Em maio, os 60 alimentos e produtos pesquisados pelo Procon Fortaleza somam R$ 447,91
Em maio, os 60 alimentos e produtos pesquisados pelo Procon Fortaleza somam R$ 447,91

Após a alta de 1,67% nos preços de alimentos e produtos, em abril, o Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) registrou um aumento de 0,24% nos preços dos mesmos produtos, em maio. Os índices, que se referem à média total, foram divulgados nesta quarta-feira (15/05), pelo Procon Fortaleza, que realiza mensalmente o acompanhamento dos preços de 60 itens de primeira necessidade nos supermercados da Capital. No acumulado nos cinco primeiros meses deste ano, a elevação chega a 2,29%.

Em maio, os 60 alimentos e produtos pesquisados pelo Procon Fortaleza somam R$ 447,91. Isso representa 0,24% de elevação frente aos preços coletados em abril, quando a soma dos itens ficou em R$ 446,83.

Mas enquanto a média total apresenta leve alta, a diferença entre os mesmos produtos nos supermercados pesquisados pode chegar a 261,74%. É o caso do quilo da cebola, que foi encontrado de R$ 1,49 a R$ 5,39.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação     
Cebola (Kg) R$ 1,49 R$ 5,39 261,74 %
Alho (Kg) R$ 9,90

R$ 35,00

253,53 %
Abacaxi (Unidade) R$ 2,48 R$ 7,99 222,17 %
Mamão (Kg) R$ 1,45 R$ 3,89 168,27 %
Laranja (Kg) R$ 1,88 R$ 4,59 144,14 %

O Procon também realiza o comparativo de preços por regionais. Nos bairros Conjunto José Walter e Maraponga foram encontrados os preços mais elevados.

Preços por regionais

Regionais Preço médio total
Regional V R$ 468,56
Regional III R$ 464,74
Regional Centro R$ 463,72
Regional VI R$ 445,43
Regional II R$ 430,41
Regional I R$ 419,47
Regional IV R$ 419,27

A pesquisa é dividida em itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil. Consulte todos os preços aqui. A pesquisa também está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, avalia que a mudança de elevação de preços por regionais demonstra que os hábitos dos consumidores influenciam na política de preços. "Se o consumidor opta por locais mais baratos, os supermercados que praticam preços elevados tendem a baixar seus preços. E isto é positivo para o bolso do consumidor", comentou.

Publicado em Economia

Em abril, o Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) registrou uma redução de 1,67% nos preços de alimentos e produtos. No entanto, a diferença de um mesmo produto entre os supermercados pesquisados pode chegar a 302,71%. O levantamento, divulgado, nesta terça-feira (30/4), aponta que a soma da média dos 60 produtos pesquisados nos supermercados de Fortaleza, entre os dias 22 e 23 de abril, chegou a R$ 446,83, enquanto que, em março, a soma da média foi de R$ 454,44.

Abacaxi, batata e alho são os alimentos que mais variam de preços entre os supermercados visitados, sendo encontrados com diferenças de 302,71%, 193,97% e 186,88%, respectivamente. Outros seis alimentos também apresentam variações acima de cem por cento.

Maiores variações

PRODUTO MENOR PREÇO MAIOR PREÇO VARIAÇÃO
Abacaxi (Unidade) R$ 2,58 R$ 10,39 302,71 %
Batata (Kg) R$ 2,99 R$ 8,79 193,97 %
Alho (Kg) R$ 12,20 R$ 35,00 186,88 %
Pimentão (Kg) R$ 3,19 R$ 7,98 150,15 %
Laranja (Kg) R$ 1,98 R$ 4,75 139,89 %
Cebola (Kg) R$ 2,48 R$ 5,85 135,88 %
Mamão (Kg) R$ 1,79 R$ 3,75 109,49 %
Banana (Kg) R$ 2,98 R$ 5,99 101,00 %
Cenoura (kg) R$ 2,98 R$ 5,99 101,00 %

De acordo com o novo levantamento, a Regional III apresenta a soma da média total dos preços mais elevada. Nesta análise, a soma da média dos itens por Regionais leva em consideração a quantidade de produtos encontrada nos supermercados.

Preços por Regionais

Regionais Preço médio total
Regional III R$ 491,86
Regional do Centro R$ 479,33
Regional V R$ 474,62
Regional VI R$ 448,47
Regional II R$ 418,67
Regional I R$ 412,22
Regional IV R$ 375,19

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, explica que os estabelecimentos são obrigados a cumprir o preço de ofertas. "O consumidor deve pagar o preço anunciado em encartes e anúncios publicitários. Se houver divergência entre o preço anunciado e o registrado no caixa, o consumidor deve pagar o menor valor".

Consulte, aqui, a pesquisa completa com os preços de alimentos e produtos. A pesquisa também está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS.

Denúncias podem ser realizadas pelo telefone 151.

Publicado em Economia

Alimentos e produtos de primeira necessidade subiram 7,18%, em março, na capital cearense. É o que indica a nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgada, nesta quinta-feira (28/03). Em fevereiro, a soma da média dos 60 produtos pesquisados nos supermercados de Fortaleza chegou a R$ 424,01 enquanto que, neste último levantamento, realizado entre os dias 20 e 22/3, a soma da média foi de R$ 454,44. A diferença de preço entre os estabelecimentos pode chegar a 293,25% como, por exemplo, o preço do quilo do alho que pode ser encontrado de R$ 8,90 à R$ 35,00.

A Regional do Centro continua apresentando os maiores preços na média dos produtos pesquisados, somando R$ 519,09 todos os itens, enquanto que a Regional IV, onde ficam bairros como Damas, Couto Fernandes e Itaperi totaliza R$ 393,61. O Procon ressalta que a soma da média dos itens, por regionais, também leva em consideração a quantidade de produtos nos supermercados, ou seja, a falta de itens pode impactar na soma total.

Além do preço do alho (indo de R$ 8,90 à R$ 35,00), outros cinco produtos também apresentam alta variação, acima de cem por cento.

Maiores variações

PRODUTO MENOR PREÇO MAIOR PREÇO VARIAÇÃO
Alho (Kg) R$ 8,90 R$ 35,00 293,25%
Mamão (kg) R$ 1,19 R$ 3,99 235,29%
Queijo coalho (Kg) R$ 18,79 R$ 47,98 155,34%
Queijo mussarela (Kg) R$ 20,49 R$ 49,90 143,53%
Abacaxi (Un) R$ 2,89 R$ 6,99 141,86%
Cenoura (Kg) R$ 2,49 R$ 5,99 140,56%

Consulte aqui os preços de alimentos e produtos em todas Regionais. A pesquisa também está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, lembra que a pesquisa ainda é a maior aliada do consumidor que busca economia. "Os estabelecimentos percebem a migração de clientes para locais com preços mais baratos. E isto força os supermercados que praticam preços elevados a baixarem o valor de produtos e alimentos. O consumidor é quem sai ganhando".

Preços por regionais

REGIONAIS PREÇO MÉDIO TOTAL
Regional Centro R$ 519,09
Regional II R$ 471,72
Regional III R$ 464,83
Regional VI R$ 462,03
Regional V R$ 455,15
Regional I R$ 395,90
Regional IV R$ 393,61
Publicado em Economia

Em fevereiro, alimentos e produtos mais consumidos nos lares dos fortalezenses sofreram redução de 3,46%. É o que indica a nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgada, nesta terça-feira (12/2). No mês anterior, a soma da média dos 60 produtos pesquisados ficou em R$ 439,23, enquanto neste último levantamento, realizado entre os dias 4 e 6 de fevereiro, os preços somam R$ 424,01. O Procon alerta que não pode haver divergência entre o preço nas prateleiras com o preço apresentado no caixa. Supermercados podem receber multas de R$ 852,14 à R$ 12,7 milhões por práticas abusivas.

A Regional do Centro apresenta os maiores preços na média dos produtos pesquisados, somando R$ 475,57 todos os itens, enquanto que a Regional IV, onde ficam bairros como Benfica, Demócrito Rocha e Parangaba, totaliza R$ 344,59. Consulte aqui os preços de alimentos e produtos em todas regionais.

Entre as maiores variações nos dez supermercados pesquisados, a pesquisa indica que o quilo do tomate pode ser encontrado por até 250% de diferença, indo de R$ 2,28 a R$ 7,98. O quilo do alho também apresenta alta variação, sendo comprado de R$ 7,90 a R$ 26,98, o que confere 241,51% de diferença entre o estabelecimento mais barato e o mais caro.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, orienta que o consumidor analise os encartes distribuídos, dando atenção para produtos que esjetam em promoção. Ela explica o que fazer, caso o consumidor encontre preços divergentes entre o anunciado e o valor do produto apresentado nos caixas. "É preciso exigir que o preço seja o mesmo que foi divulgado. E caso ocorra diferença de preços, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor", enfatizou a Diretora.

As cinco maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Tomate (Kg) R$ 2,28 R$ 7,98 250,00%
Alho (Kg) R$ 7,90 R$ 26,98 241,51%
Mamão (Kg) R$ 1,18 R$ 3,49 195,76%
Pimentão (Kg) R$ 2,99 R$ 7,98 166,88%
Cebola (Kg) R$ 2,45 R$ 5,99 144,48%

Dicas e direitos
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgou, nesta terça-feira (29/1), a primeira pesquisa do ano com preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital. Em janeiro, a soma média dos 60 itens pesquisados, ficou em R$ 439,23. O levantamento, que foi realizado nos dias 14 e 15 de janeiro, pode ser consultado pelo aplicativo "Proconomizar", que está disponível nas versões androi e iOS, bem como pelo portal da Prefeitura de Fortaleza.

Na pesquisa de janeiro, o Procon também encontrou altas variações entre os estabelecimentos visitados. O quilo do alho, por exemplo, pode variar até 321,56%, sendo encontrado de R$ 6,40 à R$ 26,98. Outro item de elevada variação é o mamão, que pode custar de R$ 0,99 à R$ 3,49, conferindo um diferença de até 252,52%. Consulte todos os preços aqui.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, lembra a necessidade de pesquisar. "O mês de janeiro é um período de pagamento de taxas, impostos e despesas escolares. E isto impacta no bolso do consumidor. Daí a necessidade de verificar onde são praticados os melhores preços", orientou.

Maiores variações

PRODUTO MENOR PREÇO MAIOR PREÇO VARIAÇÃO
Alho (Kg) R$ 6,40 R$ 26,98 321,56%
Mamão (Kg) R$ 0,99 R$ 3,49 252,52%
Tomate (Kg) R$ 2,59 R$ 7,99 208,49%
Pimentão (Kg) R$ 2,98 R$ 7,98 167,78%
Laranja (kG) R$ 1,89 R$ 4,49 137,56%


Onde está mais barato

PRODUTO MENOR PREÇO LOCALIZAÇÃO
Açúcar R$ 1,99 Regional V
Arroz R$ 2,68 Regional I
Azeite de oliva R$ 19,49 Regional II
Biscoito doce R$ 3,09 Regional II
Bolacha salgada R$ 3,59 Regional V
Café R$ 4,29 Regional III
Farinha de mandioca R$ 2,49 Regional III
Farinha de milho R$ 0,79 Regional II
Feijão R$ 4,29 Regional V
Leite caixa R$ 2,58 Regional I
Publicado em Economia

Vinhos, queijos, panetones, carnes e peixes, e ainda espumantes e refrigerantes. A última pesquisa do ano em supermercados do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgada nesta segunda-feira (17/12), traz preços de 58 itens para as ceias de Natal e Réveillon. No levantamento, que contempla todas as Regionais de Fortaleza, o Procon identificou variação de até 127,47% no preço da azeitona (200g), que pode ser comprada de R$ 6,59 a R$ 14,99. O Procon orienta que o consumidor adquira os produtos com antecedência para fugir da alta de preços, que pode ocorrer por conta do aumento da procura desses itens.

O levantamento, que foi realizado entre os dias 10 e 14/12, também aponta variações acima de cem por cento em outros dois produtos. O quilo da uva, por exemplo, pode ser comprado de R$ 4,69 a R$ 9,98, uma variação de 112,79%. O espumante, de 750ml, também apresenta alta diferença de preços, indo de R$ 39,90, no estabelecimento mais barato a R$ 79,90, no mais caro, ou seja, 100,25% de variação.

Confira aqui todos os itens pesquisados 

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, comenta que há uma tendência de aumento de preços para os dias mais próximos do Natal e Réveillon. "Alguns produtos podem variar até o dobro entre os supermercados pesquisados. Portanto, orientamos que, com bastante atenção, o consumidor consulte a pesquisa e avalie os preços de cada item".

A Diretora também alerta que é preciso cautela nas compras de fim de ano, a fim de evitar o superendividamento. "No mês de janeiro, várias despesas compulsórias já somam no orçamento doméstico, como matrículas escolares, tributos e impostos", disse.

Peru e chester
O tradicional peru da ceia natalina, pode variar até 22,88%, sendo encontrado de R$ 20,41 a R$ 25,08, o quilo do produto já temperado. A ave chester desossada, varia um pouco mais no preço, indo de R$ 16,98 a R$ 27,18, o quilo.

PRODUTO

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

Azeitona preta

R$ 6,59

R$ 14,99

127,47%

Uva

R$ 4,69

R$ 9,98

112,79%

Espumante 1

R$ 39,90

R$ 79,90

100,25%

Espumante 2

R$ 8,80

R$ 17,29

96,48%

Maça Argentina

R$ 7,95

R$ 13,98

75,85%

Vinho

R$ 27,89

R$ 48,59

74,22%

Azeitona verde

R$ 6,88

R$ 11,98

74,13%

Queijo coalho

R$ 27,88

R$ 46,25

65,89%

Bombons

R$ 7,99

R$ 12,99

62,58%

Ave Chester

R$ 16,98

R$ 27,18

60,07%

Dicas
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgou, nesta segunda-feira (10/12), a pesquisa mensal com preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital. Em dezembro, os preços subiram 3,76%. A soma da média dos 60 itens pesquisados, ficou em R$ 442,07, enquanto que, em novembro, esse valor era de R$ 426,07. A pesquisa foi feita de 3 a 5 de dezembro e pode ser acessada pelo aplicativo "Proconomizar", que está disponível nas versões Androi e iOS. Pelo app, é possível pesquisar preços por Regionais e ainda elaborar uma lista de produtos, de acordo com a necessidade individual do consumidor.

O levantamento de Dezembro também indica que os preços subiram mais na Regional do Centro. Os 60 produtos pesquisados mensalmente passaram de R$ 478,47, em novembro, para R$ 506,37, em dezembro, indicando uma alta de 5,83%. Isso representa quase o dobro da média geral que ficou no patamar de 3,76%.

Preços por regionais

REGIONAL

PREÇO MÉDIO

Regional do Centro

R$ 506,37

Regional II

R$ 451,01

Secretaria Regional V

R$ 449,95

Regional III

R$ 446,76

Regional VI

R$ 445,21

Secretaria Regional I

R$ 394,74

Secretaria Regional IV

R$ 375,75

Para a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, a elevação de preços, no Centro, pode estar relacionada ao aumento da procura de produtos para as ceias de Natal e Réveillon. "Certamente, os consumidores podem já estar procurando produtos para as comemorações de fim de ano, e isto influencia na alta dos preços", comentou.

Cláudia Santos adianta ainda que o Procon deve divulgar nos próximos dias uma pesquisa com preços de itens para as ceias de Natal e Réveillon.

Também em dezembro, as maiores variações dos produtos pesquisados ficaram por conta da banana, que pode ser encontrada de R$ 1,58 a R$ 5,99, indicando uma variação de 279,11%. Em seguida, vem o abacaxi, sendo comprado de R$ 1,99 a R$ 6,99, conferindo uma diferença de 251,25%.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

Banana

R$ 1,58

R$ 5,99

279,11%

Abacaxi

R$ 1,99

R$ 6,99

251,25%

Cenoura

R$ 1,98

R$ 5,98

202,02%

Pimentão

R$ 2,78

R$ 7,89

181,81%

Alho

R$ 9,90

R$ 26,98

172,52%

Batata

R$ 1,99

R$ 5,39

170,85%

Mamão

R$ 1,48

R$ 3,95

166,89%

Tomate

R$ 2,99

R$ 6,99

133,77%

Farinha

R$ 1,98

R$ 4,59

131,81%

Confira todos os preços aqui.

Acumulado de 12 meses
O Procon também realizou a análise do acumulado de doze meses. Os preços de alimentos e produtos nos supermercados de Fortaleza subiram, em 2018, 12,94%. Confira abaixo a o comparativo.

MÊS

VALOR

VARIAÇÃO

Janeiro

R$ 390,25

-

Fevereiro

R$ 412,35

5,66%

Março

R$ 395,43

-4,1%

Abril

R$ 403,01

1,92%

Maio

R$ 414,87

2,94%

Junho

R$ 413,52

-0,32%

Julho

R$ 430,31

4,06%

Agosto

R$ 423,69

-1,54%

Setembro

R$ 425,48

0,42%

Outubro

R$ 425,56

0,02%

Novembro

R$ 426,07

0,12%

Dezembro

R$ 442,07

3,76%

Variação média

 

12,94%

Publicado em Economia
Alho, banana e cenoura podem ser encontrados por até 281% de diferença
Alho, banana e cenoura podem ser encontrados por até 281% de diferença

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta segunda-feira (12/11), a pesquisa do mês de novembro com preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital. Em relação ao mês passado, quando a média de todos os 60 itens ficou em R$ 425,56, o Procon identificou uma discreta elevação de 0,12%, tendo em vista que, neste último levantamento, realizado entre os dias 6/11 e 8/11, os produtos pesquisados somaram R$ 426,07.

Alho, banana e cenoura podem ser encontrados por até 281% de diferença. Em outros alimentos (mamão, batata, farinha de mandioca e abacaxi), a pesquisa também identificou variações acima de cem por cento.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

Banana

R$ 1,57

R$ 5,99

281,52%

Alho

R$ 7,90

R$ 26,99

241,64%

Cenoura

R$ 1,89

R$ 5,98

216,40%

Mamão

R$ 1,48

R$ 3,59

142,56%

Batata

R$ 1,68

R$ 3,99

137,50%

Farinha

R$ 2,19

R$ 4,59

109,58%

Abacaxi

R$ 1,98

R$ 3,99

101,51%

Confira todos os preços aqui

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, orienta que o consumidor já comece a estocar os produtos da ceia de Natal e Réveillon. "Já é possível economizar, optando pelos produtos mais em conta para as festas de fim de ano", afirma. Ela também adiantou que no próximo mês de dezembro, o Procon vai trazer uma pesquisa com itens da ceia de Natal e Réveillon.

No comparativo entre as regionais, a Regional VI continua apresentando os preços mais altos. Já na Regional IV, estão os preços mais baixos.

REGIONAL

MÉDIA TOTAL

Regional VI

R$ 506,60

Regional do Centro

R$ 478,47

Regional III

R$ 465,36

Regional V

R$ 436,19

Regional I

R$ 400,64

Regional II

R$ 379,94

Regional IV

R$ 341,17

Errata
Na pesquisa de outubro, divulgada no dia 24/10, divulgamos a soma total dos itens em R$ 427,56, indicando elevação de 0,49% nos preços de produtos e alimentos dos supermercados, em relação ao mês de setembro, quando a soma total dos preços ficou em R$ 425,48.

Após a divulgação, os técnicos responsáveis pela pesquisa, identificaram um erro na digitação do preço do frango, alterando assim todo o resultado final da pesquisa.

Deste modo, a média da soma de todos os itens na pesquisa de outubro ficou em R$ 425,56, indicando uma elevação de 0,02% dos preços, em relação ao mês imediatamente anterior (setembro), quando a soma total dos preços ficou em R$ 425,48.

 

Publicado em Economia

A nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgada, nesta quarta-feira (24/10), indica uma elevação de 0,49% nos preços de produtos e alimentos dos supermercados. No mês passado, a soma total dos preços ficaram em R$ 425,48. Neste último levantamento, realizado entre os dias 9 e 11/10, a soma de todos os 60 produtos ficou em R$ 427,56.

A Regional VI, onde estão bairros como Aerolândia, Passaré e Messejana, por exemplo, continua apresentando os preços mais elevados, se comparado com a pesquisa anterior. A pesquisa do Procon é dividida em itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil.

Consulte todos os preços aqui.

Preços por regionais
Regional                   Média total
Regional VI               R$ 492,40
Regional do Centro    R$ 450,95
Regional II                R$ 446,23
Regional V                R$ 438,16
Regional III               R$ 422,83
Regional I                 R$ 384,55
Regional IV               R$ 317,92

O Procon ressalta que a variação de preços nos supermercados pode estar relacionada, além da concorrência entre os supermercados, à falta ou reposição de itens pesquisados, bem como à promoções e ofertas em dias específicos da semana.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, lembra que uma boa pesquisa pode representar uma grande economia. "As compras começam ainda dentro de casa. Basta o consumidor acessar os dados pelo aplicativo Proconomizar e buscar os preços mais baratos", orientou.

A Diretora explica ainda que com o aplicativo Proconomizar, o consumidor pode selecionar uma lista individual de produtos, a partir de sua preferência ou necessidade. O app já está disponível na plataforma android e em implantação na iOS.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

Cebola

R$ 0,72

R$ 3,49

384,72%

Frango

R$ 6,39

R$ 26,90

320,97%

Banana

R$ 1,68

R$ 5,99

256,54%

Alho

R$ 9,90

R$ 33,50

238,38%

Batata

R$ 1,38

R$ 3,99

189,13%

Tomate

R$ 2,98

R$ 7,98

167,78%

Cenoura

R$ 1,68

R$ 4,49

167,26%

Farinha

R$ 1,89

R$ 4,59

142,85%

Laranja

R$ 1,68

R$ 3,99

137,50%

Mamão

R$ 1,68

R$ 3,99

137,50%

Abacaxi

R$ 1,98

R$ 4,49

126,76%

Refrigerante

R$ 2,99

R$ 5,99

100,33%

 

 

Publicado em Economia

A primeira pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) publicada no aplicativo "Proconomizar" indica um leve aumento de preços nos supermercados da Capital. Isso porque a soma média dos 60 produtos e alimentos pesquisados mensalmente pelo Procon ficou, no mês de setembro, em R$ 425,48, uma alta de 0,42% se comparada ao mês anterior, quando a somá média era de R$ 423,69.

O levantamento de setembro, realizado entre os dias 12 e 14, também indica que a Regional VI reúne os preços mais elevados, custando até R$ 474,39 a soma de todos os itens. Já os bairros da Regional IV apresentam os menores preços, somando R$ 284,47.

A variação de preços pode estar relacionada, além da concorrência entre os supermercados, à falta de itens pesquisados, bem como a promoções e ofertas. Por isso pode haver diferença entre os preços coletados e os preços encontrados pelos consumidores nos supermercados, não caracterizando prática abusiva.

No comparativo entre os mesmos produtos e mesma especificação de marcas, a diferença de preços chega a 334,05%. É o caso do quilo da banana, que pode ser encontrada de R$ 1,38 à R$ 5,99. A farinha de mandioca também apresenta alta variação, sendo comprada de R$ 1,98 à R$ 8,25, o quilo.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, acredita que ficou mais fácil para o consumidor pesquisar preços nos supermercados. "Agora, na palma da mão, o consumidor pode acompanhar os preços, inclusive, antes de sair de casa, avaliando a distância e os locais pesquisados". A Diretora adianta que o Procon está avaliando aumentar a quantidade de estabelecimentos, o que vai favorecer mais consumidores.

Metodologia
O Procon Fortaleza pesquisa mensalmente produtos nos supermercados da capital com coleta de preços presencial, de diferentes marcas e tipos, divididos em alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica ou cuidados e higiene infantis.

Consulte todos os preços aqui.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO MENOR MAIOR VARIAÇÃO
Banana R$ 1,38 R$ 5,99 334,05%
Farinha R$ 1,98 R$ 8,25 316,66%
Cebola R$ 0,89 R$ 3,48 291,01%
Cenoura R$ 1,89 R$ 5,98 216,40%
Batata R$ 1,39 R$ 4,19 201,43%
Pimentão R$ 1,88 R$ 5,29 181,38%
Abacaxi  R$ 1,98 R$ 4,98 151,51%
Laranja R$ 1,69 R$ 3,99 136,09%
Alho        R$ 12,98 R$ 30,50 134,97%
Tomate R$ 2,38 R$ 4,98 109,24%

Dicas e direitos nos supermercados

- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia
Página 1 de 3