28 de janeiro de 2020 em Economia

Primeira pesquisa do Procon nos supermercado em 2020 aponta variação até 276% nos preços de frutas e legumes

Abacaxi, mamão e cebola podem variar até 276,72% de diferença


O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta terça-feira (28/1), a primeira pesquisa do ano com preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital. Em janeiro, a soma média dos 60 itens pesquisados, ficou em R$ 410,89. O levantamento, que foi realizado nos dias 20 e 21 de janeiro, pode ser consultado pelo aplicativo "Proconomizar", que está disponível nas versões Android e iOS, bem como pelo portal da Prefeitura de Fortaleza.

Pelo menos 12 alimentos apresentaram variações de preços acima de cem por cento. Abacaxi, mamão e cebola podem variar até 276,72% (R$ 1,59 a R$ 5,99), 232,32 % (R$ 0,99 a R$ 3,29) e 187,05% (R$ 1,39 a R$ 3,99), respectivamente.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Abacaxi R$ 1,59 R$ 5,99 276,72 %
Mamão R$ 0,99 R$ 3,29 232,32 %
Cebola R$ 1,39 R$ 3,99 187,05 %
Laranja R$ 1,59 R$ 4,55 186,16 %
Cenoura R$ 1,99 R$ 5,69 185,92 %

Nesta primeira pesquisa, o Procon também realizou o comparativo entre as regionais da capital e encontrou os maiores preços na Regional V, onde ficam os bairros José Walter, Maraponga e Planalto Ayrton Senna, por exemplo. A soma dos 60 produtos nestes locais chega a R$ 474,74. A Regional do Centro vem em seguida totalizando R$ 457,23. Já a Regional IV, que agrega bairros como Benfica, Demócrito Rocha e Vila Pery apresenta os menos valores, somando R$ 286,08. O Procon lembra que a soma da média de todos os produtos nas regionais pode variar, de acordo com a disponibilidade dos itens pesquisados nos supermercados de cada Regional.

Preços por Regionais

Regional Preço médio total
Regional V R$ 474,74
Regional do Centro R$ 457,23
Regional III R$ 456,85
Regional I R$ 443,78
Regional VI R$ 354,10
Regional II R$ 343,33
Regional IV R$ 286,08

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, lembra a necessidade de pesquisar, num mês que traz outras despesas compulsórias, como pagamento de taxas, impostos e despesas escolares. "Quando o consumidor opta por comprar em supermercados mais baratos, ele acaba forçando os estabelecimentos concorrentes a baixarem os preços, sob pena de verem seus produtos encalhados nas prateleiras dos supermercados", orienta a Diretora.

Dicas
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Primeira pesquisa do Procon nos supermercado em 2020 aponta variação até 276% nos preços de frutas e legumes

Abacaxi, mamão e cebola podem variar até 276,72% de diferença

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta terça-feira (28/1), a primeira pesquisa do ano com preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital. Em janeiro, a soma média dos 60 itens pesquisados, ficou em R$ 410,89. O levantamento, que foi realizado nos dias 20 e 21 de janeiro, pode ser consultado pelo aplicativo "Proconomizar", que está disponível nas versões Android e iOS, bem como pelo portal da Prefeitura de Fortaleza.

Pelo menos 12 alimentos apresentaram variações de preços acima de cem por cento. Abacaxi, mamão e cebola podem variar até 276,72% (R$ 1,59 a R$ 5,99), 232,32 % (R$ 0,99 a R$ 3,29) e 187,05% (R$ 1,39 a R$ 3,99), respectivamente.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Abacaxi R$ 1,59 R$ 5,99 276,72 %
Mamão R$ 0,99 R$ 3,29 232,32 %
Cebola R$ 1,39 R$ 3,99 187,05 %
Laranja R$ 1,59 R$ 4,55 186,16 %
Cenoura R$ 1,99 R$ 5,69 185,92 %

Nesta primeira pesquisa, o Procon também realizou o comparativo entre as regionais da capital e encontrou os maiores preços na Regional V, onde ficam os bairros José Walter, Maraponga e Planalto Ayrton Senna, por exemplo. A soma dos 60 produtos nestes locais chega a R$ 474,74. A Regional do Centro vem em seguida totalizando R$ 457,23. Já a Regional IV, que agrega bairros como Benfica, Demócrito Rocha e Vila Pery apresenta os menos valores, somando R$ 286,08. O Procon lembra que a soma da média de todos os produtos nas regionais pode variar, de acordo com a disponibilidade dos itens pesquisados nos supermercados de cada Regional.

Preços por Regionais

Regional Preço médio total
Regional V R$ 474,74
Regional do Centro R$ 457,23
Regional III R$ 456,85
Regional I R$ 443,78
Regional VI R$ 354,10
Regional II R$ 343,33
Regional IV R$ 286,08

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, lembra a necessidade de pesquisar, num mês que traz outras despesas compulsórias, como pagamento de taxas, impostos e despesas escolares. "Quando o consumidor opta por comprar em supermercados mais baratos, ele acaba forçando os estabelecimentos concorrentes a baixarem os preços, sob pena de verem seus produtos encalhados nas prateleiras dos supermercados", orienta a Diretora.

Dicas
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.