13 de dezembro de 2019 em Habitação

Prefeitura inicia segunda etapa do trabalho social no residencial Alameda das Palmeiras

Na primeira etapa, cerca de 5 mil famílias foram beneficiadas e a expectativa é que esse número dobre nos próximos 12 meses


secretária em cima de palco falando ao microfone para pessoas assistindo
A ideia é que o trabalho seja desenvolvido durante um ano

A Prefeitura de Fortaleza apresentou a segunda etapa do trabalho social que será desenvolvido junto a famílias que vivem no residencial Alamedas das Palmeiras, no bairro Pedras (Regional VI). A apresentação do Plano de Desenvolvimento Social e Territorial (PDST) ocorreu nesta sexta-feira (13/12) e contou com a presença da titular da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor), Olinda Marques.

O PDST deve ocorrer nos próximos 12 meses, tempo em que o consórcio TPF/Quanta (empresas licitadas) deve desenvolver as mais de 20 atividades principais, além de outras de pequeno porte. Assim como o Projeto de Trabalho Social (PTS) desenvolvido anteriormente com as famílias, as ações dessa segunda fase se baseiam entre três eixos principais: o de mobilização e fortalecimento social, de educação ambiental e patrimonial e o de desenvolvimento socioeconômico. “A principal diferença entre PTS e PDST é que este último amplia o raio de atuação das ações, promovendo não apenas integração no residencial, mas também no seu entorno. Em paralelo a todas essas atividades, ocorrerá o acompanhamento da gestão social e de intervenção acompanhado pelo Município, por meio da Habitafor”, explica a assistente social da Secretaria, Joselania Magalhães.

Mais

O trabalho social é uma ação transversal que ocorreu junto às famílias contempladas nos programas de habitação. No residencial Alameda das Palmeiras, quase 5.000 famílias já foram beneficiadas durante a primeira etapa com atividades de capacitação, educação, estímulo ao empreendedorismo e orientação de convívio social. Em toda a Cidade, a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza já beneficiou cerca de 20 mil famílias. São casos como o da dona Maria Aparecida do Nascimento, que depois de participar de cursos de Empreendedorismo e Economia Solidária, montou o próprio negócio e ainda ajuda outros moradores. “Além dos meus produtos, eu ajudo outros vizinhos cedendo espaço na minha barraca, sendo que um vende pães e o outro vende água. Para mim, que tive momentos muitos difíceis na família, vi nos cursos a retomada da minha autoestima”, celebrou a moradora.

Prefeitura inicia segunda etapa do trabalho social no residencial Alameda das Palmeiras

Na primeira etapa, cerca de 5 mil famílias foram beneficiadas e a expectativa é que esse número dobre nos próximos 12 meses

secretária em cima de palco falando ao microfone para pessoas assistindo
A ideia é que o trabalho seja desenvolvido durante um ano

A Prefeitura de Fortaleza apresentou a segunda etapa do trabalho social que será desenvolvido junto a famílias que vivem no residencial Alamedas das Palmeiras, no bairro Pedras (Regional VI). A apresentação do Plano de Desenvolvimento Social e Territorial (PDST) ocorreu nesta sexta-feira (13/12) e contou com a presença da titular da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor), Olinda Marques.

O PDST deve ocorrer nos próximos 12 meses, tempo em que o consórcio TPF/Quanta (empresas licitadas) deve desenvolver as mais de 20 atividades principais, além de outras de pequeno porte. Assim como o Projeto de Trabalho Social (PTS) desenvolvido anteriormente com as famílias, as ações dessa segunda fase se baseiam entre três eixos principais: o de mobilização e fortalecimento social, de educação ambiental e patrimonial e o de desenvolvimento socioeconômico. “A principal diferença entre PTS e PDST é que este último amplia o raio de atuação das ações, promovendo não apenas integração no residencial, mas também no seu entorno. Em paralelo a todas essas atividades, ocorrerá o acompanhamento da gestão social e de intervenção acompanhado pelo Município, por meio da Habitafor”, explica a assistente social da Secretaria, Joselania Magalhães.

Mais

O trabalho social é uma ação transversal que ocorreu junto às famílias contempladas nos programas de habitação. No residencial Alameda das Palmeiras, quase 5.000 famílias já foram beneficiadas durante a primeira etapa com atividades de capacitação, educação, estímulo ao empreendedorismo e orientação de convívio social. Em toda a Cidade, a Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza já beneficiou cerca de 20 mil famílias. São casos como o da dona Maria Aparecida do Nascimento, que depois de participar de cursos de Empreendedorismo e Economia Solidária, montou o próprio negócio e ainda ajuda outros moradores. “Além dos meus produtos, eu ajudo outros vizinhos cedendo espaço na minha barraca, sendo que um vende pães e o outro vende água. Para mim, que tive momentos muitos difíceis na família, vi nos cursos a retomada da minha autoestima”, celebrou a moradora.