O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta terça-feira (28/1), a primeira pesquisa do ano com preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital. Em janeiro, a soma média dos 60 itens pesquisados, ficou em R$ 410,89. O levantamento, que foi realizado nos dias 20 e 21 de janeiro, pode ser consultado pelo aplicativo "Proconomizar", que está disponível nas versões Android e iOS, bem como pelo portal da Prefeitura de Fortaleza.

Pelo menos 12 alimentos apresentaram variações de preços acima de cem por cento. Abacaxi, mamão e cebola podem variar até 276,72% (R$ 1,59 a R$ 5,99), 232,32 % (R$ 0,99 a R$ 3,29) e 187,05% (R$ 1,39 a R$ 3,99), respectivamente.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Abacaxi R$ 1,59 R$ 5,99 276,72 %
Mamão R$ 0,99 R$ 3,29 232,32 %
Cebola R$ 1,39 R$ 3,99 187,05 %
Laranja R$ 1,59 R$ 4,55 186,16 %
Cenoura R$ 1,99 R$ 5,69 185,92 %

Nesta primeira pesquisa, o Procon também realizou o comparativo entre as regionais da capital e encontrou os maiores preços na Regional V, onde ficam os bairros José Walter, Maraponga e Planalto Ayrton Senna, por exemplo. A soma dos 60 produtos nestes locais chega a R$ 474,74. A Regional do Centro vem em seguida totalizando R$ 457,23. Já a Regional IV, que agrega bairros como Benfica, Demócrito Rocha e Vila Pery apresenta os menos valores, somando R$ 286,08. O Procon lembra que a soma da média de todos os produtos nas regionais pode variar, de acordo com a disponibilidade dos itens pesquisados nos supermercados de cada Regional.

Preços por Regionais

Regional Preço médio total
Regional V R$ 474,74
Regional do Centro R$ 457,23
Regional III R$ 456,85
Regional I R$ 443,78
Regional VI R$ 354,10
Regional II R$ 343,33
Regional IV R$ 286,08

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, lembra a necessidade de pesquisar, num mês que traz outras despesas compulsórias, como pagamento de taxas, impostos e despesas escolares. "Quando o consumidor opta por comprar em supermercados mais baratos, ele acaba forçando os estabelecimentos concorrentes a baixarem os preços, sob pena de verem seus produtos encalhados nas prateleiras dos supermercados", orienta a Diretora.

Dicas
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia
A pesquisa completa pode ser acessada pelo aplicativo
A pesquisa completa pode ser acessada pelo aplicativo "Proconomizar"

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta terça-feira (10/12), a última pesquisa do ano, que acompanha mensalmente a evolução de preços de 60 alimentos e produtos de primeira necessidade nos supermercados da Capital. O órgão realiza o comparativo, coletando preços de todas as Regionais de Fortaleza. Em dezembro, a alta chegou a 4,77%. Já no acumulado entre janeiro e dezembro de 2019, os preços subiram 5,29%. A pesquisa completa pode ser acessada pelo aplicativo "Proconomizar".

Em dezembro, também foram encontradas diferenças significativas entre os supermercados mais caros e os mais baratos. O preço do quilo da cebola, por exemplo, pode variar até 530%, indo de R$ 0,95 a R$ 5,99. O quilo do mamão também apresenta alta variação, custando de R$ 0,99 a R$ 3,79, uma diferença de 282%.

Confira aqui todos os preços.

Para a diretora geral do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, a alta de preços, em dezembro, já reflete a procura por produtos para as festas de fim de ano. "É normal quanto maior a procura por produtos, maior será a elevação de preços", frisou. A Diretora adianta que o Procon está preparando uma pesquisa com preços de produtos para as ceias de Natal e Reveillon.

Comparativo mensal

Mês Valor médio Variação
Janeiro R$ 439,23 sem comparativo
Fevereiro R$ 424,01 -3,46 %
Março R$ 454,44 +7,18 %
Abril R$ 446,83 -1,67 %
Maio R$ 447,91 +0,24 %
Junho R$ 456,98 +2,03 %
Julho R$ 440,65 -3,57 %
Agosto R$ 445,32 +1,06 %
Setembro R$ 409,79 -7,98 %
Outubro R$ 440,82 +7,57 %
Novembro R$ 436,93 -0,88 %
Dezembro R$ 457,78 +4,77 %

Entre as regionais, os bairros Antonio Bezerra, Parquelândia e Quintino cunha, bem os demais locais da Regional III concentram os maiores preços. Já nos bairros Benfica, Paranga e Vila Pery estão os menores preços.

Preços por regionais (Dezembro)

Regionais Preço médio total
Regional III R$ 521,52
Regional do Centro R$ 482,07
Regional V R$ 471,98
Regional II R$ 447,44
Regional VI R$ 445,38
Regional I R$ 417,93
Regional IV R$ 400,06

Dicas e direitos
1 - Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
2 - Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
3 - Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
4 - Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
5 - Pode haver diferença de preços nos pagamentos em dinheiro ou cartão de crédito e débito;
6 - Confira a data de validade dos produtos;
7 - Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
8 - Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
9 - Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida;
10 - Os supermercados, mesmo que sejam da mesma rede, podem cobrar preços diferenciados entre os estabelecimentos físicos e os virtuais (sites, aplicativos, telemarketing).

Como denunciar
Denúncias podem ser realizadas no Portal da Prefeitura de Fortaleza (www.fortaleza.ce.gov.br), no campo defesa do consumidor e, também, pelo aplicativo Procon Fortaleza e ainda pela Central de Atendimento ao Consumidor 151.

Publicado em Economia

A nova pesquisa de preços nos supermercados da capital, realizada nesta segunda e terça-feira (4 e 5/11) pelo Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), aponta que, em novembro, a média de preços dos 60 produtos consultados, mensalmente, registrou redução de 0,88%. No mês passado, a soma dos itens ficou em R$ 440,82, enquanto que neste último levantamento a média da soma de todos os produtos chega a R$ 436,93.

A penúltima pesquisa do ano também indica que as Regionais III e V possuem os preços mais elevados, totalizando R$ 488,57 e R$ 463,48, respectivamente, a média da soma dos 60 produtos. Já a regional IV soma os menores valores. A média de todos os itens ficou em R$ 339,44.

Preços por regionais

Regionais Preço médio total
Regional III R$ 488,57
Regional V R$ 463,48
Regional VI R$ 459,51
Regional I R$ 453,29
Regional II R$ 431,06
Regional Centro R$ 375,96
Regional IV R$ 339,44

Mesmo com a redução de preços, no mês de novembro, a pesquisa encontrou altas variações de preços entre os supermercados. O quilo do tomante, por exemplo, pode ser encontrado de R$ 1,29 a R$ 5,99, uma diferença de 364%.

Cinco maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Tomate (Kg) R$ 1,29 R$ 5,99 364,34%
Cebola (Kg) R$ 1,29 R$ 4,99 286,82%
Batata (Kg) R$ 1,55 R$ 5,98 285,80%
Mamão (Kg) R$ 0,99 R$ 3,79 282,82%
Banana (Kg) R$ 1,68 R$ 5,99 256,54%

Toda a pesquisa está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, orienta que o consumidor pesquise sempre os estabelecimentos com preços mais baratos. "O consumidor deve ficar atento às promoções e aos dias de ofertas, pois isso pode fazer uma grande diferença no orçamento doméstico. O ideal é comprar pouco e toda semana ir ao supermercado". A Diretora também avalia que a tendência é de aumento de preços por conta da proximidade das festas de fim de ano.

A pesquisa do Procon Fortaleza é dividida em itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil.

Publicado em Economia

Em outubro, os preços de alimentos e produtos nos supermercados de Fortaleza estão mais caros. Segundo a nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgada nesta quarta-feira (23/10), a média dos 60 produtos pesquisados mensalmente subiu 7,57%, somando R$ 440,82, frente ao levantamento passado (3 e 4/9), em que os mesmos produtos somavam R$ 409,79. Isso representa a maior alta, desde o início do ano. A pesquisa está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS, bem como no portal da Prefeitura de Fortaleza.

Na pesquisa, o Procon também faz um comparativo de preços entre as regionais. A Regional III, onde estão os bairros Antonio Bezerra, Parquelândia e Quintino Cunha, entre outros, concentra os preços mais elevados, em outubro. Já a Regional VI possui os preços mais baixos.

Preços por regionais

Regionais Preço médio total
Regional III R$ 492,80
Regional V R$ 473,81
Regional II R$ 452,44
Regional VI R$ 431,00
Regional I R$ 414,86
Regional do Centro R$ 414,63
Regional IV R$ 328,63

Entre as maiores variações, o Procon encontrou preços que podem variar até 182,32%. É o caso do quilo do pimentão, que pode ser comprado de R$ 1,98 a R$ 5,59.

Cinco maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Pimentão (Kg) R$ 1,98 R$ 5,59 182,32%
Alho (Kg) R$ 15,98 R$ 39,00 144,05%
Queijo (Kg) R$ 17,90 R$ 38,90 117,31%
Feijão (Kg) R$ 2,32 R$ 4,99 115,08%
Molho de tomate (sachê) R$ 0,95 R$ 1,99 109,47%

Consulte aqui os preços de todos os 60 produtos.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, lembra que os estabelecimentos são obrigados a cumprir as ofertas e promoções anunciadas, sob pena de multa de até R$ 13 milhões. "Se houver divergência entre o preço anunciado e o preço registrado no caixa, o consumidor deve pagar sempre o menor valor", explicou.

A pesquisa do Procon Fortaleza é dividida em itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil.

Publicado em Economia
 
O preço do tomate, por exemplo, varia até 313,10%, sendo encontrado de R$ 1,45 a R$ 5,99
O preço do tomate varia até 313,10%, sendo encontrado de R$ 1,45 a R$ 5,99

Em setembro, os preços de alimentos e produtos nos supermercados da capital cearense registraram redução de 7,98%. É o que aponta a nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgada nesta sexta-feira (06/09). No mês passado, a soma dos 60 produtos pesquisados mensalmente pelo Procon ficou em R$ 445,32, enquanto que neste último levantamento, realizado terça e quarta-feira (3 e 4/9), a média total dos produtos ficou em R$ 409,79.

Mesmo sendo a maior redução do ano, o Procon alerta que pode haver grande variação entre os supermercados pesquisados. O preço do tomate, por exemplo, varia até 313,10%, sendo encontrado de R$ 1,45 a R$ 5,99. O quilo do pimentão também apresenta alta diferença, indo de R$ 1,39 a R$ 5,15, ou seja, 270,50%.

Quando o comparativo é feito entre os bairros, a Regional do Centro continua concentrando os preços mais elevados, totalizando R$ 479,90 a soma da média de todos os 60 produtos pesquisados mensalmente. Já a Regional VI, onde estão os bairros Aerolândia, Passaré e Messejana, por exemplo, possui os preços mais baixos, somando, os mesmos itens, cerca de R$ 321,61. 

Preços por regionais

Regionais Preço médio total
Regional do Centro R$ 479,90
Regional V R$ 446,25
Regional III R$ 441,98
Regional I R$ 428,38
Regional IV R$ 413,77
Regional II R$ 336,76
Regional VI R$ 321,61

Cinco maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Tomate (Kg) R$ 1,45 R$ 5,99 313,10%
Pimentão (Kg) R$ 1,39 R$ 5,15 270,50%
Abacaxi (Unidade) R$ 1,89 R$ 6,99 269,84%
Batata (Kg) R$ 2,48 R$ 8,59 246,37%
Cenoura(Kg) R$ 1,89 R$ 5,98 216,40%

Consulte aqui os preços de todos os 60 produtos.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, lembra que os estabelecimentos são obrigados a cumprir as ofertas e promoções anunciadas. "Se houver divergência entre o preço anunciado e o preço registrado no caixa, o consumidor deve pagar sempre o menor valor", explicou.

A pesquisa do Procon Fortaleza é dividida em itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil. A pesquisa também está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS.

Publicado em Economia

Em agosto, os preços de alimentos e produtos nos supermercados da capital registraram elevação de 1,06%, segundo a nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgada nesta segunda-feira (12/08). No mês passado, a soma dos 60 produtos pesquisados mensalmente ficou em R$ 440,65, enquanto que neste último levantamento, realizado nos dias 5 e 6 de agosto, a soma ficou em R$ 445,32.

A pesquisa também aponta que a Regional do Centro concentra os preços mais elevados nos supermercados totalizando R$ 488,50 a soma da média de todos os 60 produtos pesquisados mensalmente, enquanto que a Regional IV possui os preços mais baixos, somando os mesmos itens R$ 391,97.

Pelo menos 13 itens apresentam diferença acima de cem por cento entre o supermercado mais caro e o mais barato. A unidade do abacaxi pode ser comprado de R$ 1,99 a R$ 7,99, conferindo uma diferença de 301,50%. O quilo da banana e do alho também apresentam alta variação de preços com 202,52% (R$ 1,98 a R$ 5,99) e 202,32% (R$ 12,90 a R$ 39,00) de diferença, respectivamente.

Cinco maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Abacaxi (Unidade) R$ 1,99 R$ 7,99 301,50%
Banana (Kg) R$ 1,98 R$ 5,99 202,52%
Alho (Kg) R$ 12,90 R$ 39,00 202,32%
Cenoura (Kg) R$ 2,28 R$ 6,19 171,49%
Laranja(Kg) R$ 1,48 R$ 3,99 169,59%

Consulte aqui os demais preços dos 60 produtos.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, orienta que consumidores fiquem atentos a algumas estratégias de marketing nos supermercados. "Geralmente, aqueles produtos que são de interesse de venda mais rápida ficam posicionados, nas prateleiras, na altura do olho humano e nem sempre possuem os melhores preços", alertou. Ela também chama a atenção de que outros produtos com apelo de venda são aqueles que ficam na entrada dos supermercados com tarjas e anúncios de promoção, complementa a Diretora.

Dicas e direitos
1 - Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
2 - Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
3 - Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
4 - Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
5 - Pode haver diferença de preços nos pagamentos em dinheiro ou cartão de crédito e débito;
6 - Confira a data de validade dos produtos;
7 - Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
8 - Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
9 - Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida;
10 - Os supermercados, mesmo que sejam da mesma rede, podem cobrar preços diferenciados entre os estabelecimentos físicos e os virtuais (sites, aplicativos, telemarketing).

Como denunciar
Denúncias podem ser realizadas no Portal da Prefeitura de Fortaleza (www.fortaleza.ce.gov.br), no campo defesa do consumidor e, também, pelo aplicativo Procon Fortaleza e ainda pela Central de Atendimento ao Consumidor 151.

Publicado em Economia

Em Julho, alimentos e produtos de primeira necessidade sofreram redução de 3,57% na média geral de preços. É o que aponta a nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgada nesta terça-feira (16/07). No mês passado, a soma dos 60 itens pesquisados, mensalmente, chegou a R$ 456,98. Neste último levantamento, realizado entre os dias 1º e 3 de Julho, os mesmos itens somam R$ 440,65.

No entanto, a diferença de um mesmo produto entre os supermercados pesquisados pode chegar a 219,73%, como é o caso do abacaxi, sendo encontrado de R$ 2,28 a R$ 7,29 a unidade. Outros dez itens apresentam diferença de preços acima de cem por cento.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação
Abacaxi (Unidade) R$ 2,28 R$ 7,29 219,73%
Pimentão (Kg) R$ 2,59 R$ 7,98 208,10%
Mamão (Kg) R$ 1,38 R$ 3,99 189,13%
Queijo (Kg) R$ 18,90 R$ 49,90 164,02%
Banana (Kg) R$ 2,29 R$ 5,99 161,57%
Laranja (Kg) R$ 1,58 R$ 3,99 152,53%
Alho (Kg) R$ 12,90 R$ 27,99 116,97%
Presunto Peru (Kg) R$ 12,90 R$ 27,89 116,20%
Batata inglesa (kg) R$ 3,85 R$ 7,98 107,27%
Sabonete (Unidade) R$ 0,99 R$ 1,99 101,01%
Tomate (Kg) R$ 4,98 R$ 9,98 100,40%

Consulte aqui, a pesquisa completa com os preços de alimentos e produtos. A pesquisa também está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS.

De acordo com o novo levantamento, a Regional V apresenta a soma da média total dos preços mais elevada.

Preços por regionais

Regionais Preço médio total
Regional V R$ 487,59
Regional III R$ 450,23
Regional Centro R$ 443,10
Regional IV R$ 431,77
Regional II R$ 429,18
Regional I R$ 416,69
Regional VI R$ 343,56

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, reforça que havendo divergência de preços entre o valor anunciado com o registrado no caixa de pagamento, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor. "O consumidor é a parte vulnerável na relação de consumo e, portanto, qualquer falha na prestação do serviço ou na compra de um produto deve privilegiar e compensar o consumidor".

O telefone do Procon Fortaleza para denúncias e informações é o 151.

Publicado em Economia

Alimentos e produtos subiram 2,03% em junho nos supermercados da Capital. É o que aponta a nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgada nesta sexta-feira (28/06). O Procon acompanha, mensalmente, a evolução de preços de 60 produtos. No acumulado do seis primeiros meses do ano (janeiro a junho), a elevação dos preços nos supermercados de Fortaleza chega a 4,3%, já ultrapassando a previsão de inflação de 3,89% do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 2019, divulgado no último dia 17/06 pelo Banco Central.

Em valores absolutos, os 60 alimentos e produtos somavam R$ 447,91, em maio. No último levantamento do Procon, realizado entre os dias 10 e 12 de junho, o conjunto dos itens está em R$ 456,98, o que confere alta de 2,03%.

A pesquisa é dividida em itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil. A pesquisa também está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas Android e IOS.

Confira todos os preços da pesquisa

Quando realizado o comparativo entre as regionais de Fortaleza, pesquisadores do Procon identificaram que os preços mais elevados estão na Regional do Centro. Em seguida, a Regional III e V apresentam os maiores valores.

Comparativo por regionais

Regionais Preço médio total
Regional Centro R$ 506,13
Regional III R$ 481,70
Regional V R$ 472,26
Regional II R$ 471,91
Regional VI R$ 447,79
Regional I R$ 436,31
Regional IV R$ 337,31

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, orienta que o consumidor pesquise em encartes e anúncios. "Toda rede de supermercados faz ofertas em dias específicos da semana e isto pode gerar uma grande economia para o consumidor", disse.

O Procon também elaborou uma lista com as maiores variações. Pelo menos 10 alimentos apresentaram diferença de mais de 100% entre o supermercado mais barato e o mais caro.

Maiores variações

Produto (Kg) Menor preço Maior preço Variação
Pimentão R$ 1,95 R$ 8,69 345,64%
Mamão R$ 1,28 R$ 3,99 211,71%
Banana R$ 1,98 R$ 5,89 197,47%
Alho R$ 9,50 R$ 26,98 184,00%
Laranja R$ 1,68 R$ 4,59 173,21%
Cebola R$ 1,95 R$ 5,29 171,28%
Batata R$ 2,74 R$ 6,99 155,10%
Pão francês R$ 10,90 R$ 27,49 152,20%
Abacaxi R$ 2,29 R$ 5,39 135,37%
Cenoura R$ 2,98 R$ 6,79 127,85%
Publicado em Economia
Em maio, os 60 alimentos e produtos pesquisados pelo Procon Fortaleza somam R$ 447,91
Em maio, os 60 alimentos e produtos pesquisados pelo Procon Fortaleza somam R$ 447,91

Após a alta de 1,67% nos preços de alimentos e produtos, em abril, o Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) registrou um aumento de 0,24% nos preços dos mesmos produtos, em maio. Os índices, que se referem à média total, foram divulgados nesta quarta-feira (15/05), pelo Procon Fortaleza, que realiza mensalmente o acompanhamento dos preços de 60 itens de primeira necessidade nos supermercados da Capital. No acumulado nos cinco primeiros meses deste ano, a elevação chega a 2,29%.

Em maio, os 60 alimentos e produtos pesquisados pelo Procon Fortaleza somam R$ 447,91. Isso representa 0,24% de elevação frente aos preços coletados em abril, quando a soma dos itens ficou em R$ 446,83.

Mas enquanto a média total apresenta leve alta, a diferença entre os mesmos produtos nos supermercados pesquisados pode chegar a 261,74%. É o caso do quilo da cebola, que foi encontrado de R$ 1,49 a R$ 5,39.

Maiores variações

Produto Menor preço Maior preço Variação     
Cebola (Kg) R$ 1,49 R$ 5,39 261,74 %
Alho (Kg) R$ 9,90

R$ 35,00

253,53 %
Abacaxi (Unidade) R$ 2,48 R$ 7,99 222,17 %
Mamão (Kg) R$ 1,45 R$ 3,89 168,27 %
Laranja (Kg) R$ 1,88 R$ 4,59 144,14 %

O Procon também realiza o comparativo de preços por regionais. Nos bairros Conjunto José Walter e Maraponga foram encontrados os preços mais elevados.

Preços por regionais

Regionais Preço médio total
Regional V R$ 468,56
Regional III R$ 464,74
Regional Centro R$ 463,72
Regional VI R$ 445,43
Regional II R$ 430,41
Regional I R$ 419,47
Regional IV R$ 419,27

A pesquisa é dividida em itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil. Consulte todos os preços aqui. A pesquisa também está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, avalia que a mudança de elevação de preços por regionais demonstra que os hábitos dos consumidores influenciam na política de preços. "Se o consumidor opta por locais mais baratos, os supermercados que praticam preços elevados tendem a baixar seus preços. E isto é positivo para o bolso do consumidor", comentou.

Publicado em Economia

Em abril, o Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) registrou uma redução de 1,67% nos preços de alimentos e produtos. No entanto, a diferença de um mesmo produto entre os supermercados pesquisados pode chegar a 302,71%. O levantamento, divulgado, nesta terça-feira (30/4), aponta que a soma da média dos 60 produtos pesquisados nos supermercados de Fortaleza, entre os dias 22 e 23 de abril, chegou a R$ 446,83, enquanto que, em março, a soma da média foi de R$ 454,44.

Abacaxi, batata e alho são os alimentos que mais variam de preços entre os supermercados visitados, sendo encontrados com diferenças de 302,71%, 193,97% e 186,88%, respectivamente. Outros seis alimentos também apresentam variações acima de cem por cento.

Maiores variações

PRODUTO MENOR PREÇO MAIOR PREÇO VARIAÇÃO
Abacaxi (Unidade) R$ 2,58 R$ 10,39 302,71 %
Batata (Kg) R$ 2,99 R$ 8,79 193,97 %
Alho (Kg) R$ 12,20 R$ 35,00 186,88 %
Pimentão (Kg) R$ 3,19 R$ 7,98 150,15 %
Laranja (Kg) R$ 1,98 R$ 4,75 139,89 %
Cebola (Kg) R$ 2,48 R$ 5,85 135,88 %
Mamão (Kg) R$ 1,79 R$ 3,75 109,49 %
Banana (Kg) R$ 2,98 R$ 5,99 101,00 %
Cenoura (kg) R$ 2,98 R$ 5,99 101,00 %

De acordo com o novo levantamento, a Regional III apresenta a soma da média total dos preços mais elevada. Nesta análise, a soma da média dos itens por Regionais leva em consideração a quantidade de produtos encontrada nos supermercados.

Preços por Regionais

Regionais Preço médio total
Regional III R$ 491,86
Regional do Centro R$ 479,33
Regional V R$ 474,62
Regional VI R$ 448,47
Regional II R$ 418,67
Regional I R$ 412,22
Regional IV R$ 375,19

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, explica que os estabelecimentos são obrigados a cumprir o preço de ofertas. "O consumidor deve pagar o preço anunciado em encartes e anúncios publicitários. Se houver divergência entre o preço anunciado e o registrado no caixa, o consumidor deve pagar o menor valor".

Consulte, aqui, a pesquisa completa com os preços de alimentos e produtos. A pesquisa também está disponível no aplicativo "Proconomizar", nas plataformas android e iOS.

Denúncias podem ser realizadas pelo telefone 151.

Publicado em Economia