Maria Aparecida divide a barraca com outras pessoas.
Maria Aparecida do Nascimento comercializa produtos alimentícios e ainda divide o espaço de sua banca com outros moradores  

A Prefeitura realizou, por meio da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor), mais uma etapa do trabalho social previsto para famílias do Residencial Alameda das Palmeiras, no bairro Pedras (Regional VI). Cerca de 5.000 famílias foram beneficiadas com palestras, capacitação e recreação.

Previsto no projeto de construção do empreendimento, o trabalho social no Alameda das Palmeiras resultou em 150 atividades num período de um ano e envolveu uma equipe multidisciplinar de mais de 40 profissionais.
Entre as ações, destaque para capacitações voltadas ao emprego e renda. Treinamentos nas áreas de gastronomia e beleza permitiram que famílias montassem o próprio negócio. Além disso, informações importantes sobre a elaboração de currículos, marketing pessoal, inteligência emocional no trabalho foram aplicadas entre as famílias beneficiadas com unidades no residencial. “Podemos destacar o trabalho qualificado e habilidoso dos profissionais em lidar com a comunidade e suas vulnerabilidades”, enfatizou Mazé Lima diretora da Star Produções, empresa responsável pela capacitação.

Para a coordenadora de Programas Sociais da Habitafor, Andréa Cialdini, “o trabalho social é fundamental e complementa os anseios das famílias que habitam os empreendimentos. A execução da política habitacional não se dá apenas pela intervenção física e jurídica, mas também pelo trabalho social, que deve estar afinado às demandas das famílias beneficiadas, contribuindo para sua inserção social e gestão democrática dos investimentos públicos”, explica.

Resultados

Alguns dos resultados práticos já podem ser identificados como a capacidade de organização, o senso de solidariedade e a importância do trabalho em família.

No caso da família Damasceno, a dona Estefânia e a filha Jéssica, embora já trabalhassem com beleza, afirmam que a participação nos cursos elevou o sentimento de autoestima com o certificado exposto no salão. “Apesar de trabalharmos há muitos anos, eu nunca tive a oportunidade de fazer cursos e agora pude ter o meu diploma na parede e passar confiança para os meus clientes. Já a minha filha se especializou no design de sobrancelha e maquiagem e temos o salão como nossa renda principal”, explicou dona Estefânia.

Outro resultado do trabalho social foi identificado na marmitaria da dona Mairta Magalhães, conhecida como “Nêga”. Participante dos cursos, principalmente de culinária, ela conseguiu incrementar o negócio e atualmente fornece cerca de 50 refeições diariamente. “Os cursos me ajudaram a evoluir, me deram noções de finanças e organização de caixa”, afirmou a moradora.

Como resultado dos cursos de empreendedorismo e economia solidária, Maria Aparecida do Nascimento, não apenas montou o seu negócio como disponibiliza o espaço da própria banca para outros moradores. “Além dos meus produtos, eu ajudo outros vizinhos, dando espaço na minha barraca, sendo que um vende mais de 200 pães por dia e outro vende água. Para mim, que tive momentos muitos difíceis na família, vi nos cursos a retomada da minha autoestima” celebrou a microempreendedora.

Publicado em Habitação
O trabalho faz parte das ações pós-entrega das moradias.
Oficinas e palestras fazem parte do trabalho social.

A Prefeitura de Fortaleza iniciou, por meio da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor), as intervenções de trabalho social no Residencial São Domingos, localizado no bairro Jangurussu. As ações, que tiveram início em fevereiro, envolvem promoção de oficinas e palestras sobre direitos sociais, capacitações para mercado de trabalho e também para gestão comunitária da moradia, e integram o eixo da política de habitação de interesse social, junto às famílias beneficiadas durante a adaptação do pós-moradia.

O residencial é composto por 120 famílias, que estão tendo acesso ao plantão social para esclarecimento de dúvidas acerca da moradia, além de participarem de oficinas de orientações sobre Cadastro Único, Carteira Nacional de Habilitação Popular, Passe Livre, Taxa de Energia para Baixa Renda entre outras políticas públicas.

Com os Planos de Trabalho Social aprovados pela Caixa Econômica, a Prefeitura de Fortaleza pretende chegar ao total de 21.442 famílias atendidas, contemplando outros residenciais como Jardim Castelão, São Bernardo, Heloneida Studart, Independência e Cidade Jardim I e II.

Saiba mais
Para garantir o trabalho social é necessário que um percentual de 1,5% do total da obra seja destinado à execução do plano de acompanhamento das famílias. Essa medida é prevista nas diretrizes do Programa Minha Casa, Minha Vida e são coordenadas pela Caixa Econômica Federal.

Em 2018, 14.122 famílias foram atendidas por meio do trabalho social. Este ano, além do são Domingos, outros residenciais também recebem intervenções são eles: os Escritores, Alameda das Palmeiras, Santo Agostinho, Monte Líbano, São Bernardo, Independência, Maravilha, Vila do Mar e São Cristóvão.

Publicado em Habitação
As ações serão no Centro Comunitário do residencial
As ações compõem as atividade de inclusão e capacitação das famílias

A Prefeitura de Fortaleza, por meio das secretarias do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) e dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social de Fortaleza (SDHDS), levará uma oficina sobre os projetos e benefícios sociais disponibilizados pelo Cadastro Único na próxima quinta-feira (06/12). A ação ocorrerá no Residencial Cidade Jardim 2, nos turnos da manhã e da tarde.

A iniciativa faz parte do trabalho social desenvolvido pela Habitafor junto às famílias contempladas com moradias do Programa Minha Casa, Minha Vida. De acordo com a coordenadora de Programas Sociais da Secretaria e uma das responsáveis pela ação, Andréa Cialdini, o intuito é levar para essas famílias informações sobre os benefícios disponibilizados pelo Cadastro Único do Governo Federal. “Além dos já conhecidos bolsa família e RG gratuito, queremos incentivar os moradores a conhecerem e acessarem os demais benefícios disponíveis, como a CNH popular, pois habilitados podem ter novas oportunidades no mercado de trabalho, isenção em inscrições de concursos públicos, cadastro na tarifa social como forma de economizar na conta da energia elétrica, dentre outros benefícios”.

Saiba mais
O eixo do trabalho social realizado pela Habitafor junto aos moradores dos residenciais é parte da assistência prestada às famílias no antes, durante e pós-entrega dos empreendimentos. Além de gerar conhecimentos acerca de direitos elementares, essas iniciativas também promovem formações voltadas para o convívio social, mercado de trabalho, empreendedorismo e renda.

Serviço
Oficina sobre os projetos e benefícios disponibilizados pelo Cadastro Único
Data: Quinta-feira (06/12)
Horário: manhã (9h às 12h) e tarde (14h às 17h)
Local: Salão Comunitário da Quadra 7/ Lote 3 (em frente ao mercadinho KF)

Publicado em Habitação