27 de dezembro de 2017 em Economia

Procon divulga última pesquisa do ano em supermercados e aponta quais alimentos ficaram mais baratos

A pesquisa traz, pela primeira vez, o comparativo dos preços praticados no início e no fim deste ano, indicando uma redução de 5,56% na média geral


Os 47 produtos pesquisados mensalmente, registraram uma redução de 5,56% na média geral, quando comparados os preços praticados entre o início e o final deste ano
Feijão, arroz e açúcar ficaram mais baratos para o fortalezense no período de 12 meses (Foto: Kaio Machado)

Os 47 produtos pesquisados mensalmente pelo Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) registraram uma redução de 5,56% na média geral, quando comparados os preços praticados entre o início e o fim deste ano. A soma de todos os itens em janeiro foi de R$ 278,37, caindo para R$ R$ 262,89 em dezembro de 2017.  O quilo do feijão, por exemplo, custava, em janeiro de 2017, uma média de R$ 5,58 nos supermercados da Capital, enquanto neste último levantamento, realizado nos dias 19 e 20 de dezembro, o preço médio do quilo do alimento caiu para R$ 3,64, o que significa uma redução de 34,77%. Já o açúcar era comprado de R$ 2,85 em janeiro e, agora, pode ser adquirido por R$ 2,15, ou seja, 24,56% de queda na média geral. O arroz também sofreu redução de 11,29% no preço médio, passando de R$ 3,19 para R$ 2,83 no período de 12 meses.

Para a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, a última pesquisa com o comparativo realizado entre o início e o fim de 2017 comprova que o consumidor possui o poder de compra e sua escolha influencia na variação de preços. "Quando o consumidor opta por preços mais baixos, ele está, na verdade, forçando o mercado a reduzir o valor de produtos mais caros", afirmou.

Preços em dezembro
Mas a última pesquisa do ano nos supermercados da Capital continua a apontar uma variação alta entre os supermercados mais caros e os mais baratos, chegando a 671% nos preços de alimentos e produtos de primeira necessidade. O quilo do alho foi o item que mais variou, podendo ser comprado de R$ 5,90 a R$ 45,50. Em seguida, o tomate, cuja variação ficou em 245%, sendo encontrado de R$ 1,59 a R$ 5,49, o quilo.

Confira aqui todos os preços aqui.

O que subiu em 2017
PRODUTO                 JANEIRO                   DEZEMBRO                   VARIAÇÃO
Ovos                         R$ 13,90                    R$ 17,50                        25,90%
Farinha                      R$ 4,23                     R$ 4,68                          10,64%
Batata                       R$ 3,21                     R$ 3,54                          10,28%
Coentro                     R$ 1,29                     R$ 1,39                          7,75%
Carne Bovina 1ª         R$ 31,20                   R$ 33,31                        6,76%

O que caiu em 2017
PRODUTO                JANEIRO                    DEZEMBRO                   VARIAÇÃO
Feijão                       R$ 5,58                      R$ 3,64                         -34,77%
Pimentão                  R$ 6,08                      R$ 3,97                         -34,70%
Laranja                     R$ 3,84                      R$ 2,67                         -30,47%
Açúcar                      R$ 2,85                      R$ 2,15                         -24,56%
Alho                         R$ 25,37                    R$ 20,81                        -17,97%

Maiores variações
Dezembro/2017
PRODUTO                MENOR                        MAIOR                         VARIAÇÃO
Alho                         R$ 5,90                        R$ 45,50                      671,19%
Tomate                     R$ 1,59                       R$ 5,49                        245,28%
Pimentão                  R$ 1,98                        R$ 5,49                        177,27%
Feijão                       R$ 1,99                        R$ 4,58                        130,15%
Laranja                     R$ 1,68                        R$ 3,79                        125,60%

Dicas e direitos nos supermercados
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Procon divulga última pesquisa do ano em supermercados e aponta quais alimentos ficaram mais baratos

A pesquisa traz, pela primeira vez, o comparativo dos preços praticados no início e no fim deste ano, indicando uma redução de 5,56% na média geral

Os 47 produtos pesquisados mensalmente, registraram uma redução de 5,56% na média geral, quando comparados os preços praticados entre o início e o final deste ano
Feijão, arroz e açúcar ficaram mais baratos para o fortalezense no período de 12 meses (Foto: Kaio Machado)

Os 47 produtos pesquisados mensalmente pelo Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) registraram uma redução de 5,56% na média geral, quando comparados os preços praticados entre o início e o fim deste ano. A soma de todos os itens em janeiro foi de R$ 278,37, caindo para R$ R$ 262,89 em dezembro de 2017.  O quilo do feijão, por exemplo, custava, em janeiro de 2017, uma média de R$ 5,58 nos supermercados da Capital, enquanto neste último levantamento, realizado nos dias 19 e 20 de dezembro, o preço médio do quilo do alimento caiu para R$ 3,64, o que significa uma redução de 34,77%. Já o açúcar era comprado de R$ 2,85 em janeiro e, agora, pode ser adquirido por R$ 2,15, ou seja, 24,56% de queda na média geral. O arroz também sofreu redução de 11,29% no preço médio, passando de R$ 3,19 para R$ 2,83 no período de 12 meses.

Para a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, a última pesquisa com o comparativo realizado entre o início e o fim de 2017 comprova que o consumidor possui o poder de compra e sua escolha influencia na variação de preços. "Quando o consumidor opta por preços mais baixos, ele está, na verdade, forçando o mercado a reduzir o valor de produtos mais caros", afirmou.

Preços em dezembro
Mas a última pesquisa do ano nos supermercados da Capital continua a apontar uma variação alta entre os supermercados mais caros e os mais baratos, chegando a 671% nos preços de alimentos e produtos de primeira necessidade. O quilo do alho foi o item que mais variou, podendo ser comprado de R$ 5,90 a R$ 45,50. Em seguida, o tomate, cuja variação ficou em 245%, sendo encontrado de R$ 1,59 a R$ 5,49, o quilo.

Confira aqui todos os preços aqui.

O que subiu em 2017
PRODUTO                 JANEIRO                   DEZEMBRO                   VARIAÇÃO
Ovos                         R$ 13,90                    R$ 17,50                        25,90%
Farinha                      R$ 4,23                     R$ 4,68                          10,64%
Batata                       R$ 3,21                     R$ 3,54                          10,28%
Coentro                     R$ 1,29                     R$ 1,39                          7,75%
Carne Bovina 1ª         R$ 31,20                   R$ 33,31                        6,76%

O que caiu em 2017
PRODUTO                JANEIRO                    DEZEMBRO                   VARIAÇÃO
Feijão                       R$ 5,58                      R$ 3,64                         -34,77%
Pimentão                  R$ 6,08                      R$ 3,97                         -34,70%
Laranja                     R$ 3,84                      R$ 2,67                         -30,47%
Açúcar                      R$ 2,85                      R$ 2,15                         -24,56%
Alho                         R$ 25,37                    R$ 20,81                        -17,97%

Maiores variações
Dezembro/2017
PRODUTO                MENOR                        MAIOR                         VARIAÇÃO
Alho                         R$ 5,90                        R$ 45,50                      671,19%
Tomate                     R$ 1,59                       R$ 5,49                        245,28%
Pimentão                  R$ 1,98                        R$ 5,49                        177,27%
Feijão                       R$ 1,99                        R$ 4,58                        130,15%
Laranja                     R$ 1,68                        R$ 3,79                        125,60%

Dicas e direitos nos supermercados
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.