A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor) segue dando continuidade nas ações de regularização fundiária na área da Regional 4. Depois da comunidade da Salgadeira, nesta semana as equipes da Coordenadoria de Regularização Fundiária (Coref) focaram os trabalhos na comunidade Matadouro, localizada no bairro Jardim América.

Assim como na ação realizada na Salgadeira em março, os trabalhos se concentram na verificação de vias, números e, principalmente, nos tipos de uso dos imóveis. Os profissionais do social e do urbanístico também observam outros detalhes da comunidade, como o acesso à rede de esgotamento sanitário. Essa ação antecede a fase de revalidação que é quando as equipes catalogam os dados das famílias para o processo de titularização.

A comunidade Matadouro é formada por cerca de 150 famílias e está na mesma região da Brasília, que deverá receber a visita das equipes técnicas da Habitafor nos próximos meses.

Mais

A regularização fundiária (papel da casa) faz parte a política habitacional desenvolvida pela Prefeitura de Fortaleza que tem como objetivo central garantir a formalização de núcleos urbanos e a consequente segurança patrimonial de famílias vulneráveis na capital.

Atualmente, mais de 30 comunidades em Fortaleza são alvos de ações da regularização fundiária, com destaque para os conjuntos habitacionais Maria Tomásia, Tatumundé, Palmeiras e Maravilha, além da região do Vila do Mar, no Pirambu, e de comunidades consolidadas como a do Areal, Jardim Glória (Che Guevara), José de Alencar, Planalto Vitória, Açude João Lopes, entre outras.

Em 2021, apesar dos obstáculos impostos pela pandemia, mais de 1.300 matrículas foram emitidas oficializando a parte documental desses imóveis e gerando a dignidade de endereços oficiais reconhecidos por governos e por outras instituições, além de outros benefícios.

Publicado em Habitação

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional de Fortaleza (Habitafor) inicia, nesta segunda-feira (14/03), um trabalho de verificação de vias, números e tipos de imóveis na Comunidade da Salgadeira, no bairro Jardim América (Regional 4). A ação antecede a fase de revalidação, quando as equipes irão catalogar dados das famílias para o processo de regularização fundiária.

As equipes do social, jurídico e urbanístico da Coordenadoria de Regularização Fundiária (Coref) passam de casa em casa, verificando principalmente o tipo de uso das residências e outros detalhes da comunidade. “Estamos fazendo um reconhecimento de campo, conhecendo as condições da comunidade, além de vias e números que vão ajudar nas pesquisas de cartório. Esse é um dos passos para dar a regularização fundiárias dessas pessoas”, explicou o arquiteto Otávio Braga.

Braga também destacou a importância do trabalho desenvolvido pela Prefeitura de Fortaleza. “A regularização fundiária leva segurança jurídica para as famílias, pois elas serão proprietárias efetivas, pois se futuramente quiserem fazer algum tipo de negócio, elas farão de forma mais segura”.

A fala do arquiteto converge com o pensamento da dona Rita Vieira, moradora da região. “É uma segurança e dá mais tranquilidade a pessoa ter a sua casa com o seu documento em mãos. Para mim é surpresa e uma surpresa boa”.

Mais

Além das mais de 200 famílias da Salgadeira, moradores das comunidades do Matadouro e Brasília, também naquela região, devem receber a visita das equipes da Coordenadoria de Regularização Fundiária da Habitafor.

Publicado em Habitação

Equipes do Social, Jurídico e Urbanístico da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) estão na área comunidade do Serviluz, no grande Vicente Pinzón (Regional 2), com o objetivo de elaborar um diagnóstico para a retomada das ações de Regularização Fundiária Urbana (Reurb) da região. O levantamento é fundamental para o processo de autorização da Superintendência do Patrimônio da União (SPU) para o andamento da titularização das famílias.

A técnica social da Habitafor, Keyve Castro, explica a importância do diagnóstico para a concessão do papel da casa. “Como em outras partes da cidade, o Serviluz é alvo da regularização fundiária e esses dados são importantes para mostrar a consolidação da comunidade, principalmente com dados relativos ao total de famílias e as condições de habitabilidade. Somente com essas informações, a SPU poderá autorizar a efetivação da Reub naquela região”. O trabalho também é necessário para fazer adaptações ao Plano Integrado de Regularização Fundiária (PIRF), tendo em vista que a área é uma Zona Especial de Interesse Social (ZEIS).

A Regularização Fundiária Urbana consiste no conjunto de medidas jurídicas, urbanísticas, ambientais e sociais que visam à titularização de núcleos urbanos informais ao ordenamento territorial urbano, garantindo assim o direito social à moradia, o pleno desenvolvimento das funções sociais da propriedade urbana e o direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado.

Mais

Com a finalização do levantamento da área e a autorização da Superintendência do Patrimônio da União, a expectativa da Habitafor é que mais de 1.800 famílias sejam beneficiadas com o papel da casa. Além das ações de regularização fundiária, a Prefeitura também desenvolve o trabalho de melhorias habitacionais na área do Serviluz.

Publicado em Habitação

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) realiza o processo de revalidação cadastral de famílias do conjunto habitacional Tatumundé, localizado no grande Bom Jardim (Regional 5). Essa ação faz parte do trabalho de regularização fundiária (papel da casa) desenvolvido pela política habitacional da Prefeitura de Fortaleza.

A revalidação consiste no processo de checagem dos dados de cada família residente no empreendimento. Na oportunidade, documentos como RG, CPF e comprovantes de residência são as prioridades no procedimento de atualização. “A Habitafor teve um feedback do cartório, assim como a correção da matrícula geral da área junto à Coordenadoria de Gestão do Patrimônio e agora vamos avançar com a titulização dessas moradias”, explica Keyve Castro, da Coordenadoria de Regularização Fundiária da Habitafor.

Mais

O trabalho executado no Tatumundé é uma continuidade, tendo em vista que a Habitafor já realizou uma primeira etapa de cadastros. “O habitacional é formado por mais de 700 residências e já foram enviados 396 nomes para cartório que deverão ser revalidados, além dos possíveis novos registros”, observa Keyve Castro.

O processo de revalidação cadastral ocorre de forma virtual pelo qual as equipes da Habitafor, devidamente identificadas, fazem contato direto com cada família, validando documentação e tirando dúvidas no ato do procedimento.

Publicado em Habitação

Equipes do social, jurídico e urbanístico da Coordenadoria de Regularização Fundiária (Coref) da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) realizam uma ação de verificação de vias, números e tipos de uso dos imóveis da Comunidade Tapioqueiras, no bairro Mondubim (Regional 10). A iniciativa, que seguirá pelos próximos dias, é parte das etapas para a concessão do papel da casa para as famílias daquela região.

Nesta fase, as equipes vão passar pelas mais de 70 residências que compõem a comunidade. “Esta etapa é uma espécie de reconhecimento de campo, bem voltada para a parte urbanística, com mediação de residências para adequação de novos procedimentos adotados pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma)” explica a técnica social da Habitafor, Keyve Castro. O trabalho antecede a fase de revalidação que ocorrerá tão logo a Habitafor receba a aprovação do projeto urbanístico por parte da Seuma.

Mais

As equipes da Coordenadoria de Regularização Fundiária da Habitafor seguem com o trabalho de revalidação nos conjuntos habitacionais Nossa Senhora de Fátima e Maravilha, ambos localizados no bairro de Fátima (Regional 4). Ao todo, mais de 400 deverão passar pelo processo de titularização nesses dois locais.

Publicado em Habitação

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) segue avançando com os trabalhos de regularização fundiária em Fortaleza. Depois do envio de documentos da comunidade Irmã Dulce (Mondubim) e a revalidação cadastral de famílias dos conjuntos habitacionais Nossa Senhora de Fátima e Maravilha, ambos no bairro de Fátima, chegou a vez dos moradores da comunidade Planaltina, no Bonsucesso (Regional 5), terem as suas documentações avançando para a fase cartorária do processo de titularização.

A informação é da Coordenadoria de Regularização Fundiária do órgão, que realizou a revalidação cadastral das famílias, totalizando 59 processos aptos para serem enviados para o cartório. “Ao todo, serão 200 famílias. Contudo nessa primeira revalidação, identificamos essas 59 residências aptas. Vale ressaltar que a comunidade Planaltina já teve o aprovo urbanístico da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma)”, destaca a técnica social, Keyve Castro.

Na fase de cartório, as documentações passam por um rigoroso processo de conferência de dados para em seguida serem emitidas as matrículas individuais de cada morador. Vale lembrar que a titularização promovida pela Prefeitura de Fortaleza é totalmente gratuita, de acordo com a Lei da Reurb 13.465/2017.

A técnica social lembra que a revalidação dos demais moradores da comunidade Planaltina segue normalmente, por meio do cadastramento on-line desenvolvido pela Habitafor para essa finalidade. “É importante dizer que vamos continuar esse trabalho na Planaltina, pois precisamos avançar com a revalidação que, por conta da pandemia, ocorre eletronicamente. Ressalto que o contato é feito diretamente pelas nossas equipes, pelo qual o morador pode ter segurança quanto ao processo de titularização”, afirma Keyve Castro.

Mais

Em 2021, mais de 1.000 famílias receberam o papel da casa que oficializa a parte documental do imóvel, proporciona segurança jurídica, além de promover outras facilidades como acesso a financiamentos, bem como a dignidade de endereços oficiais reconhecidos pelos governos e instituições e outros direitos como saneamento, esporte, lazer e outros.

A regularização fundiária (papel da casa) integra a política habitacional desenvolvida pela Prefeitura de Fortaleza que tem como objetivo principal garantir a formalização de núcleos urbanos e a consequente segurança patrimonial de famílias vulneráveis na capital.

Publicado em Habitação

A Prefeitura de Fortaleza inicia, nesta quarta-feira (02/02), por meio da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor), o processo de revalidação cadastral das famílias do Conjunto Habitacional Nossa Senhora de Fátima, localizado no bairro de Fátima (Regional 4). A coleta de documentos dos beneficiários é necessária para o avanço nos procedimentos de regularização fundiária da comunidade.

Assista à matéria da TV Terra do Sol

De acordo com a Coordenadoria de Regularização Fundiária da Habitafor, 198 famílias devem passar pela revalidação dos dados que será na modalidade on-line e por telefone. “Como estamos no período de pandemia, nós disponibilizamos contatos telefônicos, inclusive whatsapp, para que eles possam entrar em contato e obter mais informações. Contudo nesta quarta-feira, faremos uma mobilização na própria comunidade para informar as famílias sobre o processo”, observa a técnica social da Habitafor, Keyve Castro.

Mais

Além das 198 famílias do Conjunto Habitacional Nossa Senhora de Fátima, outras 264 do Conjunto Maravilha, também localizado no bairro de Fátima, passam por revalidação cadastral. Nos últimos dias, a Habitafor vem avançando nas ações de regularização fundiária que leva segurança jurídica e patrimonial para comunidades vulneráveis da Cidade.

Publicado em Habitação

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) está dando continuidade no processo de regularização fundiária do Conjunto Habitacional Maravilha, localizado no bairro de Fátima (Regional 4). Inicialmente, 264 famílias terão seus cadastros revalidados pela equipe da Coordenadoria de Regularização Fundiária (Coref).

Devido à pandemia, a equipe da Habitafor realiza os trabalhos iniciais de forma remota contactando os moradores por telefone e outros meios de mensagens como WhatsApp e Eemail. "A equipe vai revalidar a documentação de quem é beneficiário antigo, principalmente com o comprovante de residência atual. Já com os novos moradores, nós vamos colocar em prática o projeto do cadastramento on-line, utilizado em outras comunidades", explica a técnica social da Coref, Keyve Castro.

A revalidação cadastral das famílias do Conjunto Maravilha ocorrerá paralelamente a ajustes no trabalho urbanístico validado pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma). "Essas atividades fazem parte da continuidade do plano de regularização fundiária que vai levar segurança jurídica e patrimonial para moradores da Comunidade Maravilha", ressalta Castro.

Publicado em Habitação

A Secretaria Municipal do Desenvolvimento Habitacional (Habitafor) avança no processo de regularização fundiária do Conjunto Irmã Dulce II, localizado no bairro Mondubim (Regional 10). Ao todo, 52 famílias tiveram seus processos aprovados e serão encaminhados ainda nesta semana ao cartório de registro de imóveis para emissão das matrículas individuais.

O processo de titulização do Conjunto Irmã Dulce II não foi diferente dos demais, uma vez que teve que passar por todas as fases, desde identificação da demanda e poligonal, passando pelo cadastro das famílias, aprovação do projeto urbanístico e, por fim, o processo de revalidação cadastral realizado pela equipe da Coordenadoria de Regularização Fundiária da Habitafor. “Por se tratar de um cadastro antigo, a equipe teve que fazer uma revalidação e conseguiu encontrar esse total moradores cadastrados, no entanto o processo seguirá e esse número deverá aumentar”, explica a técnica social, Keyve Castro.

Mais

A regularização fundiária (papel da casa) integra a política habitacional desenvolvida pela Prefeitura de Fortaleza que tem como objetivo principal garantir a formalização de núcleos urbanos e a consequente segurança patrimonial de famílias vulneráveis na capital.

Em 2021, mais de 1.000 famílias receberam o papel da casa que oficializa a parte documental do imóvel, proporcionando segurança jurídica, além de outras facilidades como financiamentos, bem como a dignidade de endereços oficiais reconhecidos pelos governos e instituições e outros direitos como saneamento, esporte, lazer e outros.

Publicado em Habitação
moradora assina termo de recebimento do papel da casa
Em 2021, mais de mil famílias receberam o papel da casa

A Prefeitura de Fortaleza desenvolve a sua política habitacional, por meio da Secretaria Municipal Desenvolvimento Habitacional (Habitafor), e dentre os eixos de atuação, destaca-se o da Regularização Fundiária Urbana (Reurb/Lei 13465/2017). Essa iniciativa garante a formalização de núcleos urbanos e a consequente segurança patrimonial de famílias vulneráveis na capital cearense.

Em 2021, mais de mil famílias receberam o papel da casa, que tem a função de oficializar a parte documental do imóvel, proporcionando segurança jurídica, além de outras facilidades como financiamentos, principalmente para obras de construção ou reformas de suas casas, a dignidade de endereços oficiais reconhecidos pelos governos e outras instituições e, também, efetiva direitos como saneamento, esporte, lazer e outros. Porém, para que esse documento chegue às mãos do beneficiário, ele percorre um longo caminho que envolve a participação das famílias, de lideranças comunitárias, de agentes financeiros, cartórios e outros entes públicos.

O processo se inicia com a definição da área a ser trabalhada, seguida da etapa de diagnóstico, em que informações sociais, jurídicas e urbanísticas são levantadas para a elaboração do projeto de titularização. Na sequência, ocorre a fase de notificação e apresentação de propostas para a elaboração e aprovação do projeto urbanístico, junto à Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio ambiente (Seuma).

Com a parte urbanística aprovada, a Habitafor começa o contato com a comunidade que será beneficiada, para que as famílias entendam a importância do processo, assim como recebam orientações acerca da documentação necessária. “Nesse momento, é fundamental o apoio das lideranças para o andamento do projeto, sobretudo na mobilização e conscientização das famílias para que elas participem das reuniões, tirem dúvidas e estabeleçam um vínculo com as equipes de trabalho, principalmente durante o cadastro social dos moradores, fundamental para a evolução do processo”, observa a técnica social, Keyve Castro.

Concomitante ao cadastro social, as equipes realizam a catalogação dos imóveis, por meio do levantamento físico com mediação das residências e identificação dos espaços públicos daquela poligonal. Após o aprovo do projeto urbanístico, a finalização do cadastro das famílias e a medição dos imóveis concluída, ocorre a aprovação da Reurb e a consequente emissão da Certidão de Regularização Fundiária que é encaminhada pelo setor jurídico ao cartório de registro de imóveis competente para abertura das matrículas individuais.

Atualmente, mais de 5.800 famílias estão em processo de regularização fundiária em diversas áreas da Cidade, destaque para comunidade do Campo Estrela e São Cristóvão com 1.863 residências e o conjunto habitacional Maria Tomázia com 1.126 famílias em titularização.

Publicado em Habitação
Página 1 de 5