14 de dezembro de 2021 em Educação

Projeto Cabide Literário traz incentivo à leitura em unidade da Rede Municipal

Escola Municipal de Tempo Integral (ETI) Laís Rodrigues de Almeida (Distrito 6) criou a ação que estimula o hábito de ler e promove aprendizagens acerca do universo da literatura


projeto Cabide Literário
Reunindo a comunidade escolar em uma grande comemoração, a unidade lançou a publicação de textos produzidos pelos próprios estudantes no decorrer da ação

A leitura nos faz explorar o mundo sem sair do lugar, estimula a criatividade, amplia o conhecimento cultural e a capacidade da escrita. Mas como incentivar essa prática diante de tantas opções de entretenimento? Para responder essa questão, a Escola Municipal de Tempo Integral (ETI) Laís Rodrigues de Almeida (Distrito 6) criou o projeto Cabide Literário, uma ação que estimula o hábito de ler e traz aprendizagens acerca do universo da literatura no ambiente escolar.

Ao longo de dois meses, utilizando ferramentas lúdicas para envolver os alunos na atividade, os professores e gestão escolar promoveram práticas de redação e o estudo semanal de diferentes gêneros literários. “A leitura foi até o aluno. Uma ação direcionada onde procuramos aprimorar mais a aprendizagem, tendo como base aquilo que o professor estava desenvolvendo em sala de aula”, explicou a diretora da unidade, Renata Bezerra.

A primeira edição do projeto finalizou, na última sexta-feira (10/12), com o lançamento de um livro. Reunindo a comunidade escolar em uma grande comemoração, a unidade lançou a publicação de textos produzidos pelos próprios estudantes no decorrer da ação. Autor de uma das produções, Carlos Eduardo Nascimento, reconheceu a importância da iniciativa em seu processo de ensino. ”Eu pude aprender um pouco mais sobre cada gênero textual, além de conhecer palavras que ainda não tinha em meu vocabulário e aprimorar minha escrita”, disse entusiasmado durante a tarde de autógrafos.

O projeto Cabide Literário, no entanto, não existiria sem a presença de uma figura especial da unidade escolar, a professora Merysany Silva. Idealizadora do projeto, a regente da biblioteca teve sua ideia abraçada pelo corpo docente em uma promoção de vivências que traz grande orgulho para a profissional. “Esse projeto foi recheado de conquistas para toda nossa comunidade escolar. Estou muito feliz com a participação de todos, principalmente por perceber o quanto as crianças vivenciaram, aproveitam e se desenvolveram, não somente na leitura e na escrita, mas também para fora dos muros da escola”, destacou.

Prática bem-sucedida em seu primeiro lançamento, o Cabide Literário agora segue na unidade como um exemplo de sucesso que certamente ganhará outras edições. Aprofundando a experiência com o universo literário, o projeto compõe um conjunto de ações desenvolvidas pelas unidades da Rede Municipal, com o objetivo central de potencializar constantemente o ensino e a aprendizagem dos alunos da capital.

Projeto Cabide Literário traz incentivo à leitura em unidade da Rede Municipal

Escola Municipal de Tempo Integral (ETI) Laís Rodrigues de Almeida (Distrito 6) criou a ação que estimula o hábito de ler e promove aprendizagens acerca do universo da literatura

projeto Cabide Literário
Reunindo a comunidade escolar em uma grande comemoração, a unidade lançou a publicação de textos produzidos pelos próprios estudantes no decorrer da ação

A leitura nos faz explorar o mundo sem sair do lugar, estimula a criatividade, amplia o conhecimento cultural e a capacidade da escrita. Mas como incentivar essa prática diante de tantas opções de entretenimento? Para responder essa questão, a Escola Municipal de Tempo Integral (ETI) Laís Rodrigues de Almeida (Distrito 6) criou o projeto Cabide Literário, uma ação que estimula o hábito de ler e traz aprendizagens acerca do universo da literatura no ambiente escolar.

Ao longo de dois meses, utilizando ferramentas lúdicas para envolver os alunos na atividade, os professores e gestão escolar promoveram práticas de redação e o estudo semanal de diferentes gêneros literários. “A leitura foi até o aluno. Uma ação direcionada onde procuramos aprimorar mais a aprendizagem, tendo como base aquilo que o professor estava desenvolvendo em sala de aula”, explicou a diretora da unidade, Renata Bezerra.

A primeira edição do projeto finalizou, na última sexta-feira (10/12), com o lançamento de um livro. Reunindo a comunidade escolar em uma grande comemoração, a unidade lançou a publicação de textos produzidos pelos próprios estudantes no decorrer da ação. Autor de uma das produções, Carlos Eduardo Nascimento, reconheceu a importância da iniciativa em seu processo de ensino. ”Eu pude aprender um pouco mais sobre cada gênero textual, além de conhecer palavras que ainda não tinha em meu vocabulário e aprimorar minha escrita”, disse entusiasmado durante a tarde de autógrafos.

O projeto Cabide Literário, no entanto, não existiria sem a presença de uma figura especial da unidade escolar, a professora Merysany Silva. Idealizadora do projeto, a regente da biblioteca teve sua ideia abraçada pelo corpo docente em uma promoção de vivências que traz grande orgulho para a profissional. “Esse projeto foi recheado de conquistas para toda nossa comunidade escolar. Estou muito feliz com a participação de todos, principalmente por perceber o quanto as crianças vivenciaram, aproveitam e se desenvolveram, não somente na leitura e na escrita, mas também para fora dos muros da escola”, destacou.

Prática bem-sucedida em seu primeiro lançamento, o Cabide Literário agora segue na unidade como um exemplo de sucesso que certamente ganhará outras edições. Aprofundando a experiência com o universo literário, o projeto compõe um conjunto de ações desenvolvidas pelas unidades da Rede Municipal, com o objetivo central de potencializar constantemente o ensino e a aprendizagem dos alunos da capital.