Quilo da banana nos supermercados
A banana foi encontrada de R$ 1,99 a R$ 6,99, uma diferença que chega a 251% no preço do quilograma

O novo levantamento de preços nos supermercados da capital cearense, realizado pelo Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) e divulgado nesta terça-feira (02/08), mostra que 18 produtos, dos 70 pesquisados mensalmente, apresentam variações acima de 100%. É o caso da banana, que foi encontrada de R$ 1,99 a R$ 6,99, uma diferença que chega a 251% no preço do quilograma. A cenoura também apresenta alta variação, podendo custar até 207% de diferença, indo de R$ 2,99 a R$ 9,19.

Consulte a pesquisa completa, que também pode ser acessada no aplicativo Proconomizar, nas plataformas android e iOS. A coleta de preços foi realizada entre os dias 13 e 22 de julho, em 24 supermercados das 12 Regionais de Fortaleza.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Banana (Kg) R$ 1,99 R$ 6,99 251,25%
Cenoura (Kg) R$ 2,99 R$ 9,19 207,35%
Talco infantil (200g) R$ 11,39 R$ 31,99 180,86%
Abacaxi (Un) R$ 2,99 R$ 7,99 167,22%
Tomate (Kg) R$ 3,49 R$ 8,98 157,30%

Entre as regionais de Fortaleza, bairros como Dias Macêdo, Itaperi e Serrinha, localizados na Regional 8, apresentam a maior média de preços dos 70 produtos, custando os itens cerca de R$ 823,23. Já na Regional 1, onde ficam bairros como Barra do Ceará, Floresta e Vila Velha, foram encontrados os menores preços, totalizando os mesmos produtos R$ 658,47.

Preços por Regionais

Regional Preço médio total
Regional 8 R$ 823,23
Regional 12 R$ 818,59
Regional 9 R$ 817,00
Regional 5 R$ 805,71
Regional 6 R$ 801,16
Regional 11 R$ 783,31
Regional 10 R$ 782,51
Regional 7 R$ 743,08
Regional 2 R$ 734,80
Regional 3 R$ 714,86
Regional 4 R$ 673,49
Regional 1 R$ 658,47

A diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, comenta que uma boa dica para economizar pode ser compras pela internet ou aplicativos de descontos. Ela também alerta a cuidados e garantias no comércio eletrônico. "Se a compra for realizada fora do estabelecimento físico, ou seja, internet, catálogo ou telefone, o consumidor pode desistir da compra do produto, mesmo sem motivo algum. É o chamado direito de arrependimento", explica.

Metodologia
O Procon acompanha, mensalmente, 70 produtos considerados essenciais, divididos por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil. A pesquisa é informativa e possibilita ao consumidor optar por estabelecimentos que ofereçam preços mais baratos.

Dicas e direitos nos supermercados
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças. Isto pode influenciar sua decisão de compra
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito
- Confira a data de validade dos produtos
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzem o consumidor à compra. Portanto, evite-os
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida

Publicado em Economia

O novo levantamento de preços nos supermercados da capital cearense, realizado pelo Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) e divulgado nesta quinta-feira (30/06), mostra que a variação de preços entre os supermercados chega a 308,17%, como é o caso do quilo do mamão, que pode ser encontrado de R$ 1,59 a R$ 6,49. Os preços foram coletados presencialmente, de 13 a 23 de junho, em 24 supermercados das 12 Regionais de Fortaleza.

Cenoura, tomate, pimentão e cebola também puxam as maiores variações de preços, conferindo diferença de preços acima de 180%.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Mamão (Kg) R$ 1,59 R$ 6,49 308,17%
Cenoura (Kg) R$ 2,99 R$ 9,99 234,11%
Tomate (Kg) R$ 3,99 R$ 11,99 200,50%
Pimentão (Kg) R$ 3,35 R$ 9,99 198,20%
Cebola (Kg) R$ 3,18 R$ 8,99 182,70%

Pesquisa completa.

Todos os preços também estão disponíveis no aplicativo Proconomizar, nas plataformas Android e iOS. O Procon acompanha, mensalmente, 70 produtos considerados essenciais, divididos por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil. A pesquisa é informativa e possibilita ao consumidor optar por estabelecimentos que ofereçam preços mais baratos.

Entre os bairros de Fortaleza, a Regional 12 (Praia de Iracema, Centro e Moura Brasil) apresentou os maiores preços em junho, custando a média dos 70 itens, R$ 821,30. Já na Regional 1 (Álvaro Weyne, Floresta e Jardim Guanabara) foram encontrados os menores preços, somando R$ 622,96, a média dos produtos pesquisados.

Preços por Regionais

Regional Preço médio total
Regional 12 R$ 821,30
Regional 8 R$ 806,24
Regional 6 R$ 791,57
Regional 5 R$ 791,18
Regional 11 R$ 790,21
Regional 9 R$ 785,30
Regional 10 R$ 778,34
Regional 7 R$ 742,48
Regional 2 R$ 740,51
Regional 3 R$ 667,43
Regional 4 R$ 659,09
Regional 1 R$ 622,96

Para a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, optar por dias de ofertas de frutas, legumes e carnes pode ser uma saída para fugir dos altos preços. "Os dias de ofertas e promoções nos supermercados podem representar uma boa economia. Sendo assim, vale a pena organizar uma lista de compras semanais, atentando para o mínimo de desperdício possível", orientou.

Dicas e direitos nos supermercados
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças. Isto pode influenciar sua decisão de compra;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzem o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia

A nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgada nesta terça-feira (07/06), aponta que os preços de alimentos e produtos nos supermercados alcançaram alta de R$ 10,26%, em maio, quando comparados com o início do ano. Entre janeiro e maio, os 70 itens pesquisados mensalmente passaram de R$ 657,16 para R$ 724,60. Pelo menos 18 produtos apresentaram variações de preços acima de 100%. Este último levantamento foi realizado entre os dias 09 e 20/05.

Pesquisa completa.

Todos os preços também estão disponíveis no aplicativo Proconomizar, nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza, no Catãlogo de Serviços (categoria Defesa do Consumidor).

Nas Regionais 3 e 4 foram encontrados os produtos mais baratos, somando os itens R$ 617,45 e R$ 622,59, respectivamente. Enquanto isso, nas Regionais 9 e 5, os mesmos produtos somam R$ 792,38 e R$ 790,93, respectivamente. O Procon ressalva que, nesta análise a quantidade de itens em falta nos supermercados pode afetar a média da somatória.

Preços por Regionais

Regional Preço médio total
Regional 9 R$ 792,38
Regional 5 R$ 790,93
Regional 6 R$ 785,94
Regional 12 R$ 777,57
Regional 8 R$ 774,39
Regional 11 R$ 767,94
Regional 10 R$ 733,73
Regional 7 R$ 696,33
Regional 1 R$ 684,89
Regional 2 R$ 651,03
Regional 4 R$ 622,59
Regional 3 R$ 617,45

Entre os 70 itens, 18 apresentaram variações acima de 100%. O mesmo sabonete infantil, de 80g, pode ser encontrado de R$ 3,89 a R$ 12,49, uma variação de 221,07%. O quilo do pimentão, também apresenta alta diferença de preço, podendo custar de R$ 3,98 a R$ 11,19, uma variação de 181,15%.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Sabonete infantil (80g) R$ 3,89 R$ 12,49 221,07%
Pimentão (Kg) R$ 3,98 R$ 11,19 181,15%
Abacaxi (Un) R$ 3,49 R$ 9,39 169,05%
Tomate (Kg) R$ 4,98 R$ 12,99 160,84%
Banana (Kg) R$ 2,49 R$ 6,45 159,92%

A diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, orienta que os consumidores façam uma pesquisa prévia antes de ir ao supermercado. "Planejar as compras é o melhor caminho para alcançar uma economia. Não compre o que não está precisando ou fácil de desperdiçar. Muita atenção com legumes e verduras. Só compre o que realmente vá consumir".

Eneylândia também lembra que os supermercados são obrigados a cumprir ofertas e publicidade de encartes e anúncios. "Toda oferta deve ser cumprida. E caso o consumidor encontre divergência do preço anunciado com o valor registrado no caixa, deve pagar o menor valor", explicou a Diretora.

O Procon pesquisa, mensalmente, 70 produtos e alimentos considerados mais essenciais. A coleta de preços é feita presencialmente em todas as regionais de Fortaleza.

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta terça-feira (03/05), o levantamento de preços do mês de abril, nos supermercados da Capital. Regionais 1, 3 e 4 possuem os menores preços, de acordo com o levantamento realizado entre os dias 18 e 25 de abril. O Procon pesquisa, mensalmente, 70 produtos e alimentos considerados de primeira necessidade. A coleta de preços é feita presencialmente em todas as regionais de Fortaleza.

Na Barra do Ceará e no Carlito Pamplona, foram encontrados os preços mais baratos, somando os 70 itens consultados R$ 599,42, enquanto que na Cidade dos Funcionários e em Messejana, ambos na Regional 6, estão os maiores preços (R$ 784,75).

Preços por Regionais

Regional Preço médio total
Regional 6 R$ 784,75
Regional 9 R$ 780,83
Regional 5 R$ 762,39
Regional 8 R$ 745,13
Regional 11 R$ 739,97
Regional 12 R$ 722,82
Regional 7 R$ 712,86
Regional 10 R$ 710,12
Regional 2 R$ 638,19
Regional 3 R$ 629,00
Regional 4 R$ 627,66
Regional 1 R$ 599,42

Pesquisa completa

Todos os preços estão disponíveis no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza, na aba de defesa do consumidor.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Alho (Kg) R$ 15,90 R$ 59,00 271,06%
Queijo mussarela (Kg) R$ 19,90 R$ 54,99 176,33%
Goiabada (300g) R$ 2,59 R$ 6,99 169,88%
Achocolatado em pó (200g) R$ 3,99 R$ 9,99 150,37%
Macarrão (500g) R$ 2,49 R$ 5,85 134,93%

A diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, sugere que o consumidor realize compras em dias de ofertas e promoções e alerta para direitos nas compras em supermercados. "O consumidor possui o direito de pagar pelo valor anunciado e havendo divergência de preços deve sempre pagar o menor valor", explicou.

Eneylândia lembra que a compra por aplicativos e pela internet também pode representar uma economia. "Muitos supermercados disponibilizam cupons de descontos. O ideal é verificar se realmente foi aplicado alguma redução de preço ou trata-se de uma publicidade enganosa". Nestes casos, a Diretora pede que o consumidor denuncie ao Procon pelo telefone 151 ou no portal da Prefeitura de Fortaleza, no Catálogo de Serviços (aba Defesa do Consumidor).

Publicado em Economia
Em pouco mais de um ano, os preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital sofreram alta de até 817,35%
Dos 61 produtos que se repetiram na pesquisa de fevereiro do ano passado e no levantamento de março deste ano, nenhum teve redução de preço (Foto: Rodrigo Carvalho)

Em pouco mais de um ano, os preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital sofreram alta de até 817,35%. É o que revela um estudo inédito do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgado nesta quarta-feira (30/03). O órgão comparou os menores preços dos produtos, em fevereiro do ano passado, com os maiores preços registrados na última pesquisa, realizada entre os dias 07 e 10 de março.

O quilo do mamão subiu oito vezes no período analisado, indo de R$ 0,98 a R$ 8,99, uma variação de 817,35%. A cenoura também apresentou alta variação em pouco mais de um ano, saindo de R$ 2,99 (kg), em fevereiro do ano passado, para R$ 12,99 (kg), agora em março, ou seja, 334,45% de diferença. Em seguida, o quilo da cebola apresentou variação de 209,36%, no mesmo período, indo de R$ 2,99 para R$ 9,25.

Refrigerantes, arroz e feijão foram os itens que menos variaram de preços no período, subindo respectivamente de R$ 6,99 para R$ 7,99 (14,31%), R$ 4,99 para R$ 5,99 (20,04%) e R$ 6,75 para R$ 8,49 (25,78%).

Segundo a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, uma boa dica é optar por frutas e legumes da estação, pois a grande oferta desses produtos pode baratear o custo. Ela também esclarece direitos dos consumidores. "Os supermercados são obrigados a cumprir ofertas e promoções. Portanto, o consumidor deve guardar encartes e anúncios e exigir o cumprimento. Outra saída para fugir da alta de preços é comprar em dias de ofertas de carnes, frutas e verduras", sugeriu Eneylândia.

Dos 61 produtos que se repetiram na pesquisa de fevereiro do ano passado e no levantamento de março deste ano, nenhum teve redução de preço. Pelo menos 20 produtos subiram mais de 100%. O Procon realizou o comparativo com fevereiro do ano passado, pois em março de 2021 não foi realizada pesquisa de campo devido aos cuidados de isolamento social para contenção da Covid-19.

Maiores variações (fevereiro de 2021 e março 2022)

Produto

Menor preço

fevereiro de 2021

Maior preço

março de 2022

Variação
Mamão (kg) R$ 0,98 R$ 8,99 817,35%
Cenoura (kg) R$ 2,99 R$ 12,99 334,45%
Cebola pera (kg) R$ 2,99 R$ 9,25 209,36%
Esponja de aço (60g) R$ 1,29 R$ 3,99 209,30%
Alho (kg) R$ 13,90 R$ 38,50 176,98%

Quando comparados todos os itens, o menor preço total dos 61 produtos ficou em R$ 542,98, em fevereiro do ano passado, enquanto que em março deste ano, os mesmos produtos somam R$ 971,80, uma variação de 78,98%.

Café da manhã

Preços de alimentos básicos do café da manhã também apresentam alta variação em pouco mais de um ano. O pote de margarina, por exemplo, subiu de R$ 3,99, em fevereiro do ano passado, para R$ 9,35, em março deste ano, uma variação de 134,34%. A bandeja de ovos, com 20 unidades, passou de R$ 7,99 para R$ 17,99 (125,16%). Já o pacote de café subiu de R$ 4,19 para R$ 9,39 (124,11%). O pão francês carioquinha saiu de R$ 12,39 para R$ 16,99 (37,13%). Caso o consumidor opte por uma fruta no café da manhã, o quilo da banana saltou de R$ 2,99 para R$ 6,45 (115,72%).

Análise mensal

Em março deste ano, alimentos e produtos pesquisados pelo Procon continuam mais caros na Regional 6, onde ficam bairros como Cambeba, Cidade dos Funcionários e Messejana, repetindo a maior alta, nas regionais, registrada no mês passado. O valor total dos itens nesses bairros ficou em R$ 758,06, enquanto na Regional 4, em bairros como Aerolândia, Fátima e Parreão, os produtos somam R$ 600,57. A Regional 4 também foi o local com os preços mais baratos no mês passado.

Preços por Regionais

Regional Preço médio total
Regional 6 R$ 758,06
Regional 11 R$ 727,36
Regional 9 R$ 726,31
Regional 7 R$ 720,55
Regional 12 R$ 697,34
Regional 5 R$ 696,81
Regional 10 R$ 694,11
Regional 8 R$ 693,45
Regional 2 R$ 688,19
Regional 3 R$ 650,69
Regional 1 R$ 626,15
Regional 4 R$ 600,57

Dicas e direitos nos supermercados

- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças. Isto pode influenciar sua decisão de compra;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzem o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia
Mamão, banana e laranja apresentam as maiores variações, em Fevereiro, com 364%, 221% e 178%, respectivamente
Mamão, banana e laranja apresentam as maiores variações, em Fevereiro, com 364%, 221% e 178%, respectivamente (Foto: Rodrigo Carvalho)

Pelo menos 18 produtos, dos 70 pesquisados mensalmente pelo Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), apresentaram variações acima de 100%. É o que revela o novo levantamento, realizado entre os dias 01 e 10 de fevereiro, e divulgado nesta quinta-feira (17/02). Mamão, laranja e banana apresentam as maiores variações, em Fevereiro, com 364%, 221% e 178%, respectivamente. O Procon orienta que o consumidor opte por dias de promoção e ofertas e realize um comparativo de preços antes de sair às compras. Supermercados são obrigados a cumprir preços anunciados.

Quando analisados os preços dos produtos individualmente, a pesquisa aponta que os alimentos estão mais baratos em bairros da periferia de Fortaleza. O quilograma do mamão, por exemplo, está mais em conta no bairro Siqueira, custando R$ 1,29, enquanto que a mesma quantidade é encontrada, na Aldeota, por R$ 5,99, uma diferença de 364,34%. Outro produto que apresenta alta variação de preços é a banana, cujo quilograma pode ser comprado de R$ 1,99, no Jangurussu, a R$ 6,39, na Aldeota, conferindo uma diferença de 221,10%. Já a laranja pode ser encontrada de R$ 1,79, no bairro Passaré, a R$ 4,99, na Aldeota, uma variação de 178,77% no preço do quilograma da fruta.

Pesquisa completa com os 70 produtos

Todos os preços estão disponíveis no aplicativo Proconomizar, nas plataformas Android e iOS, bem como no Catálogo de Serviços do Portal da Prefeitura de Fortaleza

Maiores variações

Produto Menor preço (bairro) Maior preço (bairro) Variação
Mamão (Kg R$ 1,29 (Siqueira) R$ 5,99 (Aldeota) 364,34%
Banana (Kg) R$ 1,99 (Jangurussu) R$ 6,39 (Aldeota) 221,10%
Laranja (Kg) R$ 1,79 (Passaré) R$ 4,99 (Aldeota) 178,77%
Batata (Kg) R$ 3,39 (Jangurussu) R$ 8,99 (C. dos Funcionários) 165,19%
Mortadela (Kg) R$ 6,99 (Rodolfo Teófilo) R$ 18,48 (Aldeota) 164,37%

O Procon também realiza uma análise de preços por regionais. Nesse levantamento, a média de preços dos supermercados da Regional 6, onde ficam bairros como Cambeba, Cidade dos Funcionários e Messejana,  apresentou a maior somatória, custando os 70 produtos cerca de R$ R$ 765,92. Já na Regional 4, em bairros como Aerolândia, Fátima e Parreão, os mesmos itens somaram R$ 552,15. O Procon ressalta que a quantidade de itens em falta por supermercado pode afetar a média de preços por Regionais.

Preços por Regionais

Regional Preço médio total
Regional 6 R$ 765,92
Regional 8 R$ 743,05
Regional 9 R$ 726,27
Regional 12 R$ 709,73
Regional 11 R$ 690,04
Regional 5 R$ 674,20
Regional 2 R$ 664,51
Regional 7 R$ 648,02
Regional 3 R$ 647,86
Regional 1 R$ 632,84
Regional 10 R$ 587,48
Regional 4 R$ 552,15

Dicas e direitos nos supermercados
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças. Isto pode influenciar sua decisão de compra;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta segunda-feira (31/01), a primeira pesquisa do ano com preços de produtos nos supermercados da Capital. O levantamento, realizado entre os dias 11 e 21 de janeiro traz novidades, como a quantidade de estabelecimentos pesquisados, que passou de 12 para 24, além da ampliação dos produtos consultados mensalmente, saindo de 61 para 70 itens.

Supermercados dos bairros Coité, Barra do Ceará, Presidente Kennedy e Mondubim entram na lista de locais pesquisados mensalmente, somando-se a outros bairros como Aldeota, Conjunto Ceará, Fátima, entre outras regiões. A ideia do Procon é continuar pesquisando preços em todas as regionais de Fortaleza. Produtos como farinha de trigo, mortadela, goma para tapioca e achocolatado também entram na lista de itens pesquisados.

Em janeiro, 15 produtos apresentaram variações de preços a partir de cem por cento. O quilo da mortadela, por exemplo, pode ser encontrado de R$ 5,99, no bairro Jangurussu a R$ 26,90, no bairro Maraponga, uma diferença de 349%. Já o quilo do sabão em barra custa de R$ 5,59, no bairro Carlito Pamplona a R$ 20,99, no bairro Aldeota, conferindo uma variação de 275%.

Consulte a pesquisa completa com os 70 produtos. Todos os preços estão disponíveis no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza, na aba de defesa do consumidor.

Maiores variações

Produto Menor preço (bairro) Maior preço (bairro) Variação
Mortadela (Kg) R$ 5,99 (Jangurussu) R$ 26,90 (Maraponga 349,08 %
Sabão barra (Kg) R$ 5,59 (Carlito Pamplona) R$ 20,99 (Aldeota) 275,49 %
Banana (Kg) R$ 1,99 (Barra do Ceará R$ 6,99 (Passaré) 251,25 %
Mamão (Kg) R$ 1,99 (Monte Castelo) R$ 5,89 (Messejana) 195,97 %
Queijo coalho (Kg) R$ 17,99 (Centro) R$ 48,00 (Aldeota) 166,81 %

A diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, comenta que a ampliação de supermercados e itens pesquisados vai possibilitar maiores opções para o consumidor. "Quanto maior a oferta de estabelecimentos e produtos melhor para o consumidor, que tem o poder de compra. A escolha por locais com preços mais baratos pode forçar o mercado a reduzir os valores praticados, e isso é muito bom para uma economia nos gastos com alimentação", disse.

Metodologia
A pesquisa do Procon Fortaleza é informativa e possibilita ao consumidor optar por estabelecimentos que ofereçam preços mais baratos. O levantamento é realizado presencialmente e dividido por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil.

Dicas e direitos nos supermercados
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia
pesquisador do Procon observa uma ave congelada
O levantamento traz preços de 59 itens, entre queijos, enlatados, vinhos e espumantes, bem como os tradicionais perus e outras aves (Foto: Rodrigo Carvalho)

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta quarta-feira (22/12), uma pesquisa com os produtos mais procurados para as ceias de Natal e Réveillon. A diferença de preços pode chegar a 196%, como é o caso da uva, encontrada de R$ 4,79 a R$ 14,19. O levantamento, realizado entre os dias 13 e 17 de dezembro nas 12 regionais de Fortaleza, traz preços de 59 itens, entre queijos, enlatados, vinhos e espumantes, bem como os tradicionais perus e outras aves. O Procon também traz orientações sobre dicas e direitos nas compras de fim de ano e na troca de presentes.

Uvas, vinhos, farofas prontas, pêssego e abacaxi são os itens das ceias de Natal e Réveillon com maior variação de preços, registrando diferença de mais de 100% entre os supermercados pesquisados.

Maiores variações Ceias de Natal e Réveillon

Produto Menor valor Maior valor Variação
Uva (400g) tipo I R$ 4,79 R$ 14,19 196%
Uva (400g) tipo II R$ 6,99 R$ 19,98 186%
Vinho (750ml) R$ 5,99 R$ 16,99 184%
Farofa pronta (Kg) R$ 3,19 R$ 7,49 135%
Pêssego em calda (400g) R$ 10,19 R$ 22,45 120%
Abacaxi (Un) R$ 3,19 R$ 6,99 119%

Entre aves e peixes, a ave "chester", apresenta a maior variação, 36%, sendo encontrada de R$ 27,98 a R$ 37,98, o quilograma. O peru, outro item bastante procurado, pode ser encontrado de R$ 23,48 a R$ 29,69, uma variação de 26%. Já o peixe bacalhau tipo "saithe" pode variar até 57%, custando o preço mais barato R$ 45,99 e o preço mais alto R$ 72,29.

Acesse, aqui, o preço de todos os produtos da pesquisa, que está disponível no portal da Prefeitura de Fortaleza, no campo defesa do consumidor.

Entre os espumantes, o preço do mesmo produto com a mesma marca pode variar até 75%, custando de R$ 39,99 a R$ 69,90. Já os vinhos apresentam variações ainda maiores, sendo encontrado. O preço da mesma bebida e da mesma marca pode chegar a 184%, sendo encontrado de R$ 5,99 no supermercado mais barato, enquanto que no estabelecimento mais caro o produto pode custar até R$ 16,99.

Como economizar
"Quem quiser fazer uma ceia Natal ou Réveillon com economia vai ter que pesquisar", afirmou a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo. Ela alerta que os preços seguem tendência de alta, sendo preciso criatividade na hora de escolher os itens que compõem as festividades. "Qualquer economia vale a pena, ainda mais num período de despesas fixas que se aproximam, como matrículas escolares, impostos e tributos", destacou a Diretora do Procon Fortaleza.

Eneylândia Rabelo também lembra que muitos supermercados ofertam preços promocionais em aplicativos e compras pela internet, sendo esta outra opção de economia. "É muito importante que o consumidor guarde encartes publicitários e salve prints das ofertas. Os supermercados são obrigados a cumprir ofertas e promoções, sob pena de sofrer penalidades previstas no Código de Defesa do Consumidor", assegurou.

Compras e troca de presentes
Com a aproximação das festas de fim de ano, também aumentam as relações de consumo e, consequentemente, problemas com compras e troca de presentes. Confira algumas dicas e direitos.

- Produto em promoção ou liquidação, possui as mesmas garantias previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC);
- Na compra de eletroeletrônicos, peça para testar o funcionamento do aparelho ainda no interior da loja;
- Se for comprar pela internet, tenha atenção redobrada. Consulte o histórico da empresa em sites de busca e verifique se a loja informa dados como CNPJ, endereço, telefone ou e-mail;
- Nas compras feitas pela internet, por telefone ou catálogo, existe o “direito de arrependimento” para desistir da compra sem qualquer motivo. O prazo para desistência é de sete dias, a contar da data de recebimento do produto;
- No pagamento com cartão de débito/crédito, poderá haver diferenciação de preços em relação a valores pagos em dinheiro;
- A loja não é obrigada a trocar o presente que não tenha defeito. No entanto, se o vendedor afirmar que realizará a troca, em qualquer situação, o consumidor deverá solicitar por escrito;
- A garantia legal de produto/serviço não durável é de 30 dias e de produto/serviço durável é de 90 dias, de acordo com o CDC;
- A garantia legal é complementar à contratual. Portanto, se um produto tem garantia do fabricante de 12 meses, a garantia total deverá ser acrescida de mais 90 dias da garantia legal, ou seja, 15 meses;
- Se houver divergência entre o preço anunciado com o registrado no caixa, o consumidor deverá pagar o menor valor;
- Peça a nota fiscal com a discriminação do produto ou do serviço detalhadamente.

Como denunciar
Denúncias podem ser realizadas no Portal da Prefeitura de Fortaleza (www.fortaleza.ce.gov.br), no campo defesa do consumidor e, também, pelo aplicativo Procon Fortaleza e ainda pela Central de Atendimento ao Consumidor 151.

Publicado em Economia
O quilo da banana apresentou a maior variação, indo de R$ 1,98 a R$ 6,39, uma diferença de 222,72%
O quilo da banana apresentou a maior variação, indo de R$ 1,98 a R$ 6,39, uma diferença de 222,72% (Foto: Rodrigo Carvalho)

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta terça-feira (07/12), a nova pesquisa de preços nos supermercados da Capital com os 61 itens que são consultados mensalmente. O levantamento, realizado entre os dias 22 e 26 de novembro encontrou variação de preços acima de cem por cento em 15 produtos. A Regional 6, onde ficam bairros como Aerolândia, Cidade dos Funcionários e Messejana apresenta o custo mais alto somando R$ 711,41 a média de todos os produtos.

O quilo da banana apresentou a maior diferença entre os estabelecimentos pesquisados, indo de R$ 1,98 a R$ 6,39, uma diferença de 222,72%. Em seguida, a cenoura também está entre as maiores variações, custando de R$ 2,18 a R$ 5,99, o preço do quilo, ou seja, 174,77%.

Consulte, aqui, a pesquisa completa com os 61 produtos. Todos os preços estão disponíveis no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza, na aba de defesa do consumidor.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Banana (KG) R$ 1,98 R$ 6,39 222,72%
Cenoura (KG) R$ 2,18 R$ 5,99 174,77%
Tomate (KG) R$ 3,98 R$ 10,59 166,08%
Lenços (PC) R$ 12,87 R$ 31,89 147,78%
Laranja (KG) R$ 1,98 R$ 4,69 136,86%

Na análise entre bairros, a Regional 6 é a região que apresenta os maiores preços dos produtos. Em bairros como Aerolândia, Cidade dos Funcionários e Messejana a média dos 61 itens chega a custar R$ 711,41, enquanto que nos bairros da Regional 7, onde ficam Cocó, Edson Queiroz e Praia do Futuro, os mesmos produtos somam R$ 558,29. O Procon lembra que a quantidade de itens disponíveis nos supermercados pode influenciar no comparativo entre as regionais.

Preços por Regionais

Regionais Preço médio total
Regional 6 R$ 711,41
Regional 11 R$ 707,52
Regional 9 R$ 695,51
Regional 1 R$ 687,12
Regional 8 R$ 674,42
Regional 2 R$ 645,01
Regional 5 R$ 641,02
Regional 12 R$ 640,02
Regional 10 R$ 638,02
Regional 4 R$ 591,60
Regional 3 R$ 581,41
Regional 7 R$ 558,29

A diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, orienta que o consumidor tenha cautela, comprando realmente o que precisa, tendo em vista as compras de Natal e Revéillon. "Muitas despesas de fim de ano já se aproximam e a dica para economizar é evitar desperdício, optando por levar para casa os produtos mais necessários, aqueles que são indispensáveis mesmo", disse.

Metodologia
A pesquisa do Procon Fortaleza é informativa e possibilita ao consumidor optar por estabelecimentos que ofereçam preços mais baratos. O levantamento é realizado presencialmente e dividido por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil.

Dicas e direitos nos supermercados
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia
fiscal do procon em um corredor de supermercado
Levantamento é realizado presencialmente e dividido por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil (Foto: Rodrigo Carvalho)

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta terça-feira (26/10), a nova pesquisa de preços nos supermercados de Fortaleza com os 61 itens consultados mensalmente. O levantamento, realizado entre os dias 15 e 18 de outubro, aponta que os preços de alimentos e produtos estão mais caros na Regional 6, região onde ficam bairros como Aerolândia, Cambeba, Lagoa Redonda e Messejana, por exemplo. A soma da média dos 61 itens chega a R$ 710,72.

Já em bairros da Regional 1, como Álvaro Weyne, Barro do Ceará e Vila Velha, os preços dos mesmos produtos somam R$ 671,20. Confira as maiores variações entre as regionais de Fortaleza.

Preços por Regionais

Regionais Preço médio total
Regional 6 R$ 710,72
Regional 8 R$ 702,29
Regional 11 R$ 696,73
Regional 7 R$ 694,06
Regional 12 R$ 690,45
Regional 2 R$ 688,82
Regional 9 R$ 687,33
Regional 10 R$ 685,98
Regional 5 R$ 682,87
Regional 4 R$ 675,04
Regional 3 R$ 674,81
Regional 1 R$ 671,20

Segundo a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, esta é uma das menores diferenças de preços entre as regionais já constatadas pela pesquisa mensal do Procon. "Nessa pesquisa de outubro, identificamos que há uma aproximação de preços em todos os bairros e regiões de Fortaleza, como se fosse uma linearidade de valores. Vamos aguardar se a pesquisa do próximo mês traz essa tendência", comentou.

A análise individual dos preços dos produtos também reforça o comentário da Diretora. Entre os 61 produtos pesquisados, somente um item apresentou variação acima de cem por cento. É o caso do sabonete infantil, de 80g, que pode ser encontrado de R$ 2,19 a R$ 4,99, uma diferença de 127,85%. Os demais itens, se mostram com variações abaixo de cem por cento.

Acesse a pesquisa completa, que está disponível no aplicativo Proconomizar, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza. Neste link, é possível acessar outras pesquisas. 

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Sabonete infantil (80g) R$ 2,19 R$ 4,99 127,85%
Amaciante roupas (2L) R$ 11,49 R$ 22,89 99,21%
Ovos (30 unid) R$ 8,99 R$ 17,90 99,11%
Mamão (1Kg) R$ 2,49 R$ 4,59 84,33%
Cebola (1Kg) R$ 1,29 R$ 2,29 77,51%

Ainda de acordo com a diretora do Procon Fortaleza, Eneylândia Rabelo, é a primeira vez que itens industrializados assumem a liderança da variação de preços em relação a frutas, legumes e verduras, itens perecíveis e que sempre mudam muito de preços.

Medotologia
A pesquisa do Procon Fortaleza é informativa e possibilita ao consumidor optar por estabelecimentos que ofereçam preços mais baratos. O levantamento é realizado presencialmente e dividido por itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil.

Todos os preços da pesquisa estão disponíveis no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza, na aba de defesa do consumidor.

Dicas
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia
Página 1 de 5