12 de fevereiro de 2019 em Economia

Nova pesquisa do Procon Fortaleza aponta redução de preços nos supermercados

No entanto, a variação no preço de alguns alimentos pode chegar a 250% entre os estabelecimentos pesquisados. A pesquisa pode ser acessada pelo aplicativo "Proconomizar", que está disponível nas versões androi e iOS


Em fevereiro, alimentos e produtos mais consumidos nos lares dos fortalezenses sofreram redução de 3,46%. É o que indica a nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgada, nesta terça-feira (12/2). No mês anterior, a soma da média dos 60 produtos pesquisados ficou em R$ 439,23, enquanto neste último levantamento, realizado entre os dias 4 e 6 de fevereiro, os preços somam R$ 424,01. O Procon alerta que não pode haver divergência entre o preço nas prateleiras com o preço apresentado no caixa. Supermercados podem receber multas de R$ 852,14 à R$ 12,7 milhões por práticas abusivas.

A Regional do Centro apresenta os maiores preços na média dos produtos pesquisados, somando R$ 475,57 todos os itens, enquanto que a Regional IV, onde ficam bairros como Benfica, Demócrito Rocha e Parangaba, totaliza R$ 344,59. Consulte aqui os preços de alimentos e produtos em todas regionais.

Entre as maiores variações nos dez supermercados pesquisados, a pesquisa indica que o quilo do tomate pode ser encontrado por até 250% de diferença, indo de R$ 2,28 a R$ 7,98. O quilo do alho também apresenta alta variação, sendo comprado de R$ 7,90 a R$ 26,98, o que confere 241,51% de diferença entre o estabelecimento mais barato e o mais caro.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, orienta que o consumidor analise os encartes distribuídos, dando atenção para produtos que esjetam em promoção. Ela explica o que fazer, caso o consumidor encontre preços divergentes entre o anunciado e o valor do produto apresentado nos caixas. "É preciso exigir que o preço seja o mesmo que foi divulgado. E caso ocorra diferença de preços, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor", enfatizou a Diretora.

As cinco maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Tomate (Kg) R$ 2,28 R$ 7,98 250,00%
Alho (Kg) R$ 7,90 R$ 26,98 241,51%
Mamão (Kg) R$ 1,18 R$ 3,49 195,76%
Pimentão (Kg) R$ 2,99 R$ 7,98 166,88%
Cebola (Kg) R$ 2,45 R$ 5,99 144,48%

Dicas e direitos
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Nova pesquisa do Procon Fortaleza aponta redução de preços nos supermercados

No entanto, a variação no preço de alguns alimentos pode chegar a 250% entre os estabelecimentos pesquisados. A pesquisa pode ser acessada pelo aplicativo "Proconomizar", que está disponível nas versões androi e iOS

Em fevereiro, alimentos e produtos mais consumidos nos lares dos fortalezenses sofreram redução de 3,46%. É o que indica a nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgada, nesta terça-feira (12/2). No mês anterior, a soma da média dos 60 produtos pesquisados ficou em R$ 439,23, enquanto neste último levantamento, realizado entre os dias 4 e 6 de fevereiro, os preços somam R$ 424,01. O Procon alerta que não pode haver divergência entre o preço nas prateleiras com o preço apresentado no caixa. Supermercados podem receber multas de R$ 852,14 à R$ 12,7 milhões por práticas abusivas.

A Regional do Centro apresenta os maiores preços na média dos produtos pesquisados, somando R$ 475,57 todos os itens, enquanto que a Regional IV, onde ficam bairros como Benfica, Demócrito Rocha e Parangaba, totaliza R$ 344,59. Consulte aqui os preços de alimentos e produtos em todas regionais.

Entre as maiores variações nos dez supermercados pesquisados, a pesquisa indica que o quilo do tomate pode ser encontrado por até 250% de diferença, indo de R$ 2,28 a R$ 7,98. O quilo do alho também apresenta alta variação, sendo comprado de R$ 7,90 a R$ 26,98, o que confere 241,51% de diferença entre o estabelecimento mais barato e o mais caro.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, orienta que o consumidor analise os encartes distribuídos, dando atenção para produtos que esjetam em promoção. Ela explica o que fazer, caso o consumidor encontre preços divergentes entre o anunciado e o valor do produto apresentado nos caixas. "É preciso exigir que o preço seja o mesmo que foi divulgado. E caso ocorra diferença de preços, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor", enfatizou a Diretora.

As cinco maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Tomate (Kg) R$ 2,28 R$ 7,98 250,00%
Alho (Kg) R$ 7,90 R$ 26,98 241,51%
Mamão (Kg) R$ 1,18 R$ 3,49 195,76%
Pimentão (Kg) R$ 2,99 R$ 7,98 166,88%
Cebola (Kg) R$ 2,45 R$ 5,99 144,48%

Dicas e direitos
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.