30 de maio de 2018 em Economia

Procon Fortaleza encontra preços mais elevados nos supermercados

Em maio, a soma dos 60 itens pesquisados chega a R$ 414,87. No início do ano, o preço dos mesmos produtos era de R$ 390,25, uma elevação de 6,31%


O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) identificou a maior elevação de preços nos supermercados, desde janeiro de 2018. O levantamento, realizado nos dias 22 e 23 de maio, indica que a soma da média dos 60 itens pesquisados chega a R$ 414,87. Em janeiro (23 e 24), os mesmos produtos somavam R$ 390,25, indicando que, do ínicio do ano ano até maio, os preços de alimentos e produtos subiram 6,31% nos supermercados.

Entre os produtos e alimentos pesquisados, o abacaxi apresentou a maior variação, podendo ser comprado de R$ 2,69 a cinco vezes o mesmo valor, custando até R$ 14,39, uma diferença de 434,94%.

Quando o comparativo é a soma média dos produtos entre as regionais da Capital, os supermercados da Regional III, onde estão bairros como Antônio Bezerra, Bela Vista e Parquelândia, concentram os preços mais elevados. Neste comparativo, o Procon levou em consideração a média do preço total dos supermercados em cada regional, quando havia mais de um estabelecimento na regional.

REGIONAL PREÇO TOTAL MÉDIO

REGIONAL PREÇO TOTAL MÉDIO
Secretaria Regional III R$ 462,67
Secretaria Regional VI R$ 447,90
Secretaria Regional V R$ 434,25
Regional do Centro R$ 413,42
Secretaria Regional II R$ 393,51
Secretaria Regional I R$ 369,31
Secretaria Regional IV R$ 365,59

A pesquisa mensal do Procon Fortaleza é dividida, ainda, entre itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e higiene infantil. Consulte todos os preços aqui.

Dos 35 produtos que sofreram maior alta de preços entre abril e maio, o artigo de higiene pessoal, fio dental, de 100 metros, foi o que apresentou maior elevação, sendo comprado em abril, por R$ 8,43 e, neste último levantamento, por R$ 9,68, o que representa 14,13%. O quilo do mamão também é um dos alimentos mais caros em maio, sendo encontrado de R$ 2,95, enquanto que em abril, o valor era de R$ 2,58, uma alta de 14,13%.

Outros alimentos também sofreram redução no preço médio, entre abril e maio. O quilo do tomate caiu de R$ 4,29 para R$ 3,61, uma redução de 15,82%. O quilo da banana prata também reduziu de R$ 5,10 para R$ 4,29, uma queda de 15,81%.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, avalia que o resultado da pesquisa não tem relação com a alta de preços nos supermercados, ocasionada pela greve dos caminhoneiros e, consequentemente, a escassez de produtos e alimentos. "Coletamos os preços bem no início da greve, quando os supermercados ainda estavam abastecidos", disse. Mas a diretora adianta que uma nova pesquisa deve identificar elevações de preços consideráveis e orienta os consumidores a manter cautela na compra de produtos em supermercados, até que seja normalizado o abastecimento.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO MENOR MAIOR VARIAÇÃO
Abacaxi R$ 2,69 R$ 14,39 434,94%
Tomate R$ 1,68 R$ 6,89 310,12%
Banana Prata R$ 1,88 R$ 6,00 219,15%
Alho R$ 9,78 R$ 30,00 206,75%
Cenoura R$ 1,99 R$ 4,99 150,75%
Batata R$ 1,99 R$ 4,38 120,10%
Cebola R$ 2,79 R$ 5,99 114,70%
Queijo Mussarela R$ 18,90 R$ 38,98 106,24%
Laranja pera R$ 1,89 R$ 3,79 100,53%

Procon Fortaleza encontra preços mais elevados nos supermercados

Em maio, a soma dos 60 itens pesquisados chega a R$ 414,87. No início do ano, o preço dos mesmos produtos era de R$ 390,25, uma elevação de 6,31%

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) identificou a maior elevação de preços nos supermercados, desde janeiro de 2018. O levantamento, realizado nos dias 22 e 23 de maio, indica que a soma da média dos 60 itens pesquisados chega a R$ 414,87. Em janeiro (23 e 24), os mesmos produtos somavam R$ 390,25, indicando que, do ínicio do ano ano até maio, os preços de alimentos e produtos subiram 6,31% nos supermercados.

Entre os produtos e alimentos pesquisados, o abacaxi apresentou a maior variação, podendo ser comprado de R$ 2,69 a cinco vezes o mesmo valor, custando até R$ 14,39, uma diferença de 434,94%.

Quando o comparativo é a soma média dos produtos entre as regionais da Capital, os supermercados da Regional III, onde estão bairros como Antônio Bezerra, Bela Vista e Parquelândia, concentram os preços mais elevados. Neste comparativo, o Procon levou em consideração a média do preço total dos supermercados em cada regional, quando havia mais de um estabelecimento na regional.

REGIONAL PREÇO TOTAL MÉDIO

REGIONAL PREÇO TOTAL MÉDIO
Secretaria Regional III R$ 462,67
Secretaria Regional VI R$ 447,90
Secretaria Regional V R$ 434,25
Regional do Centro R$ 413,42
Secretaria Regional II R$ 393,51
Secretaria Regional I R$ 369,31
Secretaria Regional IV R$ 365,59

A pesquisa mensal do Procon Fortaleza é dividida, ainda, entre itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e higiene infantil. Consulte todos os preços aqui.

Dos 35 produtos que sofreram maior alta de preços entre abril e maio, o artigo de higiene pessoal, fio dental, de 100 metros, foi o que apresentou maior elevação, sendo comprado em abril, por R$ 8,43 e, neste último levantamento, por R$ 9,68, o que representa 14,13%. O quilo do mamão também é um dos alimentos mais caros em maio, sendo encontrado de R$ 2,95, enquanto que em abril, o valor era de R$ 2,58, uma alta de 14,13%.

Outros alimentos também sofreram redução no preço médio, entre abril e maio. O quilo do tomate caiu de R$ 4,29 para R$ 3,61, uma redução de 15,82%. O quilo da banana prata também reduziu de R$ 5,10 para R$ 4,29, uma queda de 15,81%.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, avalia que o resultado da pesquisa não tem relação com a alta de preços nos supermercados, ocasionada pela greve dos caminhoneiros e, consequentemente, a escassez de produtos e alimentos. "Coletamos os preços bem no início da greve, quando os supermercados ainda estavam abastecidos", disse. Mas a diretora adianta que uma nova pesquisa deve identificar elevações de preços consideráveis e orienta os consumidores a manter cautela na compra de produtos em supermercados, até que seja normalizado o abastecimento.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO MENOR MAIOR VARIAÇÃO
Abacaxi R$ 2,69 R$ 14,39 434,94%
Tomate R$ 1,68 R$ 6,89 310,12%
Banana Prata R$ 1,88 R$ 6,00 219,15%
Alho R$ 9,78 R$ 30,00 206,75%
Cenoura R$ 1,99 R$ 4,99 150,75%
Batata R$ 1,99 R$ 4,38 120,10%
Cebola R$ 2,79 R$ 5,99 114,70%
Queijo Mussarela R$ 18,90 R$ 38,98 106,24%
Laranja pera R$ 1,89 R$ 3,79 100,53%