.

A Vila das Artes abre vagas para ouvintes no Curso de Realização da Escola Pública de Audiovisual. As 10 vagas disponibilizadas referem-se ao módulo “Perspectivas Contemporâneas da Arte”, que terá a condução de Castiel Vitorino. As aulas ocorrem de 03 a 07 de fevereiro, das 14h às 18h. As inscrições serão realizadas por ordem de chegada a partir de uma hora antes da primeira aula, nesta segunda-feira (03/02).

O módulo, que inaugura o 2º ciclo de atividades do curso, tem como proposta pensar a arte como uma experiência de tradução de processos de subjetivação, “abandonando a ideia de que tradução seja uma reprodução asséptica da sociedade na que se faz e daquela que se pretende fazer”, como explica Castiel. “Assumindo a tradução e a Arte como ferramenta cosmogônica capaz de acelerar ou impedir fins de mundo. Ou seja: como a arte se relaciona com o fascismo ou processos de liberdade e de fuga em seus conflitos geopolíticos, cognitivos, emocionais?”, questiona a professora.

A pesquisadora se propõe a revisitar a mitologia africana Bantu para investigar “como a arte organiza a vida e como artistas têm sido capazes de manipular vitalidades na contemporaneidade”, explica. Nas aulas, além de obras literárias, serão discutidos trabalhos audiovisuais, escultóricos, fotográficos, performáticos, cênicos e musicais de artistas contemporâneos.

A Vila das Artes é um complexo cultural da Prefeitura de Fortaleza, coordenado pela Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) em parceria com o Instituto Cultural Iracema.

Sobre a ministrante

Castiel Vitorino é artista visual, macumbeira e psicóloga mestranda no programa de Psicologia Clínica Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), sob orientação de Suely Rolnik. Pesquisa e inventa relações em que corpos não-humanos se desprendem das amarras da colonialidade. Compreende a macumbaria como um jeito de corpo necessário para que a fuga aconteça. Dribla, incorpora e mergulha na diáspora Bantu, e assume a vida como um lugar perecível de liberdade. Idealizadora do projeto de imersão em processos criativos decoloniais “Devorações”.

Curso de Realização em Audiovisual

Gratuito e com duração de dois anos, o Curso de Realização em Audiovisual é uma das principais formações da Vila das Artes. Por meio da Escola Pública de Audiovisual do equipamento, são ofertadas 1.700 h/a de carga horária, com a chancela de extensão certificada pelo curso de Cinema e Audiovisual do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (ICA/UFC).

Serviço:
Curso de Realização em Audiovisual – Módulo “Perspectivas Contemporâneas da Arte”, Castiel Vitorino, inscrições para ouvintes
Data: 03/02 a 07/02
Hora: das 14h às 18h
Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 – Centro)
Inscrições: por ordem de chegada, a partir das 13h de 03/02 (1 hora antes do início da primeira aula)
Vagas: 10
Gratuito

Publicado em Cultura
.

A Vila das Artes abre inscrições, nesta quarta-feira (29/01), para a oficina “A Narratividade Sonora”. Parte do Programa de Férias da Escola Pública de Audiovisual, a atividade terá a condução de David Aynan e ocorrerá durante a semana de 10 a 14 de fevereiro, das 9h às 13h. As inscrições devem ser realizadas online até o dia 05/02 e os candidatos devem ter idade mínima de 18 anos.

Clique para se inscrever

A oficina “Narratividade Sonora” se propõe a trabalhar a construção do pensamento sonoro desde a pré-produção, levando em conta a importância do som como elemento narrativo que cria e altera características das cenas. Dividida em três partes, trabalha temas como proposta de direção de som, tratamento acústico do espaço, técnicas de uso de microfones, mixagem e diversas outras.

A Vila das Artes é um complexo cultural da Prefeitura de Fortaleza, coordenado pela Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) em parceria com o Instituto Cultural Iracema.

Sobre o ministrante

David Aynan é graduado em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Atua na área de direção, designer de som e montagem. É membro fundador do Movimento de Cinema Negro Tela Preta e conselheiro fiscal da APAN (Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro). Dirigiu o documentário de curta metragem “Canções de Liberdade” (2013), o filme “O Som do Silêncio” (2017), que recebeu o prêmio de melhor curta do Nordeste na mostra do Cinema Contemporâneo do Nordeste (2018) e menção honrosa no 10° Festival de Cinema de Triunfo (2017), e o curta “Um ensaio sobre a Ausência” (2018), selecionado para a competitiva de curtas da Mostra de cinema de Tiradentes 2019.

Atualmente, David está finalizando o longa “Okunrin”, documentário que investiga a masculinidade negra. Trabalhou como designer de som e captação de som direto no média metragem “Bikud@s” (2013), fez direção musical no curta “Lápis de Cor” (2014) e atuou como diretor de som em “Cinzas” (2015) e na série “Diz Aí”, veiculada no Canal Futura em 2017. Trabalhou ainda como assistente de som no longa “Um Dia com Jerusa” (2019) e como mixador no filme “Ilhas de Calor” (2019).

Serviço
Oficina “A Narratividade Sonora”, com David Aynan
Inscrições: até 05/02 no Canal da Cultura
Data de realização: de 10/02 a 14/02
Hora: das 9h às 13h
Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 – Centro)
Gratuito

Publicado em Cultura
.

A Vila das Artes promove, nesta sexta-feira (31/01), sessão especial com a exibição de filmes produzidos por estudantes da quinta turma do Curso de Realização da Escola Pública de Audiovisual. O evento ocorrerá às 20h, no Cinema do Dragão, com entrada gratuita.

Serão exibidas, no total, quatro produções: “Desterro”, “Minha Vozinha”, “Pátria” e “Preces precipitadas de um lugar sagrado que não existe mais”. O evento marca a finalização do primeiro dos ciclos que compõem a formação. “Cada ciclo é composto por atividades teóricas da linguagem audiovisual, seguidas por disciplinas técnicas, a que chamamos Ateliês. Os filmes a serem exibidos são os resultados do Ateliê 1. Neles, direção, fotografia, som, montagem e diversos outros aspectos do trabalho de realização de um filme recebem a assinatura dos estudantes do curso”, explica Kennya Mendes, coordenadora da Escola Pública de Audiovisual da Vila da Artes.

A quinta turma de Realização em Audiovisual da Vila das Artes iniciou em março de 2019, após seleção que contou com mais de 600 inscritos. Deste total, 35 foram chamados para participar do curso de dois anos de duração, que segue até o primeiro semestre de 2021.

A Vila das Artes é um complexo cultural da Prefeitura de Fortaleza, gerido pela Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) em parceria com o Instituto Cultural Iracema (ICI).

Sinopses

Desterro: Habitando a catástrofe, uma jovem feiticeira encontra na desesperança a força motora da mudança e elabora rotas de fuga.

Minha Vozinha: Esse documentarista é pura encrenca e vai transformar a vida de sua equipe, uma produtora e três diretores, numa grande confusão. Mas essa nova carreira não vai ser moleza, por que ele tem todo um talento e criatividade na busca de fazer um genuíno filme de avó, no interior de Brejo Santo, na fazenda do Seu Benedito.

Pátria: Em uma fita VHS são narrados pensamentos sobre Pátria, nacionalismo e poder.

Preces precipitadas de um lugar sagrado que não existe mais: Voltando para casa depois de uma festa de reggae, Breno vai parar numa zona de sacrifício entre o presente, o passado e o futuro.

Escola de Audiovisual

Fundada em 2006, a Escola Pública de Audiovisual da Vila das Artes oferece gratuitamente o Curso de Realização em Audiovisual. A formação de dois anos tem carga horária de 1.700h/a, com a chancela de extensão certificada pelo curso de Cinema e Audiovisual do Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (ICA/UFC). A Escola ainda realiza cursos livres de curta duração durante todo o ano, inclusive nas férias. Outro serviço oferecido é o programa “Pontos de Corte”, com formação e apoio aos cineclubistas.

Serviço
Ateliê 1 – Exibição de filmes da 5ª turma do Curso de Realização em Audiovisual da Vila das Artes
Data: Sexta-feira (31/01)
Hora: 20h
Local: Dragão do Mar – Cinema do Dragão, Sala 2 (Rua Dragão do Mar, 81 – Praia de Iracema)
Gratuito

Publicado em Cultura

A Vila das Artes abre inscrições, nesta quarta-feira (15/01), para duas novas oficinas do Programa de Férias da Escola Pública de Audiovisual. As oficinas “Cinema, fabulação e ficções especulativas”, com Kênia Freitas, e “Introdução à Colorimetria”, com Darwin Marinho, ocorrerão durante a semana de 27 a 31 de janeiro, das 9h às 13h e das 14h às 18h, respectivamente. Inscrições online devem ser realizadas até 23/01. As duas atividades são destinadas a maiores de 18 anos.

Clique e se inscreva na oficina “Cinema, fabulação e ficções especulativas”, com Kênia Freitas

Clique e se inscreva na oficina “Introdução à Colorimetria”, com Darwin Marinho

A oficina “Cinema, fabulação e ficções especulativas” se propõe a pensar as estratégias de criação e invenção no cinema contemporâneo, a partir das conexões entre o conceito de fabulação e o campo da ficção especulativa. “Essas estratégias serão discutidas com base nos tensionamentos e inflexões do campo crítico decolonial e das pesquisas do cinema negro”, comenta Kênia Freitas, ministrante do curso.

Já a oficina “Introdução à Colorimetria” traz uma abordagem teórica e prática a respeito do uso da cor no cinema. Serão trabalhados temas, como: a importância da captação, da direção de arte e da fotografia na colorimetria; a diferença entre correção de cor e colorimetria; e ciência das cores. “Serão realizadas análises de filmes e haverá ainda a introdução ao uso das ferramentas de correção de cor e colorimetria nos softwares Adobe Premiere e Davinci Resolve”, complementa Darwin Marinho, ministrante da oficina.

A Vila das Artes é um equipamento da Prefeitura de Fortaleza coordenado pela Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) em parceria com o Instituto Cultural Iracema.

Sobre os ministrantes

Kênia Freitas é professora, crítica e curadora de cinema, com pesquisa sobre Afrofuturismo e o Cinema Negro. Pós-doutoranda (CAPES/PNPD) em Comunicação da UNESP. Doutora em Comunicação e Cultura pela UFRJ. Realizou a curadoria das mostras “Afrofuturismo: cinema e música em uma diáspora intergaláctica”, “A Magia da Mulher Negra” e “Diretoras Negras no Cinema brasileiro”. Escreve críticas para o site Multiplot! e integra o Elviras, coletivo de mulheres críticas de Cinema.

Darwin Marinho nasceu em Tauá-CE e reside em Fortaleza. Seus trabalhos transitam entre artes visuais, cinema, performance, música e design. É membro da Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro (APAN), diretora artística da residência Antro e integrante dos coletivos Carnaval no Inferno, Negritude Infinita e Fertinha.

Serviço:
Oficina “Cinema, fabulação e ficções especulativas”, com Kênia Freitas

Inscrições: até 23 de janeiro, em https://cultura.fortaleza.ce.gov.br/
Data de realização: de 27 a 31 de janeiro
Hora: das 9h às 13h
Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 – Centro)
Gratuito

Oficina “Introdução à Colorimetria”, com Darwin Marinho
Inscrições: até 23 de janeiro, em https://cultura.fortaleza.ce.gov.br/
Data de realização: de 27 a 31 de janeiro
Hora: das 14h às 18h
Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 – Centro)
Gratuito

Publicado em Cultura

A Vila das Artes abre inscrições, nesta quarta-feira (08/01), para duas novas oficinas do Programa de Férias da Escola Pública de Audiovisual. As oficinas “Introdução à preservação audiovisual de vídeo analógico e digital”, com Inês Aisengart, e “Caracterização: a alquimia na direção de arte”, com Guilherme Funari e Lia Damasceno, ocorrerão durante a semana de 20 a 24 de janeiro, das 9h às 13h e das 14h às 18h, respectivamente. As inscrições online devem ser realizadas até o dia 15/01. Cada atividade oferta 25 vagas e todas são destinadas a maiores de 18 anos.

Clique e se inscreva na oficina “Introdução à preservação audiovisual de vídeo analógico e digital”

Clique e se inscreva na oficina “Caracterização: a alquimia na direção de arte”, Guilherme Funari e Lia Damasceno

A oficina “Introdução à preservação audiovisual de vídeo analógico e digital” pretende, por meio de aulas teórico-práticas, tratar da história, conceitos e práticas da preservação audiovisual, com foco em formatos de vídeo analógico e digital. “O curso irá abordar tópicos como obsolescência de mídia, formatos de arquivo, gestão de dados digitais, suportes de armazenamento, ferramentas para o gerenciamento de documentos digitais pessoais, entre outros”, conta a preservacionista audiovisual Inês Aisengart.

A oficina “Caracterização: a alquimia na direção de arte”, por sua vez, irá trabalhar aspectos da direção de arte, como figurino, locações, cores, equipes e funções, orçamento, maquiagem, entre outros. “A alquimia a que nos referimos consiste em um conhecimento interdisciplinar acerca de técnicas e artesanias que misturam às tecnologias, intuição e conhecimentos ancestrais para se criar a atmosfera de uma narrativa audiovisual”, comenta Lia Damasceno, uma das ministrantes.

A Vila das Artes é um equipamento da Prefeitura de Fortaleza, coordenado pela Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) em parceria com o Instituto Cultural Iracema.

Sobre os ministrantes

Inês Aisengart é preservacionista audiovisual, com graduação em Cinema na UFF e mestrado em Heritage Studies: Preservation and Presentation of the Moving Image (Universidade de Amsterdam). Trabalha no setor de Preservação da Cinemateca Brasileira desde 2016 e é cocuradora da temática de Preservação da CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto desde 2017. Anteriormente, trabalhou por um ano no Eye Film Institute Netherlands e no Rio de Janeiro, nas áreas de preservação audiovisual, pesquisa, curadoria, produção, financiamento e produção editorial.

Guilherme Funari, desde sua chegada em São Paulo, em 2011, atuou em uma das companhias mais importantes da cena preta paulistana, a “Cia Os Crespos”. Ali se descobriu negro e teve sua visão de mundo revirada ao se dar conta dos anos que passou a se embranquecer. Como maquiador, assinou “O Último Trago”, “Clube dos Canibais” e “Sol Alegria”, os dois últimos concorrentes em várias categorias no Festival Internacional de Rotterdam. Atualmente, segue trabalhando no audiovisual como assistente de figurino de algumas séries, como “Coisa Mais Linda” e “Irmandade”, do Netflix, e “Segunda Chamada”, exibida pela Rede Globo.

Lia Damasceno é Mestre em Estética e História da Arte pelo Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (USP), onde agora cursa Doutorado. Graduada em Comunicação Social na Universidade Federal do Ceará (UFC), participou do coletivo Alumbramento como figurinista e cenógrafa. Em 2017, assinou o figurino da série da TV Brasil “Lana & Carol” e a assistência de figurino em parte da série “Aruanas” para a Rede Globo de Televisão. Trabalhou ainda em projetos de diversos grupos artísticos da cidade de São Paulo, como a Bienal de Dança de Santos, o videoclipe “Retrovisor” da cantora Céu, a turnê “20 anos” da Banda Cidadão Instigado, entre outros.

Serviço:
Oficina “Introdução à preservação audiovisual de vídeo analógico e digital”, com Ines Aisengart
Inscrições: até 15 de janeiro de 2020
Data de realização: de 20 a 24 de janeiro de 2020
Hora: das 9h às 13h
Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 – Centro)
Gratuito

Oficina “Caracterização: a alquimia na direção de arte”, com Guilherme Funari e Lia Damasceno
Inscrições: até 15 de janeiro de 2020
Data de realização: de 20 a 24 de janeiro de 2020
Hora: das 14h às 18h
Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 – Centro)
Gratuito

Publicado em Cultura
.

A Vila das Artes realiza, por meio da Escola Pública de Audiovisual, mostra especial com o tema "Made In Bom Jardim". Ao longo do mês de janeiro, filmes de realizadores participantes do coletivo Bom Jardim Produções irão compor a programação do Cineclube Vila das Artes, em sessões gratuitas e abertas ao público, sempre às segundas-feiras, às 18h.

Em cada sessão, serão mescladas exibições de filmes antigos e recentes do coletivo. No último dia, a mostra apresenta obras realizadas por alunos do coletivo pertencentes à comunidade e encerra com a exibição de teasers e trailers dos futuros projetos do Bom Jardim Produções.

Proposta de curadoria vitoriosa na convocatória Telas Abertas, a mostra "Made In Bom Jardim" exibirá em janeiro os filmes "Botija" e "Jéssica" (06/01); "Apenas detalhes", "Presença do mal" e "A casa" (13/01); "O inferno é aqui", "A garotinha" e "Meus dias de bullying" (20/01); "Uma razão para viver", "Marcas", "Não Pare de sonhar", "Sempre comigo", "Vânia", e "Narradores Urbanos / Outro Olhar sobre o Grande Bom Jardim" (27/01).

A Vila das Artes é um complexo cultural da Prefeitura de Fortaleza gerido pela Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) em parceria com o Instituto Cultural Iracema (ICI).

Programação:

06/01: Botija (Direção: Josenildo Nascimento / 2015 / Suspense / 64 min / 10 anos) e Jéssica (Direção: Gislândia Barros e Josenildo Nascimento / 2013 / Drama / 10 min /10 anos)

13/01: Apenas detalhes (Direção: Gislândia Barros e Josenildo Nascimento / 2011 / Romance / 60 min / Livre), Presença do mal (Direção: Gislândia Barros e Josenildo Nascimento / 2018 / Terror / 15 min / 12 anos) e A casa (Direção: Gislândia Barros e Josenildo Nascimento / 2016 / Terror / 6 min /12 anos)

20/01: O inferno é aqui (Direção: Gislândia Barros e Josenildo Nascimento / 2009 / Terror / 35 min / 14 anos), A garotinha (Direção: Josenildo Nascimento / 2018 / Suspense / 30min / 14 anos), e Meus dias de bullying (Direção: Bárbara Oliveira e Lília Souza / 2018 / Drama / 14 anos)

27/01: Uma razão para viver (Direção: Lilia Souza / 2019 / Drama / 20 min / Livre), Marcas (Direção: Gislândia Barros / 2018 / Drama / 28 min /14 anos), Não Pare de sonhar (Direção Coletiva / Documentário de Ficção / 20 min / Livre), Sempre comigo (Direção: Pedro Jorge e Claudiane Ferreira / 2016 / Suspense / 8 min / 10 anos), Vânia (Roteiro de Vitória Kayane / 2016 / Terror / 6 min / 12 anos) e Narradores Urbanos / Outro Olhar sobre o Grande Bom Jardim (Direção coletiva / 2017 / Documentário / 14min / Livre)

Serviço:
Cineclube Vila das Artes – Mostra "Made In Bom Jardim"
Data: segundas-feiras (06, 13, 20 e 27/01)
Hora: 18h
Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 – Centro)
Gratuito

Publicado em Cultura

A Vila das Artes lança, nesta quinta-feira (02/01), dois novos cursos do Programa de Férias da Escola Pública de Audiovisual. As oficinas “Ler e criar a luz – Do sol ao estúdio, princípios e técnicas de iluminação no cinema”, com Flora Dias, e “Cinema de Invenção”, com Juliana Antunes, ocorrerão durante a semana de 13 a 17 de janeiro, das 9 às 13h e das 14h às 18h, respectivamente. Inscrições online devem ser realizadas até o 09/01. Cada atividade oferta 25 vagas e é destinada a maiores de 18 anos.

Clique e se inscreva na oficina “Ler e criar a luz – Do sol ao estúdio, princípios e técnicas de iluminação no cinema”

Clique e se inscreva na oficina “Cinema de Invenção”

A oficina “Ler e criar a luz” tem por objetivo trabalhar conceitos básicos da linguagem técnica para a análise de sistemas de iluminação, tendo por referência situações reais, e desenvolver ferramentas para a concepção e de novos sistemas a partir do conhecimento de equipamentos e práticas. “Após uma completa introdução teórica, com referências audiovisuais e pictóricas, os estudantes serão orientados em uma oficina prática de iluminação de uma cena. Da luz do sol à artificialidade radical da luz, o curso visa autonomia criativa pelo domínio e também pela subversão da técnica”, explica a ministrante da oficina, Flora Dias.

Em “Cinema de Invenção”, Juliana Antunes proporciona aos alunos e alunas ferramentas para a direção de ficção, documentário e filmes híbridos para o cinema. “Os participantes poderão tanto desenvolver uma nova ideia quanto trabalhar com algum projeto que já tenham de antemão. Não é necessário ter dirigido filmes anteriormente, mas é recomendável ter cinefilia”, explica ela.

A Vila das Artes é um equipamento da Prefeitura de Fortaleza, coordenado pela Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) em parceria com o Instituto Cultural Iracema.

Sobre as ministrantes

Flora Dias é diretora e diretora de fotografia, de São Paulo. Possui graduação em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense (2010) com especialização em Imagem na École Nationale Louis Lumière (França). Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Artes, atuando principalmente nos seguintes temas: cinema, imagem, fotografia, feminismo e território. Como fotógrafa, vem desenvolvendo seu trabalho em curtas e longas-metragens desde 2009. Como diretora, é responsável pelo longa-metragem "O Sol contra os Meus Olhos". Seu segundo projeto de longa de ficção, “O Estranho", participou do 2º Encontro Internacional de Co-Produção LoboLab durante o 31º Festival de Mar del Plata e do 8º Laboratório de Desenvolvimento de Novas Histórias em São Paulo.

Juliana Antunes dirigiu, produziu e roteirizou o longa-metragem “Baronesa”, exibido em mais de 100 festivais pelo mundo. O filme conquistou 20 prêmios nacionais e internacionais. Entre os anos de 2017 e 2018, venceu os festivais de Havana, FIC Valdívia, Indie Lisboa, FIDMarseille, Tiradentes, DOC Montevideo e Ourense. O longa também foi eleito melhor Opera Prima pela revista La Internacional Cinefilia, de Roger Koza.

Serviço:
Oficina “Ler e Criar Luz – Do sol ao estúdio, princípios e técnicas de iluminação no cinema”, com Flora Dias
Inscrições: até 9 de janeiro de 2020, em www.viladasartesfortaleza.com.br
Data de realização: de 13 a 17 de janeiro
Hora: das 9h às 13h
Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, nº 1221 – Centro)
Gratuito

Oficina “Cinema de Invenção”, com Juliana Antunes
Inscrições: até 9 de janeiro de 2020, em www.viladasartesfortaleza.com.br
Data de realização: de 13 a 17 de janeiro
Hora: das 14h às 18h
Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, nº 1221 – Centro)
Gratuito

Publicado em Cultura
.

O ano de 2020 começa cheio de atividades na Vila das Artes. Ao longo dos meses de janeiro e fevereiro, o Programa de Férias da Escola Pública de Audiovisual oferta diversos cursos especiais. O primeiro deles, “Haicai – A linguagem poética e as micro-dramaturgias do cotidiano”, ocorre de 06 a 10 de janeiro de 2020, das 9h às 13h. O curso terá mediação do cineasta Sérgio Borges e as inscrições devem ser realizadas online até o dia 2 de janeiro.

Clique aqui e acesse a ficha de inscrição

Com 25 vagas destinadas a maiores de 18 anos, a oficina parte de conceitos ligados à filosofia oriental Zen e da criação da poesia Haikai japonesa para a realização de exercícios práticos de produção de poemas e de vídeos. “Antes dos exercícios de produção, vamos analisar poemas haicais e filmes que se relacionam com essa proposta de transcriação de linguagens, além de tratar de noções básicas de filmagem e criação audiovisual”, afirma Sérgio Borges.

A Vila das Artes é um equipamento da Prefeitura de Fortaleza, coordenado pela Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) em parceria com o Instituto Cultural Iracema.

Sobre o ministrante
Sérgio Borges cria obras audiovisuais desde 1996. Seus filmes e vídeos participaram e foram premiados em diversos festivais nacionais e internacionais, como: Rotterdam, Locarno, San Sebastian, BAFICI, FID Marseille, Munique, Indie Lisboa, Miami Internacional, Bristol, Brasília, São Paulo, Havana, Valdívia, Thessaloniki, New Horizons entre outros. É autor dos livros “O Guerrilheiro Nuclear e o Pacifista a Conversar” (Ed. Manga – Coleção Poesia Orbital) e “Solar” (Ed. Sêlo Editorial). Realizou exposições fotográficas, de artes plásticas e performances-instalações. É um dos sócios-fundadores da TEIA, centro de pesquisa e produção audiovisual situado em Belo Horizonte (MG). O “Céu sobre os ombros” é seu primeiro longa-metragem.

Serviço
Oficina “Haicai – A linguagem poética e as micro-dramaturgias do cotidiano”, com Sérgio Borges
Inscrições: até 2 de janeiro de 2020, em www.viladasartesfortaleza.com.br
Data de realização: de 6 a 10 de janeiro de 2020
Hora: das 9h às 13h
Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, nº 1221 – Centro)
Gratuito

Publicado em Cultura
Peça gráfica

A Vila das Artes recebe, a partir desta terça-feira (10/12), o evento itinerante Mostra Sesc de Cinema 2019, com exibição gratuita de 13 longas e curtas-metragens. A ação tem parceria da Escola Pública de Audiovisual da Vila das Artes e segue no espaço até sexta-feira (13/12), sempre a partir das 18 horas.

O evento, teve início em Paraty (RJ), na primeira semana de novembro e desde então vem circulando o território nacional com a exibição gratuita de 42 filmes selecionados por realizadores brasileiros. Na última semana do circuito, a mostra chega a Fortaleza, com o suporte do Complexo Cultural Vila das Artes, para apresentação dos filmes “O Céu dos Índios Desâna e Tuiuca”, “Vozes da Memória”, “Francisco”, “Chamando os Ventos: por uma cartografia dos assobios”, Da Curva pra Cá, “Jéssika”, “Do outro lado” e Plano controle.

A Mostra Sesc de Cinema 2019 está em sua terceira edição e neste ano faz homenagem a Adélia Sampaio, a primeira mulher negra a dirigir um longa-metragem no Brasil, intitulado “Amor Maldito”, de 1984. O maior objetivo do evento é difundir as produções audiovisuais de realizadores brasileiros. Além da Vila das Artes, a mostra também segue em Fortaleza com exibições na unidade do Sesc da cidade.

O Complexo Cultural Vila das Artes, formado pela Escola Vila das Artes e pelo Centro Cultural Casa do Barão de Camocim, é administrado pela Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) em parceria com o Instituto Cultural Iracema (ICI).

Confira a programação:
Terça-feira (10/12)
O Céu dos Índios Desâna e Tuiuca (AM, Livre, 2017)
Vozes da Memória (RO, Livre, 2018)
Francisco (AC, LIVRE, 2018)
Chamando os Ventos: por uma cartografia dos assobios (PA, Livre, 2018)

Quarta-feira (11/12)
Da Curva pra Cá (ES, 10 anos, 2018)
Jéssika (RJ, Livre, 2018)
Do outro lado (SP, Livre, 2018)
Plano controle (MG, Livre, 2018)

Quinta-feira (12/12)
A Ilha (BA, 16 anos, 2018)

Sexta-feira (13/12)
A Praga do Cinema Brasileiro (DF, 18 anos, 2018)
Guará (GO, 12 anos, 2019)
Majur (MT, Livre, 2018)
Entre Parentes (DF, Livre, 2018)

Serviço
Mostra Sesc de Cinema 2019
Data: Terça a sexta-feira (10 a 13/12)
Hora: 18h
Local: Centro Cultural Casa do Barão de Camocim (R. Gen. Sampaio, no 1632 - Centro)

Publicado em Cultura

A Vila das Artes recebe, nesta quinta e sexta-feira (05 e 06/12), a presença da gerente cultural colombiana Gisela Perez, coordenadora institucional do Festival Internacional de Cine de Cartagena de Indias, para compartilhar experiências e desenvolver atividades sobre audiovisual. O convite é uma articulação da Secretaria Municipal da Cultura de Fortaleza (Secultfor) em parceria com o Instituto Cultural Iracema (ICI).

Na quinta-feira (05/12), no Teatro São José, às 9h, Gisela irá compartilhar vivências em torno da criação da Film Comission na Colômbia e em Fortaleza, com a presença do titular da Secultfor, Gilvan Paiva; a subsecretária da Cultura de Niterói, Melissa Carvalho; e o diretor do ICI, Davi Gomes. A atividade é aberta a cineastas, produtores e realizadores do audiovisual da Cidade, por ordem de chegada e mediante lotação do espaço. Em seguida, às 14h30, o grupo fará uma visita ao Complexo Cultural Vila das Artes, Teatro São José e Centro Cultural Belchior.

Na sexta-feira (06/12), a partir das 9h30, acontece uma roda de conversa no auditório da Vila das Artes, com o tema “O Mercado Sul-Americano e o Festival Internacional de Cine de Cartagena de Indias”, onde Gisela Perez falará sobre a experiência no desenvolvimento do projeto. O momento ainda conta com Melissa Carvalho e Davi Gomes. O evento é gratuito e aberto ao público, mediante lotação do espaço.

Além das ações abertas e gratuitas, Gisela também desenvolve, nesta semana, atividades internas com coordenadores e representantes da cultura municipal. Na quarta-feira (04/12), às 15h30, acontece uma reunião institucional acerca de projetos e experiências na área audiovisual com os representantes da Secultfor, Vila das Artes e ICI.

Perfil

Gisela Margarita Pérez Fonseca é gestora cultural, com estudos em Direito e Ciência Política, Gestão Pública, Gestão e Governança Política e Cooperação Internacional. Ela tem desenvolvido estudos em diversas universidades, incluindo a Complutense de Madrid, a Universidade George Washington e a Fundação Kettering. Por mais de 16 anos, tem ocupado cargos públicos e privados nos níveis local, departamental, nacional e internacional. As questões nas quais sua atuação mais se destaca são as relacionadas às comunidades étnicas (afro, raizal, palenquero e negra) que ela acompanhou com ações afirmativas de diferentes frentes, assim como os processos de integração latinoamericana.

Atualmente, Gisela atua como coordenadora institucional do Festival Internacional de Cine de Cartagena de Indias (FICCI), na qual é responsável por levar a capacidade de transformação do cinema ao canto mais remoto da geografia colombiana, avançar no processo de internacionalização do FICCI e desenvolver ações para dar continuidade ao processo de paz da Colômbia por meio da cultura. Em 2017, foi homenageada pela Assembleia Legislativa da Bahia com o prêmio Maria Felipa "Mulher Negra Latinoamericana e Caribeña".

Serviço:
Partilha de vivências sobre a Film Comission na Colômbia e em Fortaleza
Data: 05/12 (quinta-feira)
Hora: 9h
Inscrição: Por ordem de chegada (mediante lotação do espaço)
Local: Teatro São José (Rua Rufino de Alencar, 299 - Centro)
Gratuito

Roda de Conversa com Gisela Perez
Data: 06/12 (sexta-feira)
Hora: 9h30
Inscrição: Por ordem de chegada (mediante lotação do espaço)
Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 - Centro)
Gratuito

Publicado em Cultura
Página 1 de 6