07 de dezembro de 2021 em Habitação

Secretarias do Município dialogam para levar alternativas de empreendedorismo para o residencial Heloneida Studart

A proposta conjunta da Habitafor e da Regional 5 é ter barracas móveis para permitir a diversidade comercial do local


Os representantes reunidos
A proposta inicial foi apresentada à comissão de moradores, nesta terça-feira (07/12)

Uma ação conjunta, entre a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) e a Secretaria Regional 5, deve gerar oportunidades de empreendedorismo e renda para famílias do residencial Heloneida Studart, na Granja Lisboa. A iniciativa é necessária, após uma ação de ordenamento do comércio no entorno do empreendimento.

A demanda partiu de moradores, por meio do trabalho social desenvolvido pela Habitafor no local. “A partir de uma ação de ordenamento dos comércios no entorno do residencial, a equipe foi demandada para tentar um diálogo com uma proposta de empreendedorismo que se adequasse aos moradores. Como o trabalho social conhece as demandas, a ideia foi participar e contribuir com a proposta da Regional”, observou a coordenadora de Programas Sociais da Habitafor, Andréa Cialdini.

A proposta inicial foi apresentada à comissão de moradores, nesta terça-feira (07/12), pelo chefe de Gabinete da Regional 5, Lourival Chaves. “Diante da demanda, decidimos conversar com a Habitafor e com os moradores para construirmos a melhor proposta, mas a ideia é que esses permissionários fiquem em barracas móveis, com espaços e horários estabelecidos, afinal são tipos de comércios diferentes”, detalhou Chaves.

O representante da Regional 5, destacou ainda que o novo formato poderá dar legitimidade para esses comerciantes e mais comodidade para famílias. “É uma proposta que vai beneficiar não somente os permissionários que estarão autorizados pela Prefeitura e aptos a busca linhas de crédito, como também os moradores que teriam o comércio mais próximo de suas residências”, enfatizou Lourival Chaves.

A moradora Liliane Dantas saiu do encontro com bastante confiança. “Estamos confiantes que isso aconteça e, realmente é o nosso desejo que essas barracas venham para que esses trabalhadores retomem as suas rendas”.

Secretarias do Município dialogam para levar alternativas de empreendedorismo para o residencial Heloneida Studart

A proposta conjunta da Habitafor e da Regional 5 é ter barracas móveis para permitir a diversidade comercial do local

Os representantes reunidos
A proposta inicial foi apresentada à comissão de moradores, nesta terça-feira (07/12)

Uma ação conjunta, entre a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) e a Secretaria Regional 5, deve gerar oportunidades de empreendedorismo e renda para famílias do residencial Heloneida Studart, na Granja Lisboa. A iniciativa é necessária, após uma ação de ordenamento do comércio no entorno do empreendimento.

A demanda partiu de moradores, por meio do trabalho social desenvolvido pela Habitafor no local. “A partir de uma ação de ordenamento dos comércios no entorno do residencial, a equipe foi demandada para tentar um diálogo com uma proposta de empreendedorismo que se adequasse aos moradores. Como o trabalho social conhece as demandas, a ideia foi participar e contribuir com a proposta da Regional”, observou a coordenadora de Programas Sociais da Habitafor, Andréa Cialdini.

A proposta inicial foi apresentada à comissão de moradores, nesta terça-feira (07/12), pelo chefe de Gabinete da Regional 5, Lourival Chaves. “Diante da demanda, decidimos conversar com a Habitafor e com os moradores para construirmos a melhor proposta, mas a ideia é que esses permissionários fiquem em barracas móveis, com espaços e horários estabelecidos, afinal são tipos de comércios diferentes”, detalhou Chaves.

O representante da Regional 5, destacou ainda que o novo formato poderá dar legitimidade para esses comerciantes e mais comodidade para famílias. “É uma proposta que vai beneficiar não somente os permissionários que estarão autorizados pela Prefeitura e aptos a busca linhas de crédito, como também os moradores que teriam o comércio mais próximo de suas residências”, enfatizou Lourival Chaves.

A moradora Liliane Dantas saiu do encontro com bastante confiança. “Estamos confiantes que isso aconteça e, realmente é o nosso desejo que essas barracas venham para que esses trabalhadores retomem as suas rendas”.