07 de agosto de 2018 em Saúde

Prefeitura anuncia melhorias voltadas à Rede de Atenção Psicossocial de Fortaleza

Além da reforma infraestrutural do CAPS Geral da Regional IV, a iniciativa inclui a contratação de novos profissionais e a otimização da assistência farmacêutica da Capital


várias pessoas em um palco
Bate-papo entre gestores municipais, profissionais da área, pacientes e membros do Conselho Local de Saúde ocorreu no CAPS da Regional IV
A Prefeitura de Fortaleza apresentou, na noite desta segunda-feira (06/08), um conjunto de melhorias voltadas à Rede de Atenção Psicossocial da Capital. O anúncio ocorreu na sede do Centro de Assistência Psicossocial (CAPS Geral) da Regional IV, instalado na Avenida Borges de Melo, onde foi realizado bate-papo entre gestores municipais, profissionais da área, pacientes e membros do Conselho Local de Saúde.

Foram definidos encaminhamentos que visam à obediência das diretrizes propostas pela política pública. Dentre eles, destaca-se a reforma infraestrutural do CAPS Geral da Regional IV. A titular da Secretaria da Infraestrutura de Fortaleza (Seinf), Manuela Nogueira, adiantou o cronograma de execuções previsto para o equipamento. “As intervenções estão aprovadas e, tão longo sejam iniciadas, devem durar em torno de 60 dias. Até o final desta semana, a Secretaria Municipal da Saúde irá definir o escopo da reforma. A partir da semana que vem, será enviada uma equipe técnica, composta por arquitetos e engenheiros, para estudar soluções que envolvam, inclusive, iluminação e ventilação natural, contemplando a cultura da sustentabilidade e diminuindo custos. Vamos fazer o que for preciso para dar uma infraestrutura necessária à grande operação do CAPS”, garantiu.

De acordo com a secretária da Saúde de Fortaleza, Joana Maciel, a iniciativa reforça os investimentos que vêm sendo desprendidos ao longo da gestão do prefeito Roberto Cláudio, que envolvem, ainda, a contratação de novos profissionais. “A Prefeitura de Fortaleza lançou, recentemente, o edital do concurso público para a Rede de Atenção Psicossocial, que vai nos garantir mais de 100 profissionais concursados para toda a Rede. Paralelamente, inauguramos quatro equipamentos no último semestre de 2017; três unidades de acolhimento e um CAPS AD na Regional Centro. Avançamos muito, mas ainda existe muito por fazer. Por isso, iremos continuar ouvindo a população, aliando o conhecimento técnico às suas reais demandas e necessidades”, informou.

Outra melhoria direcionada à Saúde Mental apresentada foi a otimização da assistência farmacêutica da Capital. A exemplo da política de distribuição dos 84 medicamentos prioritários da atenção primária, estrategicamente disponíveis nas Centrais de Medicamentos de Fortaleza localizadas nos terminais de ônibus, a Rede de Atenção Psicossocial deverá ser contemplada com proposta similar. “Nossa equipe técnica elegeu 24 medicamentos prioritários, aqueles que tratam as principais doenças, como as esquizofrenias, e estamos contratando farmacêuticos para ficar nas Centrais de Medicamentos. A nossa expectativa é de que, em um prazo de 90 dias, esse programa esteja implantado”, finalizou Joana Maciel.

Prefeitura anuncia melhorias voltadas à Rede de Atenção Psicossocial de Fortaleza

Além da reforma infraestrutural do CAPS Geral da Regional IV, a iniciativa inclui a contratação de novos profissionais e a otimização da assistência farmacêutica da Capital

várias pessoas em um palco
Bate-papo entre gestores municipais, profissionais da área, pacientes e membros do Conselho Local de Saúde ocorreu no CAPS da Regional IV
A Prefeitura de Fortaleza apresentou, na noite desta segunda-feira (06/08), um conjunto de melhorias voltadas à Rede de Atenção Psicossocial da Capital. O anúncio ocorreu na sede do Centro de Assistência Psicossocial (CAPS Geral) da Regional IV, instalado na Avenida Borges de Melo, onde foi realizado bate-papo entre gestores municipais, profissionais da área, pacientes e membros do Conselho Local de Saúde.

Foram definidos encaminhamentos que visam à obediência das diretrizes propostas pela política pública. Dentre eles, destaca-se a reforma infraestrutural do CAPS Geral da Regional IV. A titular da Secretaria da Infraestrutura de Fortaleza (Seinf), Manuela Nogueira, adiantou o cronograma de execuções previsto para o equipamento. “As intervenções estão aprovadas e, tão longo sejam iniciadas, devem durar em torno de 60 dias. Até o final desta semana, a Secretaria Municipal da Saúde irá definir o escopo da reforma. A partir da semana que vem, será enviada uma equipe técnica, composta por arquitetos e engenheiros, para estudar soluções que envolvam, inclusive, iluminação e ventilação natural, contemplando a cultura da sustentabilidade e diminuindo custos. Vamos fazer o que for preciso para dar uma infraestrutura necessária à grande operação do CAPS”, garantiu.

De acordo com a secretária da Saúde de Fortaleza, Joana Maciel, a iniciativa reforça os investimentos que vêm sendo desprendidos ao longo da gestão do prefeito Roberto Cláudio, que envolvem, ainda, a contratação de novos profissionais. “A Prefeitura de Fortaleza lançou, recentemente, o edital do concurso público para a Rede de Atenção Psicossocial, que vai nos garantir mais de 100 profissionais concursados para toda a Rede. Paralelamente, inauguramos quatro equipamentos no último semestre de 2017; três unidades de acolhimento e um CAPS AD na Regional Centro. Avançamos muito, mas ainda existe muito por fazer. Por isso, iremos continuar ouvindo a população, aliando o conhecimento técnico às suas reais demandas e necessidades”, informou.

Outra melhoria direcionada à Saúde Mental apresentada foi a otimização da assistência farmacêutica da Capital. A exemplo da política de distribuição dos 84 medicamentos prioritários da atenção primária, estrategicamente disponíveis nas Centrais de Medicamentos de Fortaleza localizadas nos terminais de ônibus, a Rede de Atenção Psicossocial deverá ser contemplada com proposta similar. “Nossa equipe técnica elegeu 24 medicamentos prioritários, aqueles que tratam as principais doenças, como as esquizofrenias, e estamos contratando farmacêuticos para ficar nas Centrais de Medicamentos. A nossa expectativa é de que, em um prazo de 90 dias, esse programa esteja implantado”, finalizou Joana Maciel.