prevençaoemfamilianocras
Nesta quinta-feira (06/09), os encontros acontecem às 9h nos Cras Messejana, Bom Jardim e Canindezinho

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas) e da Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS), está dando continuidade as oficinas do Projeto Prevenção em Família. A iniciativa é do Governo do Estado, por intermédio da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD). Nesta quinta-feira (06/09), a terceira oficina que envolve pais e/ou responsáveis com crianças de 0 a 5 anos e 11 meses de idade vai abordar a importância dos momentos em família, incentivando-o a descobrir e proporcionar ocasiões de interação e afeto.

No total, são sete oficinas com encontros semanais com duração de uma hora. Os encontros são conduzidos por facilitadoras da CPDrogas, recentemente capacitadas para atuar no projeto. Segundo Anayara Melo, profissional que facilita no CRAS da Messejana, esse é um momento primordial para os participantes, pois a família é a influência mais forte para o desenvolvimento da personalidade e do caráter do cidadão. “É nesse fase que a criança começa a construir sua personalidade, por isso os pais precisam observar, dar atenção, afeto e limites”, explica.

Uma das metodologias utilizadas nos encontros são dinâmicas lúdicas que promovem a reflexão dos ensinamentos da oficina. De acordo com a coordenadora do Cras Bom Jardim, Sabrina Gomes, a aplicação do projeto colabora para amenizar as vulnerabilidades sociais enfrentadas pelas famílias. “Espero que as famílias que foram selecionadas aproveitem ao máximo a oportunidade e possam absorver a metodologia e usufruir no cotidiano, assim conseguirão promover grandes transformações”, pontuou.

 

Publicado em Social
crasbomjardim
A segunda oficina teve como tema o estímulo e reconhecimento das atitudes positivas dos filhos

A segunda oficina do Projeto Prevenção em Família aconteceu quinta e sexta-feira (30 e 31/08), nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) da Messejana, Canindezinho e Bom Jardim. As atividades do projeto são executadas pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas) e da Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS). O projeto envolve famílias com crianças de 0 a 5 anos e 11 meses de idade.

A segunda oficina teve como tema o estímulo e reconhecimento das atitudes positivas dos filhos. No CRAS do Bom Jardim, o momento foi coordenado pela profissional Viviany Belchior da CPDrogas, tendo como objetivo auxiliar os pais e/ou responsáveis a compreender a importância do elogio e as modificações que tal comportamento promove.

Cada participante levou para casa uma tabela de pontos para ser trabalhada ao longo da semana com as crianças objetivando a mudança de comportamento. Em seu depoimento, Linaura Ribeiro, 47 anos, avô de duas crianças disse estar gostando das oficinas, pois vem aprendendo a dar direcionamentos a determinadas situações cotidianas. “É uma idade de descobertas, estou buscando aprender e repassar para eles”, disse.

Na próxima quinta-feira (06/09), acontece o terceiro encontro, tendo início 9h, nos Cras da Messejana, Bom Jardim e Canindezinho.

Publicado em Social
prevençãoemfamilia
Encontros do projeto ocorrem nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS)

Estimular e reconhecer, incentivar boas atitudes e elogiar. Essas são as três diretrizes da segunda oficina do Projeto Prevenção em Família, que ocorre nos dias 30 e 31/08 (quinta e sexta-feira), nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). A aplicação dos encontros é realizada pela Prefeitura de Fortaleza, por intermédio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas) e da Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social de Fortaleza (SDHDS). A iniciativa do projeto é da Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD) do Estado do Ceará.

Os objetivos da oficina é fazer com que os pais e/ou responsáveis saibam a importância de reconhecer bons comportamentos e fazer elogios aos filhos, construindo assim um relacionamento positivo e saudável. O Prevenção em Família é um projeto direcionado para os pais e/ou responsáveis de crianças de 0 a 5 anos e 11 meses de idades como uma ferramenta de cuidado e fortalecimento de vínculos, contribuindo assim, na prevenção ao uso problemático de álcool e outras drogas.

Para a profissional da CPDrogas Ana Patrícia, assistente social e facilitadora das oficinas no CRAS do Canindezinho, a metodologia do projeto facilita a participação das famílias ativamente nas atividades propostas. “Cada oficina apresenta várias dinâmicas, o que facilita a compressão dos participantes. Os temas estão presentes no cotidiano de cada um, contribuindo para o crescimento dos fatores de proteção familiar”, explica.

Cronograma de aplicação do projeto Prevenção em Família

Messejana - 30/08 (quinta-feira), 9h
Endereço: Rua José Bonfim Júnior, s/n

Canindezinho - 30;08 (quinta-feira), 9h
Endereço: Rua José Maurício, 405

Vila União - 30/08 (quinta-feira), 13h30
Endereço: Rua Do Avião, s/n 

Bom Jardim - 31/08 (sexta-feira), 9h
Endereço: Rua Coronel João Correia, 2023

 

 

 

 

 

Publicado em Social

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas) e da Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS), dá início, nesta quinta e sexta-feira (23 e 24/08), à aplicação do Projeto Prevenção em Família nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) do Município. O projeto foi desenvolvido pela Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD) do Estado do Ceará, direcionado para os pais e/ou responsáveis de crianças de 0 a 5 anos de idades como uma ferramenta de cuidado e prevenção às famílias.

A cada semana, durante uma hora com base nas temáticas: políticas sobre drogas, mudanças de paradigmas, prevenção dos problemas relacionados ao uso de drogas, fatores de risco e de proteção, crenças normativas, habilidades de vida e sociais, serão desenvolvidas sete oficinas que abordarão de forma lúdica tais temas, trabalhando o fortalecimento dos vínculos familiares e contribuindo na prevenção ao uso problemático de álcool e outras drogas.

Para Elpídio Nogueira ,titular da SDHDS, as atividades nos CRAS são direcionadas ao cuidado e à preservação do bom ambiente familiar. “Esse projeto é importante porque muitos pais não sabem abordar e solucionar esse tipo de problema quando chega em suas residências. As oficinas vão ajudar a evitar conflitos gerados precocemente por conta do uso de drogas”.

De acordo com o coordenador Adjunto da CPDrogas, Erasmo Lenz, a estratégia do projeto está nas atividades direcionadas a situações comuns do cotidiano familiar, no qual irá fortalecer as relações familiares. "Um bom relacionamento entre pais e filhos aumenta as chances de evitar o contato precoce com o uso indevido de substâncias lícitas e ilícitas", ressalta.

Os profissionais envolvidos no projeto foram capacitados em julho/2018 para orientar os pais e/ou responsáveis para atuarem e promoverem o desenvolvimento infanto juvenil saudável com ênfase na prevenção ao uso de drogas.

Publicado em Social

Na semana que antecede o Carnaval, a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas), promove nos dias 6, 7 e 8 de fevereiro, ações de conscientização do uso excessivo de bebidas alcoólicas, sobretudo, a crianças e adolescentes.

De acordo com a coordenadora adjunta da Pasta, Patrícia Studart, levar informações sobre os fatores de risco e de proteção relacionados ao uso de drogas, além de alertar sobre os males das substâncias psicoativas é uma forma de prevenir. “Sabemos que no Carnaval os excessos são comuns e, pensando nisso, vamos debater o tema com o intuito de orientar, esclarecer e despertar o senso crítico dos nossos jovens”, afirmou.

Nesta terça-feira (06/02), das 14h às 16h, o terminal de integração do Antônio Bezerra contará com profissionais que levarão informação para quem conhece e/ou enfrenta problemas com álcool e outras drogas a partir das estratégias de redução de danos. Na ocasião, serão distribuídos insumos e panfletos do canal de comunicação gratuito que presta serviço à população em relação à problemática do uso de drogas, ofertando orientação e encaminhamento para Rede de tratamento do município. O Disque 0800.032.1472 funciona 24 horas e sete dias por semana.

Às 15h da quarta-feira (07/02), adolescentes e jovens, entre 13 a 20 anos participantes do Centro de Convivência da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) participarão de uma roda de conversa sobre os malefícios das substâncias psicoativas, em especial do álcool. E na quinta-feira (08/02), a partir das 15h, será trabalhado as habilidades da vida na prevenção ao uso de álcool, dialogando sobre a relação com as drogas psicoativas no cotidiano da juventude, com os adolescentes do 3º ano do ensino médio da Escola Liceu do Ceará.

Projeto de Lei
O projeto de Lei nº 57/2017, institui a criação da Semana Municipal de Combate ao Alcoolismo Infanto-Juvenil, de autoria do vereador Raimundo Filho (PRTB).

Programação
Terça-feira (06/02)
Varal de Redução de Danos no Terminal do Antônio Bezerra, 14h às 16h
Quarta-feira (07/02)
Roda de conversa com jovens e adolescentes, 15h
Endereço: Rua Alagoas, s/n – Pici (Centro de Convivência da Cagece, em frente à casa nº1880)
Quinta-feira (08/02)
Cine de cultura com adolescentes da Escola Liceu do Ceará, 15h
Endereço: R. Liberato Barroso, s/n - Jacarecanga

Publicado em Saúde
programafamiliasfortes
O Programa Famílias Fortes (PFF) se efetiva por meio de um ciclo de sete encontros semanais, com duração de duas horas

A Prefeitura de Fortaleza continua intensificando as estratégias de prevenção ao uso de drogas no Município. Por meio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas) e da Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS), os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) Antônio Bezerra e Bom Jardim realizam, nesta quinta e sexta-feira (30 e 31/11), o sétimo encontro do Programa Famílias Fortes (PFF) encerrando o quarto ciclo do projeto, destinado às famílias com crianças e adolescentes entre 10 a 14 anos.

O PFF se efetiva por meio de um ciclo de sete encontros semanais, com duração de duas horas. A iniciativa é do Governo Federal, por intermédio da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) visando ao bem-estar da família a partir do fortalecimento dos vínculos e do desenvolvimento das habilidades sociais. Os encontros foram estabelecidos da seguinte maneira: no primeiro momento, os pais e/ou responsáveis e os jovens participaram de atividades, dinâmicas e discutiram um tema específico em salas separadas. Em outro momento, juntos, colocavam em prática o que aprendiam.

O sétimo encontro será direcionado pelo tema “Ajudar e ser ajudado”, para os pais e responsáveis. Já os filhos trabalharão o tema “Atingir nossas metas”. Como atividade, os adolescentes escreverão uma carta para o seu responsável relatando sobre o que aprenderam durante o programa. No fim do encontro, os facilitadores irão fazer uma breve retrospectiva dos encontros anteriores.

A coordenadora adjunta da CPDrogas, Patricia Studart, destaca que o PFF tem uma grande abrangência no acesso as políticas públicas de assistência social e ao vínculo familiar. Ela frisa que o programa proporciona o diálogo afetivo, assim como o desenvolvimento das habilidades de vida dentro do contexto familiar. “Ao longo da participação das famílias é possível perceber a potencialização dos fatores de proteção como respeito, autocuidado, autoconhecimento e afeto, criando assim uma cultura de paz na esfera familiar”.

Neste ciclo os encontros ocorreram nos CRAS do Bom Jardim, Quintinho Cunha, Antônio Bezerra e Messejana e contemplarão em média cerca de 45 pais/responsáveis e 75 crianças/adolescentes.

Serviço
Encerramento do Programa Familias Fortes
- Cras Antônio Bezerra
Data: 30/11 (quinta-feira)
Horário: 8h30
Endereço: Rua Cândido Maia, 245 – Antônio Bezerra
- Cras Bom Jardim
Data: 31/11 (sexta-feira)
Horário: 8h30
Endereço: Rua Coronel João Correia, 2023 - Bom Jardim

 

 

 

Publicado em Social
Segunda, 27 Novembro 2017 09:58

Prefeitura de Fortaleza inaugura novo CAPS AD

Fachada do CAPS AD Centro
Com o novo CAPS, a Rede de Atenção Psicossocial do Município de Fortaleza (RAPS) passa a dispor de 15 Centros de Atenção Psicossocial

Com o intuito de fortalecer as políticas públicas voltadas para a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), entrega à população o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD) localizado no bairro Centro, nesta terça-feira (28/11), às 10 horas.

Cumprindo com a proposta de avançar cada vez mais na área da saúde mental do Município, a unidade está equipada com novo mobiliário, amplo espaço de convivência e atendimento diário de 8h às 17h. O equipamento dispõe de salas de acolhimento, enfermagem, Núcleo de Atendimento ao Cliente (NAC), além de sala para reuniões em grupo, biblioteca e consultório.

Com perfil de atendimento voltado para as pessoas com problemas relacionados ao uso abusivo de álcool e outras drogas, a nova sede do CAPS AD do Centro conta com uma equipe multiprofissional completa, formada por médico, psicólogo, enfermeiro, terapeuta ocupacional, técnico de enfermagem, assistente social, entre outros profissionais que auxiliam o acompanhamento desses usuários.

Entre os serviços ofertados estão acolhimento, atendimento clínico e psicológico, apoio individual e coletivo, troca de experiências, dinâmicas e atividades lúdicas com grupos de arte, música, família, relaxamento, redução de danos, terapêuticos, educação e saúde, imagem e cidadania, tabagismo, entre outros.

A gerente da Célula de Atenção à Saúde Mental da SMS, Ytanna Queiroz, destaca a importância do apoio e investimento da Prefeitura. “O engajamento da gestão para propiciar a melhoria das sedes dos CAPS representa um grande avanço na medida em que oferta para a comunidade um equipamento com profissionais capacitados e instalações adequadas para o bom acolhimento de nossos usuários, seguindo sempre as diretrizes preconizadas pelo Ministério da Saúde”, afirma.

Com o novo CAPS, a Rede de Atenção Psicossocial do Município de Fortaleza (RAPS) passa a dispor de 15 Centros de Atenção Psicossocial, sendo seis CAPS gerais, sete CAPS AD (álcool e drogas) e dois CAPS Infantis, além de outros equipamentos. A Prefeitura trabalha para promover a reinserção social das pessoas que vivem à margem da sociedade, legitimando sempre o novo modelo de atenção a saúde e a implementação de uma rede de serviços abertos e comunitários, substitutivos ao modelo hospitalocêntrico. A iniciativa tem como principal objetivo a construção de uma sociedade justa e igualitária, pautada em valores que afirmem direitos e a dignidade dos indivíduos com os mais variados tipos de transtornos mentais e dependência química.

Serviço
Inauguração CAPS AD 
Data: 28/11 (terça-feira)
Horário: 10 horas
Local: Rua Dona Leopoldina, 8, Centro

 

Publicado em Saúde
programafamiliasfortes
Os encontros ocorrem semanalmente nos CRAS municipais

As atividades do Programa Famílias Fortes (PFF), aplicadas pela Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogras) e da Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS), começam nesta terça-feira (17/10), nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS). A iniciativa chega ao seu quarto ciclo e atenderá adolescentes e respectivas famílias em situação de vulnerabilidade social. Tem como objetivo fortalecer vínculos familiares para reduzir conflitos e prevenir o uso de drogas.

“O núcleo familiar é um espaço fundamental para realizar a prevenção ao uso de drogas. Os diálogos abertos e construtivos entre pais e filhos são essenciais para a boa convivência em casa”, explica Patricia Studart, coordenadora adjunta da CPDrogas. Ela ainda ressalta a importância do convívio familiar e do desenvolvimento das relações de afetividade. “A partir desses fatores, é possível reduzir a agressividade e comportamentos de isolamento social”, ressalta.

Neste ciclo os encontros ocorrem nos CRAS do Bom Jardim, Quintinho Cunha, Antônio Bezerra e Messejana e contemplarão 45 pais/responsáveis e 75 crianças/adolescentes.

Encontros

Com uma programação dividida em sete encontros semanais de duas horas de duração, o PFF funciona na primeira hora com dois grupos, um com os adolescentes de 10 a 14 anos e outro com os familiares desses jovens. Em um segundo momento, os dois grupos são reunidos e debatem juntos os temas discutidos na atividade anterior.

A metodologia é baseada na premissa de que as crianças se saem melhor em seu desenvolvimento social quando as famílias são capazes de estabelecer limites e regras de convivência, além de expressar afeto e dar apoio adequado ao longo do desenvolvimento das crianças e adolescentes.

De acordo com a profissional de refrência da SDHDS, Vanusa Alves, o programa possui uma série de ações preventivas voltadas para o fortalecimento das famílias, de forma que essas famílias possam lidar melhor com os conflitos, dando suporte mútuo de afeto, mas sem abrir mão dos limites necessários. “Os efeitos positivos do projeto são percebidos a médio/longo prazo do desenvolvimento desses jovens. Compreender como o projeto colabora para o dizer “não” às drogas está implícito quando esses pais e filhos passam a dialogar e ter um relacionamento de respeito, amor e limites”, explica.

Capacitação

Os profissionais que aplicam este programa passaram por uma reciclagem, por meio das formadoras federais em setembro/2017.

O que é o Programa Famílias Fortes (PFF)?

Famílias Fortes é um dos programas selecionados pelo Governo Federal, que, na literatura científica internacional, mostraram resultados positivos associados a adiar e evitar o primeiro uso de substâncias psicoativas, além de reduzir o grau de abuso de álcool, tabaco e outras drogas entre o público a que se dirige.

Criado por pesquisadores da Universidade de Utah, EUA, na década de 80, o Programa Famílias Fortes foi adaptado pela Oxford Brookes University, do Reino Unido, e chegou ao Brasil adaptado para nossa realidade em 2013. Fortaleza foi a primeira capital do Nordeste a aderir ao programa, em 2014.

Retrospectiva

De 2014 a 2016 o programa atingiu cerca de 153 famílias e 191 crianças/adolescentes.

Calendário 

17 a 20/10 1º encontro
23 a 27/10 2º encontro
30/10 a 03/11 3º encontro
30/10 a 03/11 Encontro de monitoramento com as formadoras Fiocruz
06 a 10/11 4º encontro
13 a 17/11 5º encontro
20 a 24/11 6º encontro
27/11 a 01/12 7º encontro
04 a 08/12 Encontro de finalização com as formadoras Fiocruz

Atividades
CRAS Quintinho Cunha, terças-feiras, às 9h
CRAS Antônio Bezerra, quintas-feiras, às 9h
CRAS Bom Jardim, sextas-feiras, às 8h
CRAS Messejana, sextas-feiras, a definir

Publicado em Social
Vivências
O encontro aconteceu na tarde desta quarta-feira (11/09), no auditório da SDHDS

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria de Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS) e da Coordenaria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas) encerrou, na tarde desta quarta-feira (11/10), mais uma etapa do Projeto Novos Caminhos destinado à reinserção social de pessoas adultas que fazem uso de álcool, crack e outras drogas que se encontram em situação de rua. A iniciativa do projeto conta com a parceria da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad).

Na ocasião, o titular da SDHDS, Elpídio Nogueira, afirmou que todos do projeto estão se esforçando para ofertar possibilidades reais de inclusão na sociedade para estas pessoas e que está muito feliz por essa etapa concluída. “Acredito que tem muita gente boa aguardando só uma oportunidade para segurar e recomeçar sua vida”, disse.

Nessa etapa, os participantes tiveram a oportunidade de praticar e vivenciar todos os conhecimentos adquiridos nos cursos de qualificação profissional, com todo suporte técnico necessário, em equipamentos e serviços do município. Ao todo, 24 usuários receberam do projeto uma bolsa auxílio no valor aproximado de R$ 500, durante quatro meses, totalizando 240 horas de vivências práticas. Os concludentes realizaram suas atividades nas áreas de manutenção de praças e prédios, jardinagem, portaria, serviços gerais, pintor de parede e auxiliar de pedreiro.

Além disso, todos os participantes tiveram o auxílio dos profissionais envolvidos para elaborarem seus currículos, sendo logo, devidamente cadastrados nas vagas do Sine Municipal. Oficinas de orientação profissional, voltadas para inserção no mercado de trabalho também foram realizadas colaborando para o projeto de vida dos contemplados.

A Prefeitura vem buscando parceiros que desejem colaborar na oferta de emprego para este público. Três educandos das vivências praticas já foram contratados para trabalharem com carteira assinada no Mercado São Sebastião, e outros quatros estão participando de entrevistas de emprego para uma construtora que presta serviço para a Autarquia de Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza (Urbfor)

Eixos do Projeto

Eixo 1 – Convívio Social
Os grupos de convivência social, esportivas e de arte ocorrem no equipamento do Centro de Convivência para População em Situação de Rua todas as segundas, quartas e sextas-feiras, no período da manhã. Em média, 20 a 30 indivíduos participam dos grupos com atividades de produção de material de percussão, aulas de capoeira e ações socioeducativas e lúdicas.

Eixo 2 – Qualificação Profissional
Os cursos são distribuídos em Arcos Ocupacionais, utilizando metodologia que permita a aprendizagem do conteúdo programático para pessoas com baixo nível de escolaridade. A carga horária é de 60h/aula, sendo 40h/aula de teoria e 20h/aula de atividades práticas.

Eixo 3 – Inclusão produtiva
Dividido em duas etapas: a primeira objetiva ofertar ajudas de custo no valor de R$ 250, condicionada ao cumprimento da carga horária do módulo prático (20h/aula), assegurando, assim, que todos os participantes recebam ajuda de custo, proporcionando estímulo para continuidade das atividades. A segunda etapa objetiva ofertar ajudas de custo mensal de R$ 500, durante quatro meses, para aqueles que se destacarem. A ajuda está condicionada ao cumprimento de carga horária de aprimoramento de vivencias práticas, após a conclusão das 60h/aulas ofertadas no eixo da qualificação profissional.

Eixo 4 – Auxílio moradia.
Prevê pagamento de 202 auxilio moradias

Publicado em Social

Nesta terça-feira (12/09), a Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas), retomou as reuniões do Comitê de Políticas sobre Drogas da Regional II (abrange os bairros Cais do Porto, Vicente Pinzon e Mucuripe), integrando diversos atores do território para apresentar programas e/ou ações que estão sendo desenvolvidos pelas instituições com a finalidade dos profissionais se apropriarem das potencialidades existentes na Rede de Cuidado do Município. O encontro ocorreu na Escola Estadual de Educação Profissiona (EEEP) Maria Ângela da Silveira Borges

O Comitê tem como objetivo principal integrar os diversos serviços da rede, de forma corresponsável e articulada, para os devidos encaminhamentos e resolução dos desafios relacionados ao uso problemático das drogas nas suas diversas situações. De acordo com a coordenadora do núcleo de Integração, Articulação e Monitoramento da CPDrogas, Ândria Moreira, desde a implantação do comitê em 2014, ações resolutivas só foram possíveis devido a intersetorialidade dos serviços. Ela ressalta que quando se trata de um tema tão complexo é necessário fortalecer o trabalho em Rede.

O Comitê formou uma Comissão com a Organização Não-Governamental Instituto Terre des Hommes Brasil e com Fundação da Criança e da Família Cidadã (Funci) para trabalhar a intersetorialidade da Rede de Cuidado da Regional II. A ONG atua com a justiça juvenil restaurativa. Já a Funci vai se integrar ao Comitê por intermédio do Programa Rede Aquarela, que desenvolve ações de enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes, sendo responsável por promover e articular atividades de prevenção, atendimento especializado, mobilização e articulação comunitária. Conforme Ândria, a ideia é reunir-se mensalmente e trazer a comunidade para dentro dessa Comissão para realizar a cogestão dos encontros.

Na ocasião, estiveram presentes representante do Conselho Tutelar de Fortaleza, Saúde e Saúde Mental, Assistência Social e Direitos Humanos, Educação, Regional II, Secretaria de Justiça e Cidadania do Ceará, Segurança Pública do Estado, Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, Defensoria Pública, Centro de Referência e Apoio À Vitima de Violência, Ceará Pacífico, Sopaia, estudantes da Fanor e das escolas do território.

Nesta quarta-feira (13/09), ocorre a reunião do Comitê territorial da Regional III/V, a partir das 14h, na sala do Conselho de Saúde da Regional V, localizado na Av. Augusto dos Anjos, 2466 – Bom Sucesso.

Comitês territoriais

O Município está implantado os comitês territorias das Regionais II (Cais do Porto, Vicente Pinzon e Munucurpe), Regional III/V (Genibau, Autran Nunes, Dom Lustosa, Henrique Jorge) e Regional VI (São Miguel, Messejana, Lagoa Redonda, Curió, Guajeru e Alagadiço Novo).

Publicado em Saúde
Página 1 de 3