12 de agosto de 2019 em Economia

Preços nos supermercados estão mais caros no Centro, aponta nova pesquisa do Procon

O preço do abacaxi pode variar até 301,50%, sendo encontrado de R$ 1,99 a R$ 7,99


Em agosto, os preços de alimentos e produtos nos supermercados da capital registraram elevação de 1,06%, segundo a nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgada nesta segunda-feira (12/08). No mês passado, a soma dos 60 produtos pesquisados mensalmente ficou em R$ 440,65, enquanto que neste último levantamento, realizado nos dias 5 e 6 de agosto, a soma ficou em R$ 445,32.

A pesquisa também aponta que a Regional do Centro concentra os preços mais elevados nos supermercados totalizando R$ 488,50 a soma da média de todos os 60 produtos pesquisados mensalmente, enquanto que a Regional IV possui os preços mais baixos, somando os mesmos itens R$ 391,97.

Pelo menos 13 itens apresentam diferença acima de cem por cento entre o supermercado mais caro e o mais barato. A unidade do abacaxi pode ser comprado de R$ 1,99 a R$ 7,99, conferindo uma diferença de 301,50%. O quilo da banana e do alho também apresentam alta variação de preços com 202,52% (R$ 1,98 a R$ 5,99) e 202,32% (R$ 12,90 a R$ 39,00) de diferença, respectivamente.

Cinco maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Abacaxi (Unidade) R$ 1,99 R$ 7,99 301,50%
Banana (Kg) R$ 1,98 R$ 5,99 202,52%
Alho (Kg) R$ 12,90 R$ 39,00 202,32%
Cenoura (Kg) R$ 2,28 R$ 6,19 171,49%
Laranja(Kg) R$ 1,48 R$ 3,99 169,59%

Consulte aqui os demais preços dos 60 produtos.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, orienta que consumidores fiquem atentos a algumas estratégias de marketing nos supermercados. "Geralmente, aqueles produtos que são de interesse de venda mais rápida ficam posicionados, nas prateleiras, na altura do olho humano e nem sempre possuem os melhores preços", alertou. Ela também chama a atenção de que outros produtos com apelo de venda são aqueles que ficam na entrada dos supermercados com tarjas e anúncios de promoção, complementa a Diretora.

Dicas e direitos
1 - Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
2 - Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
3 - Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
4 - Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
5 - Pode haver diferença de preços nos pagamentos em dinheiro ou cartão de crédito e débito;
6 - Confira a data de validade dos produtos;
7 - Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
8 - Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
9 - Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida;
10 - Os supermercados, mesmo que sejam da mesma rede, podem cobrar preços diferenciados entre os estabelecimentos físicos e os virtuais (sites, aplicativos, telemarketing).

Como denunciar
Denúncias podem ser realizadas no Portal da Prefeitura de Fortaleza (www.fortaleza.ce.gov.br), no campo defesa do consumidor e, também, pelo aplicativo Procon Fortaleza e ainda pela Central de Atendimento ao Consumidor 151.

Preços nos supermercados estão mais caros no Centro, aponta nova pesquisa do Procon

O preço do abacaxi pode variar até 301,50%, sendo encontrado de R$ 1,99 a R$ 7,99

Em agosto, os preços de alimentos e produtos nos supermercados da capital registraram elevação de 1,06%, segundo a nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgada nesta segunda-feira (12/08). No mês passado, a soma dos 60 produtos pesquisados mensalmente ficou em R$ 440,65, enquanto que neste último levantamento, realizado nos dias 5 e 6 de agosto, a soma ficou em R$ 445,32.

A pesquisa também aponta que a Regional do Centro concentra os preços mais elevados nos supermercados totalizando R$ 488,50 a soma da média de todos os 60 produtos pesquisados mensalmente, enquanto que a Regional IV possui os preços mais baixos, somando os mesmos itens R$ 391,97.

Pelo menos 13 itens apresentam diferença acima de cem por cento entre o supermercado mais caro e o mais barato. A unidade do abacaxi pode ser comprado de R$ 1,99 a R$ 7,99, conferindo uma diferença de 301,50%. O quilo da banana e do alho também apresentam alta variação de preços com 202,52% (R$ 1,98 a R$ 5,99) e 202,32% (R$ 12,90 a R$ 39,00) de diferença, respectivamente.

Cinco maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Abacaxi (Unidade) R$ 1,99 R$ 7,99 301,50%
Banana (Kg) R$ 1,98 R$ 5,99 202,52%
Alho (Kg) R$ 12,90 R$ 39,00 202,32%
Cenoura (Kg) R$ 2,28 R$ 6,19 171,49%
Laranja(Kg) R$ 1,48 R$ 3,99 169,59%

Consulte aqui os demais preços dos 60 produtos.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, orienta que consumidores fiquem atentos a algumas estratégias de marketing nos supermercados. "Geralmente, aqueles produtos que são de interesse de venda mais rápida ficam posicionados, nas prateleiras, na altura do olho humano e nem sempre possuem os melhores preços", alertou. Ela também chama a atenção de que outros produtos com apelo de venda são aqueles que ficam na entrada dos supermercados com tarjas e anúncios de promoção, complementa a Diretora.

Dicas e direitos
1 - Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
2 - Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
3 - Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
4 - Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
5 - Pode haver diferença de preços nos pagamentos em dinheiro ou cartão de crédito e débito;
6 - Confira a data de validade dos produtos;
7 - Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
8 - Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
9 - Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida;
10 - Os supermercados, mesmo que sejam da mesma rede, podem cobrar preços diferenciados entre os estabelecimentos físicos e os virtuais (sites, aplicativos, telemarketing).

Como denunciar
Denúncias podem ser realizadas no Portal da Prefeitura de Fortaleza (www.fortaleza.ce.gov.br), no campo defesa do consumidor e, também, pelo aplicativo Procon Fortaleza e ainda pela Central de Atendimento ao Consumidor 151.