Monitoramento de preços da black friday
No ano passado, o Procon realizou um plantão durante a black friday

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) iniciou, nesta quinta-feira (20/09), o monitoramento de preços dos produtos mais procurados durante a Black Friday, período em que o comércio promete promoções e ofertas. O objetivo do Procon é identificar falsos anúncios de redução de preços na Black Friday, prevista para acontecer no dia 23/11. O monitoramento é feito no comércio eletrônico e em lojas físicas de Fortaleza, contemplando todas as Regionais da Capital. A multa por publicidade enganosa pode chegar a R$ 11 milhões.

Na Black Friday, os principais problemas denunciados em lojas on-line e físicas são publicidade abusiva ou enganosa e ainda o não cumprimento da oferta.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, esclarece que, nas compras pela internet, o consumidor pode desistir do produto ou serviço, em até sete dias da data do recebimento do produto, sem nenhuma justificativa, pois o Código de Defesa do Consumidor (CDC) assegura o "direito de arrependimento" nas compras fora das lojas físicas.

Cláudia Santos também reforça a necessidade do consumidor realizar seu monitoramento de preços. "Cada consumidor tem suas preferências por produtos e sites. Portanto, é importante que já inicie o acompanhamento dos preços de produtos ou serviços que deseja comprar durante a Black Friday, pois somente assim será possível saber se, de fato, aquele produto está em promoção ou trata-se de publicidade enganosa", orientou.

Como denunciar
No portal da Prefeitura de Fortaleza; ou ainda pela Central de Atendimento 151, no horário comercial. É possível ainda realizar denúncias pelo aplicativo Procon Fortaleza. Basta baixar no Android: Procon Fortaleza; ou no sistema iOS.

Cuidados
- Verifique os preços cobrados antes da Black Friday e registre-os com prints da tela ou foto. Isto pode ser feito em sites de buscas, além das páginas das lojas participantes;

- É recomendável que o consumidor somente efetue compras em sites confiáveis. Para verificar a segurança da página, ele deve clicar num símbolo de cadeado que aparece no canto da barra de endereço ou no rodapé da tela. O endereço da loja virtual deve começar com https://

- Todo site deve exibir o CNPJ da empresa ou o CPF da pessoa responsável, além de informar o endereço físico onde a loja possa ser encontrada ou o endereço eletrônico para que possa ser contatada;

- Analise a descrição do produto e compare com outras marcas;

- É muito importante imprimir ou salvar todos os documentos que demonstrem a oferta e confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios etc);

- Computadores de acesso público não devem ser usados para comércio eletrônico ou internet banking.

Publicado em Economia

A primeira pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) publicada no aplicativo "Proconomizar" indica um leve aumento de preços nos supermercados da Capital. Isso porque a soma média dos 60 produtos e alimentos pesquisados mensalmente pelo Procon ficou, no mês de setembro, em R$ 425,48, uma alta de 0,42% se comparada ao mês anterior, quando a somá média era de R$ 423,69.

O levantamento de setembro, realizado entre os dias 12 e 14, também indica que a Regional VI reúne os preços mais elevados, custando até R$ 474,39 a soma de todos os itens. Já os bairros da Regional IV apresentam os menores preços, somando R$ 284,47.

A variação de preços pode estar relacionada, além da concorrência entre os supermercados, à falta de itens pesquisados, bem como a promoções e ofertas. Por isso pode haver diferença entre os preços coletados e os preços encontrados pelos consumidores nos supermercados, não caracterizando prática abusiva.

No comparativo entre os mesmos produtos e mesma especificação de marcas, a diferença de preços chega a 334,05%. É o caso do quilo da banana, que pode ser encontrada de R$ 1,38 à R$ 5,99. A farinha de mandioca também apresenta alta variação, sendo comprada de R$ 1,98 à R$ 8,25, o quilo.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, acredita que ficou mais fácil para o consumidor pesquisar preços nos supermercados. "Agora, na palma da mão, o consumidor pode acompanhar os preços, inclusive, antes de sair de casa, avaliando a distância e os locais pesquisados". A Diretora adianta que o Procon está avaliando aumentar a quantidade de estabelecimentos, o que vai favorecer mais consumidores.

Metodologia
O Procon Fortaleza pesquisa mensalmente produtos nos supermercados da capital com coleta de preços presencial, de diferentes marcas e tipos, divididos em alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica ou cuidados e higiene infantis.

Consulte todos os preços aqui.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO MENOR MAIOR VARIAÇÃO
Banana R$ 1,38 R$ 5,99 334,05%
Farinha R$ 1,98 R$ 8,25 316,66%
Cebola R$ 0,89 R$ 3,48 291,01%
Cenoura R$ 1,89 R$ 5,98 216,40%
Batata R$ 1,39 R$ 4,19 201,43%
Pimentão R$ 1,88 R$ 5,29 181,38%
Abacaxi  R$ 1,98 R$ 4,98 151,51%
Laranja R$ 1,69 R$ 3,99 136,09%
Alho        R$ 12,98 R$ 30,50 134,97%
Tomate R$ 2,38 R$ 4,98 109,24%

Dicas e direitos nos supermercados

- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia

Em menos de 24 horas, mais de 12 mil consumidores baixaram o aplicativo "Proconomizar", lançado na terça-feira (11/8), pelo Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza). O aplicativo de pesquisas de preços em supermercados da Capital foi desenvolvido em parceria com a Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza (Citinova). Com o novo app, o consumidor poderá ter acesso a preços de produtos e alimentos em supermercados, sem sair de casa. O levantamento dos preços será feito mensalmente pelos pesquisadores do Procon Fortaleza.

O aplicativo Proconomizar permite, por exemplo, que o consumidor consulte onde estão os preços mais baratos e os mais caros nos supermercados da Capital, selecionando uma lista individual de produtos, a partir de sua preferência ou necessidade. Será possível ainda visualizar os preços nas regionais com localização do supermercado no "Google Maps" com opção de rota para encontrar o estabelecimento.

Além da economia financeira, a nova ferramenta também pretende diminuir o tempo de pesquisa dos consumidores. “Você não precisa olhar todos os encartes, visitar vários supermercados, é só olhar no aplicativo e decidir qual supermercado tem os menores preços dos produtos que você quer comprar”, diz Naiara Santos, consumidora que foi ao Procon registrar uma reclamação.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, revela que a ideia surgiu da necessidade de levar as informações de preços de maneira mais acessível à população. “O segmento de alimentação é um dos mais caros e mais consumidos. E já fazemos pesquisas mensais de preço, então por que não colocar isso em um aplicativo?”, afirma. A Diretora também acredita que o aplicativo Proconomizar vai influenciar na redução de preços. "O consumidor pode sair ganhando, pois os supermercados também acompanharão a concorrência de preços, e toda concorrência é saudável para o consumidor", disse.

Virtual
Toda a pesquisa do Procon Fortaleza nos supermercados passa a ser virtual. A mudança traz agilidade na publicação e acesso aos dados, pois os preços dos 60 produtos coletados pelos pesquisadores nos supermercados vão direto para o aplicativo Proconomizar que, automaticamente, já realizará as análises de preços e variações.

A coleta de preços dos produtos é feita mensalmente nos supermercados de Fortalezal. Os itens são divididos em alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica ou cuidados e higiene infantis.

Como baixar
Aplicativo "Proconomizar" já está disponível na plataforma Android e em fase de implantação no iOS. Mais informações pela Central 151.

Publicado em Economia

Para celebrar os 28 anos de vigência do Código de Defesa do Consumidor (CDC), comemorado na próxima terça-feira (11/9), o Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) lançará um aplicativo de pesquisas de preços em supermercados. O aplicativo foi desenvolvido em parceria com a Fundação de Ciência, Tecnologia e Inovação de Fortaleza (Citinova).

Com o novo app, o consumidor poderá consultar por "smartphones" os preços de 60 produtos e alimentos, pesquisados mensalmente pelo Procon Fortaleza nos supermercados da Capital.

O consumidor poderá, ainda, elaborar uma lista individual, a partir de sua preferência e necessidade, e assim obter os preços mais baratos e os mais caros dos supermercados, bem como alternar a busca por regionais e bairros de Fortaleza.

Serviço
Lançamento aplicativo de pesquisas de preços em supermercados
Data: 11/9 (terça-feira)
Horário: 9:30
Local: Procon Fortaleza - Centro (rua Major Facundo, 869)

Publicado em Economia

Em agosto, os 60 produtos pesquisados, mensalmente, pelo Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) apresentaram redução de 1,54% na média geral de preços. O levantamento, realizado nos dias 07/08 e 08/08, mostra que a soma de todos os itens chega a R$ 423,69 contra R$ 430,00 no mês passado (09/07 e 10/07). No entanto, a pesquisa atual também revela que a variação de preços dos mesmos produtos entre os estabelecimentos pode chegar a 292,26%. A dica do Procon é pesquisar e optar por compras nos dias de promoções e feiras promovidas pelos supermercados.

Na pesquisa, o Procon também realiza o comparativo de preços entre as Regionais de Fortaleza. Os preços mais altos foram encontrados nos supermercados da Regional III, onde estão bairros como Bela Vista, Henrique Jorge e Parquelândia. A soma média de todos os produtos chega a R$ 479,78. Já em bairros como Álvaro Weyne, Carlito Pamplona e Farias Brito, na Regional I, estão os supermercados com preços mais baixos com uma média de R$ 330,98 todos os produtos pesquisados.

O Procon Fortaleza pesquisa mensalmente produtos nos supermercados da Capital com coleta de preços presencial, de diferentes marcas e tipos, divididos em alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica ou cuidados e higiene infantis.

Consulte todos os preços aqui.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, orienta que o consumidor exija a oferta anunciada. "Se o estabelecimento utilizou de publicidade com preços promocionais para captar clientes, ele deve cumprir com o prometido". A multa pode chegar a R$ 11 milhões em casos de publicidade enganosa, alertou a Diretora.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO MENOR MAIOR VARIAÇÃO
Abacaxi R$ 1,68 R$ 6,59 292,26%
Tomate R$ 1,28 R$ 4,98 289,06%
Banana Prata R$ 1,59 R$ 5,99 276,73%
Batata R$ 0,98 R$ 3,48 255,10%
Cenoura R$ 1,89 R$ 5,98 216,40%
Cebola Pêra R$ 0,98 R$ 2,68 173,47%
Laranja pera R$ 1,48 R$ 3,99 169,59%
Alho R$ 11,20 R$ 30,00 167,86%
Pimentão R$ 1,79 R$ 4,48 150,28%
Farinha R$ 2,89 R$ 6,35 119,72%
Mamão R$ 1,68 R$ 3,59 113,69%

 

Dicas e direitos nos supermercados

- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulga nesta quinta-feira (9/8), uma pesquisa com 35 opções de presentes para o Dia dos Pais, comemorado no próximo domingo (12/09). O levantamento traz produtos e serviços para casa, tecnologia, cuidados pessoais e embelezamento masculino. A diferença no preço de um mesmo serviço, como por exemplo a pigmentação de barba, pode chegar a 850%, custando de R$ 10,00 a R$ 95,00. Os dados foram coletados nos dias 2, 3 e 6 de agosto.

Os itens de tecnologia também apresentam alta variação. O preço de um smartphone com mesma configuração pode sair de R$ 1.159,00 à R$ 1.799,00, ou seja, 55,22% de diferença.

A pesquisa contempla ainda preços de grills, sanduicheiras, churrasqueiras elétricas, aparelhos de TV, ventiladores e ainda barbeadores elétricos.

Consulte todos os preços aqui.

Para a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, é preciso ficar atento às condições de troca de presentes. "É bom esclarecer que o lojista não é obrigado a fazer a troca do presente por situações como modelo, cor e tamanho", afirma. Ela esclarece que, caso o lojista prometa trocar em qualquer situação, dando prazo ao consumidor para fazê-lo, então o vendedor deverá cumprir a promessa. Em todos os casos, Cláudia Santos pede que o consumidor peça por escrito a promessa de troca, porque, deste modo, o lojista deverá cumprir o declarado.

Nas compras feitas pela internet, por telefone ou catálogo, existe o “direito de arrependimento”, sem que apresente qualquer motivo de defeito ou vício do produto, garantido pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC), no artigo 49. O prazo para devolução é de sete dias, a contar da data de recebimento do produto. Para isso, basta devolver o produto preservando as características originais e pedir o dinheiro de volta, inclusive com despesas de frete.

Maiores variações

PRODUTO/SERVIÇO MENOR MAIOR VARIAÇÃO
Pigmentação da barba R$ 10,00 R$ 95,00 850,00%
Sobrancelhas masculinas R$ 5,00 R$ 25,00 400,00%
Corte e Barba R$ 30,00 R$ 145,00 383,33%
Barba R$ 15,00 R$ 65,00 333,33%
Tratamento capilar R$ 30,00 R$ 125,00 316,67%
Corte R$ 20,00 R$ 80,00 300,00%
Grill Mondial R$ 59,90 R$ 99,90 66,78%
Selagem R$ 60,00 R$ 100,00 66,67%
Smart TV LG 43’ R$ 1.599,00 R$ 2.599,00 62,54%
Smartphone Asus R$ 1.159,00 R$ 1.799,00 55,22%

 

10 direitos na compra do presente dos pais:

1 - Produto em promoção ou liquidação, possui as mesmas garantias previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC);
2 - Na compra de eletroeletrônicos, peça para testar o funcionamento do aparelho;
3 - Se for comprar pela internet, ATENÇÃO REDOBRADA. Consulte o histórico da empresa em sites de busca e verifique se a loja informa dados como CNPJ, endereço, telefone ou e-mail;
4 - Nas compras feitas pela internet, por telefone ou catálogo, existe o “direito de arrependimento” para desistir da compra sem qualquer motivo. O prazo para desistência é de sete dias, a contar da data de recebimento do produto;
5 - No pagamento com cartão de débito ou crédito, poderá haver diferenciação de preços em relação a valores pagos em dinheiro;
6 - IMPORTANTE: A loja não é obrigada a trocar o presente que não tenha defeito. No entanto, se o vendedor afirmar que realizará a troca, em qualquer situação, o consumidor deverá solicitar por escrito;
7 - A garantia legal de produto ou serviço não durável é de 30 dias e de produto ou serviço durável é de 90 dias, de acordo com o CDC;
8 - A garantia legal é complementar à contratual. Portanto, se um produto tem garantia do fabricante de 12 meses, a garantia total deverá ser acrescida de mais 90 dias da garantia legal, ou seja, 15 meses;
9 - Se houver divergência entre o preço anunciado com o registrado no caixa, o consumidor deverá pagar o menor valor;
10 - Peça a nota fiscal com a discriminação do produto ou do serviço detalhadamente.

Como denunciar
Denúncias podem ser realizadas no Portal da Prefeitura de Fortaleza (www.fortaleza.ce.gov.br), no campo defesa do consumidor e, também, pelo aplicativo Procon Fortaleza, no sistema Android: Procon Fortaleza; ou no sistema iOS: http://app.vc/procon.fortaleza; e ainda pela Central de Atendimento ao Consumidor 151

 

 

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), encontrou redução de preços na última pesquisa mensal em supermercados, divulgada nesta terça-feira (3/7). O levantamento, realizado nos dias 19 e 20 de junho, aponta que a soma da média dos 60 produtos pesquisados chega a R$ 413,52 contra R$ 414,87 da pesquisa do mês de maio (22 e 23/5), o que indica uma redução de 0,32%. O Procon lembra que a oferta anunciada pelo supermercado deve ser cumprida pelo estabelecimento, sob pena de multa que pode chegar a R$ 11 milhões.

Dos 60 itens pesquisados mensalmente, 39 aumentaram no preço médio entre maio e junho. O leite tipo "C", por exemplo, passou de R$ 3,07 para R$ 3,80, uma alta que chega a 23,89%. A batata inglesa também está entre as maiores elevações, saltando de R$ 3,17 para R$ 3,92 o quilo, um reajuste de 23,72%. Um fato que chamou a atenção dos pesquisadores do Procon foi que todas as carnes e aves sofreram elevação nos preços. O quilo da carne bovina passou de R$ 20,90 em maio para R$ 23,88 em junho, uma alta de 14,26%.

Já outros 20 alimentos apresentaram redução no preço médio. Destaque para o abacaxi, que diminuiu de R$ 4,76 em maio para R$ 3,70 em junho, uma queda de 22,25%. O quilo do pimentão verde passou de R$ 4,54 para R$ 3,73, uma redução de 17,74%.

O detergente líquido, de 500ml, foi o único item que não sofreu alteração no preço médio.

Confira todos os preços no relatório do Procon Fortaleza.

Para a diretora geral do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, o estoque reabastecido após a greve dos caminhoneiros pode ter ocasionado a leve redução nos preços dos produtos. Ela aproveita para esclarecer sobre a diferença de preços nos pagamentos em dinheiro e em cartão de crédito ou débito. "Desde dezembro de 2016, uma medida provisória convertida em lei, autoriza preços diferenciados para pagamentos em dinheiro e no cartão de crédito ou débito".

A Diretora alerta que os estabelecimentos são obrigados a informar, em local visível ao consumidor, os descontos oferecidos em função do meio e do prazo de pagamento. "Casoo estabelecimento não cumpra a determinação, ficará sujeito à penalidades previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC).

PREÇO NAS REGIONAIS
O Procon também realiza o comparativo de preços entre as regionais da capital. Nesta análise, o órgão leva em consideração a média do preço total dos supermercados em cada regional.

REGIONAL PREÇO TOTAL MÉDIO
Secretaria Regional III R$ 469,99
Secretaria Regional V R$ 431,47
Secretaria Regional VI R$ 425,80
Secretaria Regional II R$ 424,96
Regional do Centro R$ 382,25
Secretaria Regional I R$ 379,72
Secretaria Regional IV R$ 333,13

Entre os 10 supermercados pesquisados, o Procon realiza ainda o comparativo das maiores variações entre o menor e o maior preço encontrado.

FRUTAS/VERDURAS MENOR MAIOR VARIAÇÃO
Batata inglesa R$ 1,98 R$ 7,39 273,23%
Pimentão R$ 1,49 R$ 5,49 268,46%
Tomate R$ 1,98 R$ 6,99 253,03%
Alho R$ 8,70 R$ 30,00 244,83%
Cenoura R$ 1,98 R$ 5,99 202,53%
Laranja R$ 1,89 R$ 5,69 201,06%
Mamão R$ 1,28 R$ 3,49 172,66%
Abacaxi R$ 1,99 R$ 4,99 150,75%
Esponja de aço R$ 0,99 R$ 2,45 147,47%
Presunto peru R$ 9,90 R$ 22,99 132,22%
Banana prata R$ 2,59 R$ 5,99 131,27%
Cebola R$ 2,68 R$ 6,12 128,36%
Farinha mandioca R$ 2,79 R$ 6,35 127,60%
Publicado em Economia
bomba de gasolina
Desde a última quinta-feira (24/05), o Procon vem recebendo denúncias de consumidores, que relataram aumento abusivo nos preços da gasolina e outros combustíveis

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) notifica, a partir desta segunda-feira (28/5), 21 postos de combustíveis da Capital, por suspeita de preços abusivos, após paralisação de caminhoneiros. Desde a última quinta-feira (24/05), o Procon vem recebendo denúncias de consumidores, que relataram aumento abusivo nos preços da gasolina e outros combustíveis. A notificação é para saber se os postos estão se aproveitando da greve dos caminhoneiros para elevar preços, diante da demanda de consumidores pelo produto. A prática é abusiva e empresas podem ser multadas.

A diretora geral do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, orienta que o consumidor exija a nota ou cupom fiscal, com discriminação do valor pago por litro de combustível e a quantidade abastecida, para documentar casos de preços abusivos que vem sendo praticados a pretexto da paralisação dos caminhoneiros. "Vamos notificar todos os postos denunciados. Portanto, pedimos que os consumidores nos ajudem, denunciando a prática abusiva de elevar preços sem justa causa", alertou a diretora. Cláudia Santos explica ainda que, caso o Procon identifique a elevação de preços abusivos nos combustíveis, os consumidores que registrarem reclamação poderão ser ressarcidos, em dobro, pelo valor pago a mais, considerado abusivo.

Na falta do cupom fiscal, informações como endereço do estabelecimento, bandeira, data do fato ocorrido e ainda fotos também ajudam a investigar o abuso praticado

Fiscalização
A Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), em parceria com o Procon Fortaleza, deu início, na última sexta-feira (25/5), à fiscalização aos postos de combustíveis da Capital denunciados por práticas abusivas nos preços repassados aos consumidores. A ação foi iniciada pela Regional I e prosseguirá para outras áreas da cidade ao longo da semana.

O relatório de fiscalização da Agefis vai auxiliar o Procon, na investigação aberta para apurar preços abusivos.

Como denunciar
Denúncias podem ser realizadas no Portal da Prefeitura de Fortaleza (www.fortaleza.ce.gov.br), no campo defesa do consumidor e, também, pelo aplicativo Procon Fortaleza, no sistema Android: Procon Fortaleza; ou no sistema iOS: http://app.vc/procon.fortaleza; e ainda pela Central de Atendimento ao Consumidor 151

O que diz o Código de Defesa do Consumidor (CDC)
Os artigos 39 e 56, do Código de Defesa do Consumidor (CDC), que é a lei federal nº 8.078/90, caracterizam como prática abusiva a elevação de preços sem justificativa, bem como tratam das penalidades administrativas previstas. "Nenhum fornecedor de produtos ou serviços poderá elevar preços sem justa causa. A infração pode acarretar em multas que variam entre R$ 786,00 a R$ 11 milhões, suspensão das atividades e ainda a interdição do local.

A multa é graduada de acordo com a gravidade da infração, a vantagem auferida e a condição econômica do fornecedor, conforme o artigo 57, do CDC.

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta quinta-feira (08/03), a pesquisa com preços de ovos de chocolate e de ingredientes para a fabricação caseira de produtos para a Páscoa. O levantamento foi realizado entre os dias 6 e 7 de março, em dez estabelecimentos da Capital, entre supermercados e lojas do varejo. A diferença no preço do mesmo item com a mesma marca e peso pode chegar a 97,43% na barra de chocolate meio amargo (100g) para fabricação caseira do ovo de Páscoa, variando entre R$ 4,28, no estabelecimento mais barato, e R$ 8,45 no local mais caro. Já entre os ovos de chocolate prontos para consumo, a variação mais elevada está no Bis Oreo (318g), que pode ser encontrado de R$ 35,49 a R$ 54,99, indicando uma variação de 54,95%.

O Procon dividiu a pesquisa entre ovos de páscoa convencionais e infantis de três grandes marcas nacionais (Nestlé, Garoto ou Lacta). Os preços foram coletados presencialmente, observando as gôndolas dos estabelecimentos.

Confira aqui a pesquisa completa

No comparativo de preços entre as Regionais, o Procon identificou que na Regional do Centro estão os preços mais elevados. Nesta análise, o Procon levou em consideração os estabelecimentos que possuem a partir de 80% de abastecimento dos itens consultados.

Segundo a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, a compra dos ovos de chocolate com antecedência pode resultar em economia, uma vez que a proximidade da data comemorativa acaba elevando os preços. Ela também orienta como proceder em casos de compra de ovos de páscoa com brinquedos e que apresentem defeito. "O consumidor deve procurar o estabelecimento onde adquiriu o produto, levando a nota fiscal, e solicitar a troca. Não sendo resolvido, o consumidor deve registrar reclamação no Procon Fortaleza para apurarmos a infração", afirmou.

Maiores variações
Regionais                             PREÇO TOTAL
Secretaria Regional Centro      R$ 2.028,55
Secretaria Regional VI            R$ 1.940,01
Secretaria Regional V             R$ 1.895,01
Secretaria Regional II             R$ 1.809,36
Secretaria Regional III            R$ 1.547,79

Maiores variações
PRODUTO                            MENOR                   MAIOR                   VARIAÇÃO
Chocolate meio amargo
classic – barra 100g              R$ 4,28                   R$ 8,45                  97,43%
Chocolate ao leite
barra 115g                           R$ 3,58                   R$ 6,39                  78,49%
Chocolate em pó solúvel
(“Padre”) 200g                     R$ 10,89                 R$ 18,99                 74,38%
Bis Oreo 318g                      R$ 35,49                 R$ 54,99                  54,95%
Kit-Kat 313g                        R$ 30,99                 R$ 47,99                  54,86%
Hot Wheels 170g                  R$ 35,99                 R$ 55,29                  53,63%
Barbie Chef 170g                 R$ 35,99                  R$ 54,99                  52,79%
Surpresa 150g
Pet Gato                             R$ 30,28                  R$ 46,15                  52,41%
Surpresa 150g
Pet Cachorro                       R$ 30,28                  R$ 46,11                  52,28%
Sonho de Valsa 330g           R$ 35,99                  R$ 52,99                  47,24%

Dicas
Pesquise preços e a qualidade dos produtos, pois o barato pode sair caro. Por exemplo, ovos de páscoa caseiros sempre são mais baratos, entretanto, temos que saber de sua procedência.

O consumidor deve ficar atento às informações detalhadas sobre data de validade do produto, peso e composição. A embalagem deve estar em boas condições de armazenamento, verificando se não há amassados ou furos que podem contaminar o produto.

Os pais também não devem deixar de observar sobre a qualidade dos brinquedos. Todos devem estar certificados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) ou ainda pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq), além de serem compatíveis com a idade da criança.

Se o ovo de chocolate for importado, deve constar no rótulo a tradução em português. Exija sempre a nota fiscal para resguardar o direito de troca ou possível reclamação.

Publicado em Economia
Estão mais caros, cebola, alho, margarina e carnes
O levantamento, realizado nos dias 20 e 21/2, aponta uma elevação de 5,66% no preço médio total dos 60 itens pesquisados.

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta quarta-feira (28/02), a segunda pesquisa do ano com preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital. O levantamento, realizado nos dias 20/02 e 21/02, aponta uma elevação de 5,66% no preço médido total dos 60 itens pesquisados. Em janeiro, a soma desses produtos chegava a R$ 390,25, enquanto, neste mês de fevereiro, o valor médio total subiu para R$ 412,35.

Assim como na pesquisa anterior, o Procon realizou o comparativo de preços dos supermercados entre as seis Regionais, mais o Centro de Fortaleza. Os preços mais baixos estão na Regional IV, onde estão bairros como Benfica, Bairro de Fátima e Montese.

Dos 60 produtos pesquisados, 31 itens apresentaram aumento no preço médio e 28 sofreram baixa no preço médio, enquanto apenas um produto não sofreu alteração. Estão mais caros, cebola, alho, margarina e carnes.

Confira todos os preços aqui.

Segundo a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, a pesquisa mensal tem como objetivo oferecer ao consumidor diversas opções de preços e marcas, com itens divididos em alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda produtos de higiene infantil. "É bom lembrar que é um direito do consumidor pagar pela oferta anunciada, ou seja, o supermercado deve cumprir o preço de encartes e da propaganda", explicou.

REGIONAIS                                   PREÇO TOTAL MÉDIO
Regional do Centro                          R$ 425,55
Regional III                                     R$ 423,47
Regional VI                                     R$ 410,68
Regional V                                      R$ 402,35
Regional II                                      R$ 369,48
Regional I                                       R$ 349,42
Regional IV                                     R$ 347,34

Maiores variações (acima de 100%)
PRODUTO                         MENOR                      MAIOR                      VARIAÇÃO
Alho                                  R$ 6,90                      R$ 44,00                    537,68%
Pimentão                           R$ 1,39                      R$ 5,39                      287,77%
Tomate                              R$ 2,59                      R$ 6,98                     169,50%
Presunto de Peru                R$ 9,78                      R$ 26,15                    167,38%
Batata Inglesa                    R$ 1,98                      R$ 4,59                      131,82%
Mamão                              R$ 1,29                      R$ 2,98                      131,01%
Laranja Pêra                      R$ 1,65                      R$ 3,75                      127,27%
Cenoura                            R$ 2,38                      R$ 4,99                      109,66%
Queijo Mussarela                R$ 15,99                    R$ 32,90                    105,75%
Coentro                             R$ 0,98                      R$ 1,99                      103,06%
Banana Prata                     R$ 2,98                      R$ 5,99                      101,01%
Frango                              R$ 4,98                      R$ 9,99                      100,60%

Publicado em Economia
Página 1 de 2