Dando continuidade às atividades alusivas ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose, iniciadas no dia 23 de março, a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) realiza nesta sexta-feira (29/03), das 8h às 12h, o 1º Fórum temático – Tuberculose em Fortaleza: O Controle é possível. O evento conta com a parceria da Escola de Saúde Pública do Governo do Estado do Ceará.

O objetivo do encontro é elaborar uma Carta Compromisso para uma tomada de decisão quanto ao controle da tuberculose no Município. Participarão do evento profissionais da Rede de Atenção à Saúde; dos Conselhos de Saúde; da Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS); do Ministério Público; das Universidades (Uece, UFC, UNIChristus, Estácio, Fanor, Unifor e Fametro) e de Organizações Não Governamentais (ONGs).

Na ocasião, haverá três oficinas temáticas que debaterão: “O que posso fazer, no meu território, para adesão ao tratamento da tuberculose”; “A inclusão social no cuidado ao paciente com tuberculose” e “O ensino na graduação e pós-graduação para o controle da tuberculose”.

De acordo com a assessora técnica da SMS, Raiane Martins, envolver diferentes setores nas ações de controle da tuberculose em Fortaleza só será possível com o apoio dos profissionais da saúde, dos gestores, das academias e sociedade civil organizada. “Temos a certeza que teremos, em breve, excelentes resultados no fortalecimento do acesso da nossa população à prevenção, ao diagnostico e ao tratamento da tuberculose”, afirma.

No sábado (30/03), o encerramento das ações educativas com distribuição de material informativo, além de abordagem a população em relação aos cuidados com a doença ocorrerão das 8h às 12h, na Feira Livre do Vicente Pinzon (Regional II), e às 16h no Corredor Comercial e Polo de Lazer do Conjunto Ceara (Regional V).

Saiba Mais
A tuberculose é uma doença infecciosa causada por uma bactéria que afeta principalmente os pulmões, embora possa atingir outros órgãos e sistemas, como: ossos, rins e pleura (membrana que envolve os pulmões). O principal sintoma é a tosse, podendo apresentar febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento e cansaço/fadiga. O diagnóstico precoce previne e ajuda no combate à transmissão da doença. A tuberculose tem cura, desde que tratada adequadamente por um período mínimo de seis meses e sem interrupção.

Serviço
1º Fórum temático - Tuberculose em Fortaleza: O Controle é possível
Data: 29 de março/2019
Horário: 8h às 12h
Local: Auditório Central da ESP/CE
Endereço: Av. Antônio Justa, 3161 - Meireles

Publicado em Saúde
A Regional IV também começou a realizar os testes

Vinte profissionais que atuam nos 13 postos de Saúde vinculados à Secretaria Regional I receberam capacitação do Ministério da Saúde para a realização da Prova Tuberculínica, também conhecida como Mantoux. O teste ajuda a agilizar o diagnóstico da Tuberculose. A Regional IV também começou a realizar os testes, e os profissionais de Saúde de outras regionais já estão sendo capacitados a fazer a Prova.


Segundo a enfermeira Juliana Gaspar, técnica do Distrito de Saúde da Regional I, o teste é bastante rápido e simples. "Trata-se apenas de uma aplicação subcutânea do Derivado Protéico Purificado (PPD) no braço da pessoa a ser diagnosticada. A substância age por três dias. Após este tempo, a pessoa volta ao posto para o profissional realizar a leitura, e indicar a ela a necessidade de tratamento ou não”, esclareceu Juliana. Ela explica que bebês, crianças, jovens, adultos e idosos que vivem próximos a pacientes com Tuberculose podem e devem realizar a Prova.

A Vitória Régia, de apenas dois anos, realizou o teste. Filha de mãe com Tuberculose, a dona de casa Maria Bonfim, de 40 anos, a criança já apresenta alguns sintomas de Tuberculose: tosse, falta de apetite e febre. Estes e outros sintomas da doença, como cansaço fácil, dificuldade para respirar, suor noturno e calafrio estão fazendo parte, há cerca de um ano, da vida da aposentada dona Maria Dolores, de 64 anos. “Aí que eu não gosto nada de esperar pelo pior. Já fiz Raio X e o teste do escarro. Todos os resultados foram negativos para a doença. Mas como os sintomas persistem, persisto também na investigação. Também vou realizar a Prova”, descreveu dona Dolores.

Dona Áurea Pereira, de 46 anos, é selecionadora de castanhas e cuida do marido que está com tuberculose, sendo, portanto, público alvo do Mantoux. “Ele faz tratamento no posto (Carlos Ribeiro, Jacarecanga, Regional I). Eu fiz o teste (Prova Tuberculínica), e meu filho, de 17 anos, fará também. Como nós dois estamos sempre perto do meu companheiro, cuidando dele, pode ser que a gente tenha o bacilo da Tuberculose e precise de tratamento pra evitar a doença”, explicou.

A Regional I também disponibiliza profissional para a coleta domiciliar do escarro, outra maneira para diagnosticar ou não a Tuberculose. O teste e o tratamento contra Tuberculose só estão disponíveis na rede pública.

Publicado em Saúde
O teste está disponível em qualquer um dos 13 postos de saúde da Regional I

Dados da Secretaria da Saúde do Ceará (SESA) indicam que Fortaleza ocupa o 1º lugar em taxa de mortalidade por tuberculose no Estado. Para reforçar o combate à doença na cidade, 20 profissionais de saúde que atuam nos 13 postos vinculados à Secretaria Regional I foram capacitados por técnicos habilitados pelo Ministério da Saúde em realização da Prova Tuberculínica. O público alvo do teste são pessoas que vivem próximas a pacientes com tuberculose. A Prova Tuberculínica é eficaz no indicativo da necessidade de tratamento preventivo à doença.

Também conhecida como Mantoux, a avaliação é um exame realizado através de aplicação subcutânea de Derivado Protéico Purificado (PPD) no braço da pessoa a ser diagnosticada. Após 72 horas, o profissional faz a leitura que indica a necessidade de tratamento medicamentoso ou não. O material necessário para que os testes sejam realizados é concedido pelo Ministério da Saúde.

Agora, a meta do Distrito de Saúde da Regional I, além de realizar um bom número de Provas Tuberculínicas, é implementar Ficha de Registro para as pessoas que foram submetidas ao teste e que foram diagnosticadas com infecção latente por tuberculose. Atualmente, 146 moradores dos bairros da Regional I recebem tratamento contra a tuberculose e, após implementação da ficha acima citada, haverá o número exato de quantas pessoas já foram submetidas à Prova Tuberculínica.

Além da Prova Tuberculínica, a Regional I disponibiliza profissional capacitado e moto para a coleta domiciliar e hábil transporte do escarro, outra maneira segura e eficiente para o diagnóstico da tuberculose. O teste e o tratamento contra tuberculose só estão disponíveis na rede pública.

Moradores da área da Regional I que estejam interessados em realizar o teste devem ir a qualquer um dos 13 postos de Saúde da Regional I, preferencialmente das 8h às 12 horas, nas terças e quintas-feiras. A Secretaria Regional IV também realiza os testes, e profissionais de Saúde de outras Regionais estão sendo capacitados para a realização da Prova Tuberculínica. Para saber mais sobre o assunto, ligar para 3433.6809.

Publicado em Saúde

Em comemoração ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose, 24 de março, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em parceria com a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), realizam o I Encontro com Comunicadores Sociais (jornalistas, radialistas e mídias sociais), com o tema “Tuberculose: fazendo a informação circular”, nessa sexta-feira, dia 22 de março, de 8h às 11h, no auditório Waldir Arcoverde da Sesa.

O evento, que faz parte da campanha organizada pelas Secretarias, tem como principal objetivo, informar aos comunicadores sobre a importância de se fazerem presentes em torno das discussões relacionadas à tuberculose, para dessa forma, solidificar uma parceria com o intuito de manter a população constantemente informada acerca desse mal. Na oportunidade, acontecerá também, a posse dos integrantes do Comitê Metropolitano de Combate à Tuberculose.

Em alusão à data, Estado e Município darão continuidade às diversas atividades referentes à luta contra a tuberculose iniciada nessa última segunda-feira (18). Dentro da programação, estão sendo empreendidas panfletagens com material educativo nos postos de saúdes e terminais de ônibus, palestras de sensibilização e esclarecimento referentes à doença, busca ativa de sintomático respiratório, que visa à detecção precoce de casos (considerada uma das prioridades do Programa Nacional de Controle da Tuberculose), consultas médicas e exames para os pacientes já diagnosticados, e busca de contatos nas visitas domiciliares e nas comunidades. Dando continuidade às ações, no dia 27 de março, às 14h, profissionais de saúde da rede pública estarão reunidos na FAMETRO – Faculdade Metropolitana da Grande Fortaleza, para a implantação da ficha de ILTB – Investigação de Contatos e Tratamento da Infecção Latente.

De acordo com um diagnóstico apresentado pela Equipe Técnica de Tuberculose e Hanseníase da SMS, Fortaleza detém hoje uma media de 50% dos casos de tuberculose de todo o Estado do Ceará, (apontada como uma das doenças infectocontagiosas e transmissíveis que mais mata). Só na Capital, são detectados cerca de 1.600 a 1.800 novos casos a cada ano.


Saiba mais:
A tuberculose, apesar de ter cura e de o tratamento ser feito gratuitamente pelo SUS, ainda é um grave problema de saúde pública. A maior incidência ocorre entre indígenas, população vivendo com HIV/Aids, presidiários e moradores de rua, com a probabilidade de adoecer até 67 vezes mais por não ter acesso à informação e aos serviços de saúde. O tratamento contra essa doença dura em média seis meses, podendo se estender de acordo com a gravidade do caso.

Publicado em Saúde