uma enfermeira vacina uma criança que está no colo da mãe. Todas usam máscaras
Nesta primeira fase, iniciada no último dia 12 de abril, podem ser imunizados crianças, gestantes, puérperas e trabalhadores da área da saúde (Foto: Marcos Moura)

A campanha de vacinação contra a gripe continua sendo realizada nas salas de imunização dos 116 postos de saúde da Capital. Nesta primeira fase, iniciada no último dia 12 de abril, podem ser imunizados crianças (de 6 meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas e trabalhadores da área da saúde. A vacinação contra a gripe nos postos de saúde está ocorrendo de segunda a sexta-feira, de 7h às 18h.

A Prefeitura de Fortaleza recebeu, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), 90 mil doses da vacina da gripe, que atua contra a H1N1, H3N2 e o vírus influenza B. A quantidade de doses conseguirá imunizar cerca de 30% do público-alvo da primeira fase da campanha. Em 2020, Fortaleza conseguiu imunizar mais de 753 mil pessoas dos públicos prioritários contra a gripe.

Para a coordenadora de imunização da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Vanessa Soldatelli, a participação dos pais torna-se essencial em relação à vacinação das crianças. “É muito importante que os pais levem seus filhos até as unidades de saúde para buscar a imunização, pois a vacina é a única forma de proteção contra diversas doenças”, destaca Vanessa.

O público-alvo da primeira fase foi definido pela vulnerabilidade à influenza, de acordo com o informe técnico do Ministério da Saúde (MS) sobre a campanha.

Documentação necessária para vacinação nos postos

Gestantes: documento oficial com foto.

Crianças de 6 meses a 5 anos, 5 meses e 29 dias: documento oficial com foto ou cartão de vacinação.

Puérperas (mulheres no período até 45 dias após o parto): além do documento oficial com foto, deve ser apresentado documento que comprove o puerpério (certidão de nascimento, cartão da gestante ou documento do hospital onde ocorreu o parto) durante o período de vacinação.

Profissionais que trabalham em clínicas particulares, laboratórios e autônomos: documento de identidade com foto e um documento de comprovação do trabalho, como, por exemplo, a carteira de trabalho, uma declaração de vínculo, o contracheque ou a carteira do conselho da categoria.

Trabalhadores da saúde da rede hospitalar: serão vacinados na própria unidade onde atuam através de lista nominal, não sendo necessário se dirigir aos postos de saúde.

>>> Confira a relação com os endereços dos 116 postos de saúde

Vacinação Covid-19

Caso o trabalhador da saúde tenha recebido a vacina da Covid-19, ele deve aguardar para receber a vacina respeitando o intervalo de, no mínimo, 14 dias após o recebimento da segunda dose.

Além disso, é recomendado que pessoas com sintomas de síndrome gripal evitem receber a vacina, devendo aguardar 14 dias após o início dos sintomas.

Publicado em Saúde
Imunização de idoso em posto de saúde
A meta para este ano de 2018 é imunizar 630 mil pessoas que compõem o grupo prioritário, estabelecido pelo Ministério da Saúde

A Prefeitura de Fortaleza inicia hoje (20/04), por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a campanha de vacinação contra a influenza em todos os Postos de Saúde da Capital.

As vacinas estarão disponíveis nas unidades de segunda a sexta-feira, de 7h30 às 18h30. Para reforçar a campanha durante o final de semana, nos dias 21 e 22 de abril, a SMS vai disponibilizar a vacinação em sete Postos de Saúde, no horário de 8h30 às 16h30, nas seguintes unidades: Posto Carlos Ribeiro (Regional I), Paulo Marcelo e Irmã Hercília (Regional II), Anastácio Magalhães (Regional III), Luis Costa (Regional IV), José Paracampos (Regional V) e Messejana (Regioinal VI).

Durante a campanha, serão vacinadas pessoas com idade de 60 anos ou mais; crianças na faixa etária de seis meses a cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias); gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da área de saúde que atuam no enfrentamento às influenzas (emergências de hospitais, UPAs, Postos de Saúde e serviços que atendam pessoas com suspeita da doença). Os trabalhadores receberão a vacina no seu local de trabalho. Também serão vacinados os professores das escolas públicas e privadas (mediante comprovação profissional); grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais (estes deverão apresentar uma receita, recente, de medicação que comprove a situação clínica, ou solicitação médica).

A meta para este ano de 2018 é imunizar 630 mil pessoas que compõem o grupo prioritário, estabelecido pelo Ministério da Saúde. Em 2017, o Município imunizou cerca de 592 mil pessoas.

A vacina disponível nas unidades protege contra três sorotipos: Influenza A (H1N1, H3N2) e Influenza B. Estudos do Ministério da Saúde comprovam que através da imunização de uma pessoa cria-se uma rede de proteção contra a doença, alcançando de 11 a 17 indivíduos, o que chamamos de “imunização de rebanho”, quando a pessoa vacinada deixa de transmitir a doença e passa a proteger as pessoas do seu convívio.

Além da imunização, a população pode adotar cuidados básicos para evitar a Influenza, tais como: lavar as mãos com água e sabão com frequência; evitar levar as mãos ao rosto após pegar em maçanetas, corrimão de escadas, botões de elevadores, dentre outros; sempre que possível, utilizar álcool em gel a 70%; não compartilhar objetos de uso pessoal, como toalhas de banho, talheres e copos; manter os ambientes bem ventilados e evitar aglomerações; utilizar lenços descartáveis ao tossir ou espirrar; usar máscaras descartáveis caso apresente sintomas de gripe ou ao entrar em contato com pessoas doentes.

A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém‐contaminadas por secreções respiratórias, pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.

Os sinais e sintomas da doença são muito variáveis, podendo ocorrer desde a infecção assintomática, até formas graves. A síndrome gripal, que se caracteriza pelo aparecimento súbito de febre, cefaleia, dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga, é a manifestação mais comum. Nos casos mais graves, geralmente, existe dificuldade respiratória e há necessidade de hospitalização.

É importante ressaltar que, ao apresentar sintomas da doença, a população deve buscar atendimento nos Postos de Saúde, com destaque para as 24 unidades de referência com sala de observação, além das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da Capital.

O atendimento nas unidades municipais segue o protocolo definido pelo Ministério da Saúde e os profissionais terão acesso à capacitação para reforço e atualização dos conhecimentos para o atendimento adequado aos pacientes com sintomas de Influenza. Para o tratamento da doença o medicamento já está disponível nas unidades de saúde de Fortaleza.

Em Fortaleza, de janeiro a abril de 2018, foram confirmados 21 casos de Influenza (A e B), com um óbito. Em 2017, foram registrados 29 casos da doença, com a confirmação de quatro óbitos. Já em 2016, foram confirmados 68 casos, resultando em três óbitos.

Região Metropolitana
Em conjunto com Fortaleza, a vacinação contra a influenza também ocorrerá em outros municípios da Região Metropolitana como Caucaia, Maracanaú, Maranguape, Eusébio, Aquiraz, Itaitinga e Horizonte.

Postos de Saúde de Fortaleza
Postos de Saúde referência para atendimento à Influenza

 

Publicado em Saúde
 
vacinação
A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe
A vacina de imunização contra a influenza está sendo ofertada para toda a população de Fortaleza nos 109 postos de saúde da Capital desde o último dia 12 de junho, enquanto houver estoque. A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informa que são cerca de 45 mil doses disponíveis para os usuários do Município.
 
De acordo com a assessora técnica de Imunização da SMS, Renata Dias, até a última sexta-feira (9/6), Fortaleza contabilizava 66% do público alvo imunizado, o que representa um geral de 331.347 mil pessoas entre puérperas, idosos, gestantes, trabalhadores da saúde e crianças de seis meses a menor de 5 anos.
 
Além dos grupos prioritários, toda a população fortalezense pode buscar o posto de saúde mais próximo de sua residência para ter acesso à vacina.  As unidades básicas funcionam de segunda a sexta-feira, no horário de 7h às 19h, e nos finais de semana, os postos de saúde Paulo Marcelo (Centro) e Messejana, de 8h às 16h30.
 
A vacina protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para este ano de 2017 (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção.
Publicado em Saúde
A ação acontecerá em 22 pontos distribuídos nas seis regionais (Foto: Marcos Moura)

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) promove até o dia 26 de maio (domingo) a campanha de vacinação contra a influenza. A ação acontecerá em 22 pontos distribuídos nas seis regionais de Fortaleza em horários diferenciados, entre 8h e 21 horas.

A 15ª campanha, direcionada para um grupo prioritário formado por adultos com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a 2 anos, gestantes, mulheres no período de até 45 dias após o parto (em puerpério), doentes crônicos e profissionais de saúde, já atingiu uma marca de 241.311 pessoas vacinadas. O último balanço da vacinação realizado pela SMS foi liberado nessa sexta-feira (24). Confira os números:

TOTAL DE VACINADOS

GRUPO                         META                   TOTAL             %
Trabalhadores               39.400                     17955           45,57
Gestantes                       28.140                     15519          55,15
Crianças 6m à <2a         56.280                     30787          54,70
Crianças 2a à <9a            5.625                       3135          55,73
60 e +                          242.430                   142193          58,65
Puérperas                         4.626                       3504          75,75
Comorbidade de 9 à 59a  44.379                   28218          63,58
Comorbidade Geral          50.004                   31353          62,70
TOTAL                          420.880                   241311        57,33

Publicado em Saúde
Página 2 de 2