, pois somente assim será possível saber se, de fato, aquele produto está em promoção ou trata-se de publicidade enganosa", orientou.

Como denunciar
No portal da Prefeitura de Fortaleza; ou ainda pela Central de Atendimento 151, no horário comercial. É possível ainda realizar denúncias pelo aplicativo Procon Fortaleza. Basta baixar no Android: Procon Fortaleza; ou no sistema iOS.

Cuidados
- Verifique os preços cobrados antes da Black Friday e registre-os com prints da tela ou foto. Isto pode ser feito em sites de buscas, além das páginas das lojas participantes;

- É recomendável que o consumidor somente efetue compras em sites confiáveis. Para verificar a segurança da página, ele deve clicar num símbolo de cadeado que aparece no canto da barra de endereço ou no rodapé da tela. O endereço da loja virtual deve começar com https://

- Todo site deve exibir o CNPJ da empresa ou o CPF da pessoa responsável, além de informar o endereço físico onde a loja possa ser encontrada ou o endereço eletrônico para que possa ser contatada;

- Analise a descrição do produto e compare com outras marcas;

- É muito importante imprimir ou salvar todos os documentos que demonstrem a oferta e confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios etc);

- Computadores de acesso público não devem ser usados para comércio eletrônico ou internet banking.

Publicado em Economia

A primeira pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) publicada no aplicativo "Proconomizar" indica um leve aumento de preços nos supermercados da Capital. Isso porque a soma média dos 60 produtos e alimentos pesquisados mensalmente pelo Procon ficou, no mês de setembro, em R$ 425,48, uma alta de 0,42% se comparada ao mês anterior, quando a somá média era de R$ 423,69.

O levantamento de setembro, realizado entre os dias 12 e 14, também indica que a Regional VI reúne os preços mais elevados, custando até R$ 474,39 a soma de todos os itens. Já os bairros da Regional IV apresentam os menores preços, somando R$ 284,47.

A variação de preços pode estar relacionada, além da concorrência entre os supermercados, à falta de itens pesquisados, bem como a promoções e ofertas. Por isso pode haver diferença entre os preços coletados e os preços encontrados pelos consumidores nos supermercados, não caracterizando prática abusiva.

No comparativo entre os mesmos produtos e mesma especificação de marcas, a diferença de preços chega a 334,05%. É o caso do quilo da banana, que pode ser encontrada de R$ 1,38 à R$ 5,99. A farinha de mandioca também apresenta alta variação, sendo comprada de R$ 1,98 à R$ 8,25, o quilo.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, acredita que ficou mais fácil para o consumidor pesquisar preços nos supermercados. "Agora, na palma da mão, o consumidor pode acompanhar os preços, inclusive, antes de sair de casa, avaliando a distância e os locais pesquisados". A Diretora adianta que o Procon está avaliando aumentar a quantidade de estabelecimentos, o que vai favorecer mais consumidores.

Metodologia
O Procon Fortaleza pesquisa mensalmente produtos nos supermercados da capital com coleta de preços presencial, de diferentes marcas e tipos, divididos em alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica ou cuidados e higiene infantis.

Consulte todos os preços aqui.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO MENOR MAIOR VARIAÇÃO
Banana R$ 1,38 R$ 5,99 334,05%
Farinha R$ 1,98 R$ 8,25 316,66%
Cebola R$ 0,89 R$ 3,48 291,01%
Cenoura R$ 1,89 R$ 5,98 216,40%
Batata R$ 1,39 R$ 4,19 201,43%
Pimentão R$ 1,88 R$ 5,29 181,38%
Abacaxi  R$ 1,98 R$ 4,98 151,51%
Laranja R$ 1,69 R$ 3,99 136,09%
Alho        R$ 12,98 R$ 30,50 134,97%
Tomate R$ 2,38 R$ 4,98 109,24%

Dicas e direitos nos supermercados

- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia
Página 1 de 5