03 de junho de 2022 em Saúde

Prefeitura de Fortaleza prorroga campanha de vacinação contra a influenza e sarampo

Os grupos prioritários podem buscar os postos de saúde das 8h às 17h para aplicação das vacinas


A Prefeitura de Fortaleza prorroga, a partir desta sexta-feira (03/06), as campanhas de vacinação contra a influenza e sarampo, até o dia 24 de junho. A população que faz parte dos grupos prioritários pode continuar buscando os postos de saúde, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h e aos finais de semana nos postos Paulo Marcelo e Messejana, no mesmo horário. Para ter direito à imunização, é necessário apresentar documento oficial com foto.

Endereços dos postos de saúde

A decisão foi tomada pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (02/06), com o objetivo de aumentar as coberturas das vacinas. Até ontem (02/06), 268.605 pessoas foram vacinadas contra a influenza, o que representa 30% do público prioritário, e 89.194 foram vacinadas contra o sarampo, sendo 56.849 crianças, o que corresponde a 35% da meta.

Grupos prioritários

Influenza: Idosos acima de 60 anos, trabalhadores da saúde, Crianças de 6 meses de idade a menores de 5 anos, gestantes, puérperas, professores, portadores de comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Sarampo: trabalhadores da saúde e crianças de 6 meses a menores de 5 anos.

Documentos necessários

Para ter direito à imunização, todos os grupos deverão apresentar documento oficial com foto. A SMS segue as orientações do informe técnico do Ministério da Saúde no que diz respeito à documentação e escolha dos grupos prioritários.

A vacina contra a influenza inclui caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas e funcionários do sistema de privação de liberdade, que devem apresentar também documento que comprove a vinculação ativa na área.

Pessoas com comorbidades ou deficiência permanente, que também fazem parte dos grupos prioritários da influenza, poderão apresentar, além do documento de identificação, qualquer comprovante que demonstre pertencer ao grupo (exames, receitas, relatório médico, prescrição médica etc.). Adicionalmente, poderão ser utilizados os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde, caso possuam. Pessoas com deficiência permanente deverão apresentar apenas os documentos básicos de identificação, já que a deficiência é autodeclarada.

Influenza

A vacina contra a Influenza atua contra os vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e B. A vacina de 2022 sofreu alteração na cepa H3N2, conforme o vírus circulante no ano anterior. O vírus da influenza, assim como o da Covid-19, é uma infecção viral aguda que provoca sintomas de síndrome gripal.

A vacina contra a influenza pode ser administrada simultaneamente a outras, incluindo a vacina contra a Covid-19, com exceção das crianças de 5 a 11 anos. Nestes casos, de acordo com o Ministério da Saúde, deve-se priorizar a vacina contra a Covid-19 e aguardar 15 dias para aplicação do imunobiológico contra a influenza na faixa etária indicada.

Vacinação contra o sarampo

A vacinação contra o sarampo este ano é de seguimento, ou seja, imunizará as crianças menores de cinco anos de maneira indiscriminada, independente da situação vacinal. Mesmo as que já iniciaram ou completaram seu esquema vacinal devem comparecer para receber a dose da campanha.

No caso dos trabalhadores da saúde, o objetivo é atualizar as doses que ainda estejam atrasadas, além de proteger esse público contra a doença, considerando o risco diante da maior exposição nos serviços de saúde, sem estabelecimento de meta.

A campanha de seguimento tem como objetivo eliminar os chamados “bolsões” de não vacinados, evitando novos surtos de sarampo, captando os não vacinados ou que, por acaso, não tiveram resposta imunológica satisfatória às doses anteriormente aplicadas. A última campanha de seguimento e vacinação contra o sarampo ocorreu em 2018.

Prefeitura de Fortaleza prorroga campanha de vacinação contra a influenza e sarampo

Os grupos prioritários podem buscar os postos de saúde das 8h às 17h para aplicação das vacinas

A Prefeitura de Fortaleza prorroga, a partir desta sexta-feira (03/06), as campanhas de vacinação contra a influenza e sarampo, até o dia 24 de junho. A população que faz parte dos grupos prioritários pode continuar buscando os postos de saúde, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h e aos finais de semana nos postos Paulo Marcelo e Messejana, no mesmo horário. Para ter direito à imunização, é necessário apresentar documento oficial com foto.

Endereços dos postos de saúde

A decisão foi tomada pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (02/06), com o objetivo de aumentar as coberturas das vacinas. Até ontem (02/06), 268.605 pessoas foram vacinadas contra a influenza, o que representa 30% do público prioritário, e 89.194 foram vacinadas contra o sarampo, sendo 56.849 crianças, o que corresponde a 35% da meta.

Grupos prioritários

Influenza: Idosos acima de 60 anos, trabalhadores da saúde, Crianças de 6 meses de idade a menores de 5 anos, gestantes, puérperas, professores, portadores de comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema de privação de liberdade, população privada de liberdade e adolescentes e jovens em medidas socioeducativas.

Sarampo: trabalhadores da saúde e crianças de 6 meses a menores de 5 anos.

Documentos necessários

Para ter direito à imunização, todos os grupos deverão apresentar documento oficial com foto. A SMS segue as orientações do informe técnico do Ministério da Saúde no que diz respeito à documentação e escolha dos grupos prioritários.

A vacina contra a influenza inclui caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, rodoviário, urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas e funcionários do sistema de privação de liberdade, que devem apresentar também documento que comprove a vinculação ativa na área.

Pessoas com comorbidades ou deficiência permanente, que também fazem parte dos grupos prioritários da influenza, poderão apresentar, além do documento de identificação, qualquer comprovante que demonstre pertencer ao grupo (exames, receitas, relatório médico, prescrição médica etc.). Adicionalmente, poderão ser utilizados os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde, caso possuam. Pessoas com deficiência permanente deverão apresentar apenas os documentos básicos de identificação, já que a deficiência é autodeclarada.

Influenza

A vacina contra a Influenza atua contra os vírus Influenza A (H1N1 e H3N2) e B. A vacina de 2022 sofreu alteração na cepa H3N2, conforme o vírus circulante no ano anterior. O vírus da influenza, assim como o da Covid-19, é uma infecção viral aguda que provoca sintomas de síndrome gripal.

A vacina contra a influenza pode ser administrada simultaneamente a outras, incluindo a vacina contra a Covid-19, com exceção das crianças de 5 a 11 anos. Nestes casos, de acordo com o Ministério da Saúde, deve-se priorizar a vacina contra a Covid-19 e aguardar 15 dias para aplicação do imunobiológico contra a influenza na faixa etária indicada.

Vacinação contra o sarampo

A vacinação contra o sarampo este ano é de seguimento, ou seja, imunizará as crianças menores de cinco anos de maneira indiscriminada, independente da situação vacinal. Mesmo as que já iniciaram ou completaram seu esquema vacinal devem comparecer para receber a dose da campanha.

No caso dos trabalhadores da saúde, o objetivo é atualizar as doses que ainda estejam atrasadas, além de proteger esse público contra a doença, considerando o risco diante da maior exposição nos serviços de saúde, sem estabelecimento de meta.

A campanha de seguimento tem como objetivo eliminar os chamados “bolsões” de não vacinados, evitando novos surtos de sarampo, captando os não vacinados ou que, por acaso, não tiveram resposta imunológica satisfatória às doses anteriormente aplicadas. A última campanha de seguimento e vacinação contra o sarampo ocorreu em 2018.