O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta segunda-feira (14/1), a pesquisa com preços de itens do material escolar. O levantamento foi realizado entre os dias 7 e 9 de janeiro, em oito livrarias e lojas do varejo, localizadas no Centro e no bairro Edson Queiroz. Dos 60 produtos pesquisados, a mochila, de tamanho grande, pode variar até 983,33%, indo de R$ 18,00 à R$ 195,00. O Procon alerta que as escolas não podem exigir a compra de itens considerados abusivos, de acordo com a lei federal nº 12.886/13.

Os preços de lápis, canetas e mochilas podem variar até dez vezes entre os estabelecimentos mais caros e os mais baratos. É o que revela a pesquisa do Procon Fortaleza. O Procon lembra que os valores podem variar, de acordo com especificação de marcas, tamanhos e modelos. Consulte todos os preços aqui.

Para a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, pais e responsáveis pelas matrículas devem ficar atentos à lista de itens que não podem ser cobrados pelas escolas. "Identificando alguns dos itens considerados abusivos, os pais devem pedir a retirada imediata do produto da lista, sob pena da escola ser multada em até R$ 11 milhões", orientou a Diretora.

Denúncias podem ser realizadas, de forma anônima, pela central de atendimento ao consumidor 151; ou pelo aplicativo Procon Fortaleza.

Maiores Variações

Produto

Menor preço

Maior preço

Variação

Mochila Costas G

R$ 18,00

R$ 195,00

983,33%

Apontador sem coletor

R$ 0,25

R$ 1,90

660,00%

Mochila M

R$ 17,00

R$ 117,80

592,94%

Apontador furo fashion

R$ 1,01

R$ 6,90

583,17%

Apontador furo plástico

R$ 0,95

R$ 5,40

583,17%

Mochila com carrinho G

R$ 49,90

R$ 236,00

372,95%

Apontador com coletor

R$ 0,49

R$ 2,10

328,57%

Mochila com carrinho M

R$ 39,90

R$ 162,00

306,02%

Kit material dourado

R$ 13,05

R$ 45,90

251,72%

Borracha rosa/verde

R$ 0,85

R$ 2,90

241,18%

 Dicas e Direitos

- Antes de comprar, verifique se existem itens que sobraram do período anterior e avalie a possibilidade de reaproveitá-los;
- Escolas só podem pedir uma resma de papel por aluno. Mais do que isso já pode ser considerado abusivo;
- Organizar um bazar de trocas de artigos escolares em bom estado entre amigos ou vizinhos, por exemplo, também é uma alternativa para gastar menos;
- Pesquise em sebos, inclusive pela internet;
- Algumas lojas concedem descontos para compras em grupos ou de grandes quantidades ou venda por atacado;
- Produtos importados seguem as mesmas regras de marcas nacionais, resguardados os direitos do CDC;
- Evite comprar no comércio informal. Isso pode dificultar a troca ou assistência do produto se houver necessidade;
- Muita atenção a embalagens de materiais como colas, tintas, pincéis atômicos e fitas adesivas. Esses produtos devem conter informações claras, precisas e em língua portuguesa a respeito do fabricante, importador, composição, condições de armazenagem, prazo de validade e se apresentam algum risco ao consumidor.

Publicado em Economia

Vinhos, queijos, panetones, carnes e peixes, e ainda espumantes e refrigerantes. A última pesquisa do ano em supermercados do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgada nesta segunda-feira (17/12), traz preços de 58 itens para as ceias de Natal e Réveillon. No levantamento, que contempla todas as Regionais de Fortaleza, o Procon identificou variação de até 127,47% no preço da azeitona (200g), que pode ser comprada de R$ 6,59 a R$ 14,99. O Procon orienta que o consumidor adquira os produtos com antecedência para fugir da alta de preços, que pode ocorrer por conta do aumento da procura desses itens.

O levantamento, que foi realizado entre os dias 10 e 14/12, também aponta variações acima de cem por cento em outros dois produtos. O quilo da uva, por exemplo, pode ser comprado de R$ 4,69 a R$ 9,98, uma variação de 112,79%. O espumante, de 750ml, também apresenta alta diferença de preços, indo de R$ 39,90, no estabelecimento mais barato a R$ 79,90, no mais caro, ou seja, 100,25% de variação.

Confira aqui todos os itens pesquisados 

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, comenta que há uma tendência de aumento de preços para os dias mais próximos do Natal e Réveillon. "Alguns produtos podem variar até o dobro entre os supermercados pesquisados. Portanto, orientamos que, com bastante atenção, o consumidor consulte a pesquisa e avalie os preços de cada item".

A Diretora também alerta que é preciso cautela nas compras de fim de ano, a fim de evitar o superendividamento. "No mês de janeiro, várias despesas compulsórias já somam no orçamento doméstico, como matrículas escolares, tributos e impostos", disse.

Peru e chester
O tradicional peru da ceia natalina, pode variar até 22,88%, sendo encontrado de R$ 20,41 a R$ 25,08, o quilo do produto já temperado. A ave chester desossada, varia um pouco mais no preço, indo de R$ 16,98 a R$ 27,18, o quilo.

PRODUTO

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

Azeitona preta

R$ 6,59

R$ 14,99

127,47%

Uva

R$ 4,69

R$ 9,98

112,79%

Espumante 1

R$ 39,90

R$ 79,90

100,25%

Espumante 2

R$ 8,80

R$ 17,29

96,48%

Maça Argentina

R$ 7,95

R$ 13,98

75,85%

Vinho

R$ 27,89

R$ 48,59

74,22%

Azeitona verde

R$ 6,88

R$ 11,98

74,13%

Queijo coalho

R$ 27,88

R$ 46,25

65,89%

Bombons

R$ 7,99

R$ 12,99

62,58%

Ave Chester

R$ 16,98

R$ 27,18

60,07%

Dicas
- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza), divulgou, nesta segunda-feira (10/12), a pesquisa mensal com preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital. Em dezembro, os preços subiram 3,76%. A soma da média dos 60 itens pesquisados, ficou em R$ 442,07, enquanto que, em novembro, esse valor era de R$ 426,07. A pesquisa foi feita de 3 a 5 de dezembro e pode ser acessada pelo aplicativo "Proconomizar", que está disponível nas versões Androi e iOS. Pelo app, é possível pesquisar preços por Regionais e ainda elaborar uma lista de produtos, de acordo com a necessidade individual do consumidor.

O levantamento de Dezembro também indica que os preços subiram mais na Regional do Centro. Os 60 produtos pesquisados mensalmente passaram de R$ 478,47, em novembro, para R$ 506,37, em dezembro, indicando uma alta de 5,83%. Isso representa quase o dobro da média geral que ficou no patamar de 3,76%.

Preços por regionais

REGIONAL

PREÇO MÉDIO

Regional do Centro

R$ 506,37

Regional II

R$ 451,01

Secretaria Regional V

R$ 449,95

Regional III

R$ 446,76

Regional VI

R$ 445,21

Secretaria Regional I

R$ 394,74

Secretaria Regional IV

R$ 375,75

Para a diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, a elevação de preços, no Centro, pode estar relacionada ao aumento da procura de produtos para as ceias de Natal e Réveillon. "Certamente, os consumidores podem já estar procurando produtos para as comemorações de fim de ano, e isto influencia na alta dos preços", comentou.

Cláudia Santos adianta ainda que o Procon deve divulgar nos próximos dias uma pesquisa com preços de itens para as ceias de Natal e Réveillon.

Também em dezembro, as maiores variações dos produtos pesquisados ficaram por conta da banana, que pode ser encontrada de R$ 1,58 a R$ 5,99, indicando uma variação de 279,11%. Em seguida, vem o abacaxi, sendo comprado de R$ 1,99 a R$ 6,99, conferindo uma diferença de 251,25%.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

Banana

R$ 1,58

R$ 5,99

279,11%

Abacaxi

R$ 1,99

R$ 6,99

251,25%

Cenoura

R$ 1,98

R$ 5,98

202,02%

Pimentão

R$ 2,78

R$ 7,89

181,81%

Alho

R$ 9,90

R$ 26,98

172,52%

Batata

R$ 1,99

R$ 5,39

170,85%

Mamão

R$ 1,48

R$ 3,95

166,89%

Tomate

R$ 2,99

R$ 6,99

133,77%

Farinha

R$ 1,98

R$ 4,59

131,81%

Confira todos os preços aqui.

Acumulado de 12 meses
O Procon também realizou a análise do acumulado de doze meses. Os preços de alimentos e produtos nos supermercados de Fortaleza subiram, em 2018, 12,94%. Confira abaixo a o comparativo.

MÊS

VALOR

VARIAÇÃO

Janeiro

R$ 390,25

-

Fevereiro

R$ 412,35

5,66%

Março

R$ 395,43

-4,1%

Abril

R$ 403,01

1,92%

Maio

R$ 414,87

2,94%

Junho

R$ 413,52

-0,32%

Julho

R$ 430,31

4,06%

Agosto

R$ 423,69

-1,54%

Setembro

R$ 425,48

0,42%

Outubro

R$ 425,56

0,02%

Novembro

R$ 426,07

0,12%

Dezembro

R$ 442,07

3,76%

Variação média

 

12,94%

Publicado em Economia
Durante 60 dias, o Procon acompanhou os preços de 186 itens
Durante 60 dias, o Procon acompanhou os preços de 186 itens

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta quarta-feira (21/11), o monitoramento de preços dos produtos mais procurados durante a Black Friday, período em que o comércio promete promoções e ofertas. Durante 60 dias (de 20/9 a 20/11), técnicos do Procon acompanharam a evolução de preços de 186 produtos no comércio virtual, bem como nas lojas físicas da Capital, contemplando todas as Regionais de Fortaleza. O objetivo do Procon é auxiliar o consumidor a identificar falsos anúncios de redução de preços. A multa por publicidade enganosa pode chegar a R$ 11 milhões.

O Procon informa que já há indícios de "maquiagem de preços" promocionais, ou seja, publicidade enganosa. Em um dos produtos monitorados, o Procon encontrou aumento de preço de 1.167%, como foi o caso de um aparelho celular que passou de R$ 789,00, em setembro, para R$ 9.999,00 agora em novembro.

Nas lojas on-line, o Procon pesquisou 11 sites com preços de 118 itens, entre artigos esportivos, eletrônicos e eletrodomésticos. Já nas lojas físicas, os técnicos percorreram dez estabelecimentos, localizados em todas as Regionais de Fortaleza, coletando preços de 68 produtos.

Ao todo, a tabela contém 1.674 preços.

Acesse todos os valores aqui.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, diz que os principais problemas encontrados na Black Friday são publicidade abusiva ou enganosa e ainda o não cumprimento da oferta. Ela reforça que nas compras pela internet, o consumidor pode desistir do produto, em até sete dias da data do recebimento do produto, sem nenhuma justificativa, pois o Código de Defesa do Consumidor (CDC) assegura o direito de arrependimento.

Plantão Black Friday
Na sexta-feira (23/11), o Procon terá atendimento especial para receber denúncias de consumidores sobre ofertas enganosas na black friday. Técnicos do Procon vão analisar as ofertas da black friday e comparar com os preços coletados durante o monitoramento. Caso haja indícios de publicidade enganosa, as empresas responderão a processo administrativo e poderão ser multadas.

Como denunciar
No portal da Prefeitura de Fortaleza; ou ainda pela Central de Atendimento 151, no horário comercial. É possível ainda realizar denúncias pelo aplicativo Procon Fortaleza. Basta baixar no Android: Procon Fortaleza; ou no sistema iOS (http://galeria.fabricadeaplicativos.com.br/procon.fortaleza)

Cuidados
- Verifique os preços cobrados antes da Black Friday e registre-os com prints da tela ou foto. Isto pode ser feito em sites de buscas, além das páginas das lojas participantes;
- É recomendável que o consumidor somente efetue compras em sites confiáveis. Para verificar a segurança da página, ele deve clicar num símbolo de cadeado que aparece no canto da barra de endereço ou no rodapé da tela. O endereço da loja virtual deve começar com https://
- Todo site deve exibir o CNPJ da empresa ou o CPF da pessoa responsável, além de informar o endereço físico onde a loja possa ser encontrada ou o endereço eletrônico para que possa ser contatada;
- Analise a descrição do produto e compare com outras marcas;
- É muito importante imprimir ou salvar todos os documentos que demonstrem a oferta e confirmação do pedido (comprovante de pagamento, contrato, anúncios etc);
- Computadores de acesso público não devem ser usados para comércio eletrônico ou internet banking.

Direitos
- Produto em promoção ou liquidação, possui as mesmas garantias previstas no Código de Defesa do Consumidor (CDC);
- Na compra de eletroeletrônicos, peça para testar o funcionamento do aparelho;
- Nas compras feitas pela internet, por telefone ou catálogo, existe o “direito de arrependimento” para desistir da compra sem qualquer motivo. O prazo para desistência é de sete dias, a contar da data de recebimento do produto;
- No pagamento com cartão de débito/crédito, poderá haver diferenciação de preços em relação a valores pagos em dinheiro;
- A loja não é obrigada a trocar o presente que não tenha defeito. No entanto, se o vendedor afirmar que realizará a troca, em qualquer situação, o consumidor deverá solicitar por escrito;
- A garantia legal de produto/serviço não durável é de 30 dias e de produto/serviço durável é de 90 dias, de acordo com o CDC;
- A garantia legal é complementar à contratual. Portanto, se um produto tem garantia do fabricante de 12 meses, a garantia total deverá ser acrescida de mais 90 dias da garantia legal, ou seja, 15 meses;
- Se houver divergência entre o preço anunciado com o registrado no caixa, o consumidor deverá pagar o menor valor;
- Peça a nota fiscal com a discriminação do produto ou do serviço detalhadamente.

Publicado em Economia
Alho, banana e cenoura podem ser encontrados por até 281% de diferença
Alho, banana e cenoura podem ser encontrados por até 281% de diferença

O Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgou, nesta segunda-feira (12/11), a pesquisa do mês de novembro com preços de alimentos e produtos nos supermercados da Capital. Em relação ao mês passado, quando a média de todos os 60 itens ficou em R$ 425,56, o Procon identificou uma discreta elevação de 0,12%, tendo em vista que, neste último levantamento, realizado entre os dias 6/11 e 8/11, os produtos pesquisados somaram R$ 426,07.

Alho, banana e cenoura podem ser encontrados por até 281% de diferença. Em outros alimentos (mamão, batata, farinha de mandioca e abacaxi), a pesquisa também identificou variações acima de cem por cento.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

Banana

R$ 1,57

R$ 5,99

281,52%

Alho

R$ 7,90

R$ 26,99

241,64%

Cenoura

R$ 1,89

R$ 5,98

216,40%

Mamão

R$ 1,48

R$ 3,59

142,56%

Batata

R$ 1,68

R$ 3,99

137,50%

Farinha

R$ 2,19

R$ 4,59

109,58%

Abacaxi

R$ 1,98

R$ 3,99

101,51%

Confira todos os preços aqui

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, orienta que o consumidor já comece a estocar os produtos da ceia de Natal e Réveillon. "Já é possível economizar, optando pelos produtos mais em conta para as festas de fim de ano", afirma. Ela também adiantou que no próximo mês de dezembro, o Procon vai trazer uma pesquisa com itens da ceia de Natal e Réveillon.

No comparativo entre as regionais, a Regional VI continua apresentando os preços mais altos. Já na Regional IV, estão os preços mais baixos.

REGIONAL

MÉDIA TOTAL

Regional VI

R$ 506,60

Regional do Centro

R$ 478,47

Regional III

R$ 465,36

Regional V

R$ 436,19

Regional I

R$ 400,64

Regional II

R$ 379,94

Regional IV

R$ 341,17

Errata
Na pesquisa de outubro, divulgada no dia 24/10, divulgamos a soma total dos itens em R$ 427,56, indicando elevação de 0,49% nos preços de produtos e alimentos dos supermercados, em relação ao mês de setembro, quando a soma total dos preços ficou em R$ 425,48.

Após a divulgação, os técnicos responsáveis pela pesquisa, identificaram um erro na digitação do preço do frango, alterando assim todo o resultado final da pesquisa.

Deste modo, a média da soma de todos os itens na pesquisa de outubro ficou em R$ 425,56, indicando uma elevação de 0,02% dos preços, em relação ao mês imediatamente anterior (setembro), quando a soma total dos preços ficou em R$ 425,48.

 

Publicado em Economia

A nova pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) divulgada, nesta quarta-feira (24/10), indica uma elevação de 0,49% nos preços de produtos e alimentos dos supermercados. No mês passado, a soma total dos preços ficaram em R$ 425,48. Neste último levantamento, realizado entre os dias 9 e 11/10, a soma de todos os 60 produtos ficou em R$ 427,56.

A Regional VI, onde estão bairros como Aerolândia, Passaré e Messejana, por exemplo, continua apresentando os preços mais elevados, se comparado com a pesquisa anterior. A pesquisa do Procon é dividida em itens de alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica e ainda cuidados e higiene infantil.

Consulte todos os preços aqui.

Preços por regionais
Regional                   Média total
Regional VI               R$ 492,40
Regional do Centro    R$ 450,95
Regional II                R$ 446,23
Regional V                R$ 438,16
Regional III               R$ 422,83
Regional I                 R$ 384,55
Regional IV               R$ 317,92

O Procon ressalta que a variação de preços nos supermercados pode estar relacionada, além da concorrência entre os supermercados, à falta ou reposição de itens pesquisados, bem como à promoções e ofertas em dias específicos da semana.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, lembra que uma boa pesquisa pode representar uma grande economia. "As compras começam ainda dentro de casa. Basta o consumidor acessar os dados pelo aplicativo Proconomizar e buscar os preços mais baratos", orientou.

A Diretora explica ainda que com o aplicativo Proconomizar, o consumidor pode selecionar uma lista individual de produtos, a partir de sua preferência ou necessidade. O app já está disponível na plataforma android e em implantação na iOS.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO

MENOR

MAIOR

VARIAÇÃO

Cebola

R$ 0,72

R$ 3,49

384,72%

Frango

R$ 6,39

R$ 26,90

320,97%

Banana

R$ 1,68

R$ 5,99

256,54%

Alho

R$ 9,90

R$ 33,50

238,38%

Batata

R$ 1,38

R$ 3,99

189,13%

Tomate

R$ 2,98

R$ 7,98

167,78%

Cenoura

R$ 1,68

R$ 4,49

167,26%

Farinha

R$ 1,89

R$ 4,59

142,85%

Laranja

R$ 1,68

R$ 3,99

137,50%

Mamão

R$ 1,68

R$ 3,99

137,50%

Abacaxi

R$ 1,98

R$ 4,49

126,76%

Refrigerante

R$ 2,99

R$ 5,99

100,33%

 

 

Publicado em Economia

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Coordenadoria Especial de Políticas sobre Drogas (CPDrogas), apoiará o Ministério da Saúde e a Secretaria Especial de Políticas sobre Drogas (SPD) do Estado do Ceará na realização de pesquisa sobre os programas de prevenção ao uso de drogas #Tamojunto e Jogo Elos. Pesquisa ocorreá no decorrer de 2019, em Fortaleza. 

Os programas já foram aplicados nas escolas municipais entre os anos de 2013 a 2016 e contemplaram 5.649 alunos. Recentemente, eles passaram por adaptações. A nova versão do Jogo Elos será desenvolvida em sete escolas da rede pública municipal. Já a versão atualizada do #Tamojunto atingirá entre 10 e 14 escolas. Concluída essas fases, a pesquisa será implementada. O intuito é verificar a efetividade dos programas de prevenção junto ao público-alvo. O estudo também será realizado em São Paulo-SP e Brasília-DF. A partir do resultado da pesquisa, os programas poderão passar por novas adaptações e, posteriormente, serem expandidos.

O coordenador adjunto da CPDrogas, Erasmo Lenz, explica que o programa fortalece diversos fatores de proteção, como bem-estar psicológico e bom relacionamento com os pais, que tornam os alunos menos vulneráveis ao uso de drogas e a outros comportamentos negativos. “Ouvimos muitos relatos positivos dos profissionais que aplicaram os programas nas escolas e isso nos motiva a retomar esses programas no ambiente escolar”, pontuou.

Jogo Elos
É uma atividade lúdica realizada para crianças de 6 a 10 anos. Desenvolve noções de socialização e de respeito a si e aos outros. O programa contribui para a produção de um ambiente harmônico, que estimula a troca e a cooperação entre alunos de professores, favorecendo o aprendizado e o desenvolvimento das habilidades sociais.

#Tamojunto
Destinado para adolescentes de 13 e 14 anos, visa a despertar habilidades e recursos específicos para que os estudantes possam lidar com influências sociais, adquirindo conhecimentos sobre drogas e suas consequências para a saúde.

Publicado em Social

A primeira pesquisa do Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) publicada no aplicativo "Proconomizar" indica um leve aumento de preços nos supermercados da Capital. Isso porque a soma média dos 60 produtos e alimentos pesquisados mensalmente pelo Procon ficou, no mês de setembro, em R$ 425,48, uma alta de 0,42% se comparada ao mês anterior, quando a somá média era de R$ 423,69.

O levantamento de setembro, realizado entre os dias 12 e 14, também indica que a Regional VI reúne os preços mais elevados, custando até R$ 474,39 a soma de todos os itens. Já os bairros da Regional IV apresentam os menores preços, somando R$ 284,47.

A variação de preços pode estar relacionada, além da concorrência entre os supermercados, à falta de itens pesquisados, bem como a promoções e ofertas. Por isso pode haver diferença entre os preços coletados e os preços encontrados pelos consumidores nos supermercados, não caracterizando prática abusiva.

No comparativo entre os mesmos produtos e mesma especificação de marcas, a diferença de preços chega a 334,05%. É o caso do quilo da banana, que pode ser encontrada de R$ 1,38 à R$ 5,99. A farinha de mandioca também apresenta alta variação, sendo comprada de R$ 1,98 à R$ 8,25, o quilo.

Cláudia Santos, diretora do Procon Fortaleza, acredita que ficou mais fácil para o consumidor pesquisar preços nos supermercados. "Agora, na palma da mão, o consumidor pode acompanhar os preços, inclusive, antes de sair de casa, avaliando a distância e os locais pesquisados". A Diretora adianta que o Procon está avaliando aumentar a quantidade de estabelecimentos, o que vai favorecer mais consumidores.

Metodologia
O Procon Fortaleza pesquisa mensalmente produtos nos supermercados da capital com coleta de preços presencial, de diferentes marcas e tipos, divididos em alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica ou cuidados e higiene infantis.

Consulte todos os preços aqui.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO MENOR MAIOR VARIAÇÃO
Banana R$ 1,38 R$ 5,99 334,05%
Farinha R$ 1,98 R$ 8,25 316,66%
Cebola R$ 0,89 R$ 3,48 291,01%
Cenoura R$ 1,89 R$ 5,98 216,40%
Batata R$ 1,39 R$ 4,19 201,43%
Pimentão R$ 1,88 R$ 5,29 181,38%
Abacaxi  R$ 1,98 R$ 4,98 151,51%
Laranja R$ 1,69 R$ 3,99 136,09%
Alho        R$ 12,98 R$ 30,50 134,97%
Tomate R$ 2,38 R$ 4,98 109,24%

Dicas e direitos nos supermercados

- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia

A Escola Pública de Dança da Vila das Artes realiza mais uma edição do programa Conversa de Academia com o bailarino e acadêmico Ernesto Gadelha, que abordará o tema “Problematizações em torno do treinamento técnico na formação em dança contemporânea”, na próxima quarta-feira (22/08).

O evento consiste em um momento dedicado ao diálogo e debate sobre a pesquisa de Ernesto, que foca em processos de uma formação em dança que não pretende especializar o aluno em uma modalidade específica e sim, trabalhar de uma forma generalista na escolha e abordagem dos conteúdos. A pesquisa apoia-se no estudo de caso do Curso Formação Básica em Dança da Vila das Artes.

O programa Conversa de Academia tem como objetivo compartilhar o resultado de trabalhos acadêmicos desenvolvidos sobre dança e estimular a visibilidade desses estudos criando um ciclo contínuo de diálogos. O evento é aberto ao público e gratuito.

Ernesto Gadelha
Ernesto Gadelha atuou como bailarino profissional no Brasil, Holanda e Alemanha. É diplomado em Pedagogia da Dança pelo Instituto de Danças Cênicas de Colônia (Alemanha), graduado em Licenciatura em Dança pela UFC e pós-graduado em Dança Contemporânea pela Folkwang Hochschule (Essen/Alemanha). De 2003 a 2007, coordenou a área de dança do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura e, de 2009 a 2017, coordenou a Escola Pública de Dança da Vila das Artes. É responsável pela direção artística e pedagógica da Bienal Internacional de Dança do Ceará.

Serviço
Conversa de Academia com Ernesto Gadelha
Data: Quarta-feira (22/08)
Horário: 18h30
Local: Vila das Artes, Rua 24 de Maio, 1221 – Centro
Mais informações: 3252.1444

Publicado em Cultura

Em agosto, os 60 produtos pesquisados, mensalmente, pelo Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) apresentaram redução de 1,54% na média geral de preços. O levantamento, realizado nos dias 07/08 e 08/08, mostra que a soma de todos os itens chega a R$ 423,69 contra R$ 430,00 no mês passado (09/07 e 10/07). No entanto, a pesquisa atual também revela que a variação de preços dos mesmos produtos entre os estabelecimentos pode chegar a 292,26%. A dica do Procon é pesquisar e optar por compras nos dias de promoções e feiras promovidas pelos supermercados.

Na pesquisa, o Procon também realiza o comparativo de preços entre as Regionais de Fortaleza. Os preços mais altos foram encontrados nos supermercados da Regional III, onde estão bairros como Bela Vista, Henrique Jorge e Parquelândia. A soma média de todos os produtos chega a R$ 479,78. Já em bairros como Álvaro Weyne, Carlito Pamplona e Farias Brito, na Regional I, estão os supermercados com preços mais baixos com uma média de R$ 330,98 todos os produtos pesquisados.

O Procon Fortaleza pesquisa mensalmente produtos nos supermercados da Capital com coleta de preços presencial, de diferentes marcas e tipos, divididos em alimentação, carnes e aves, padaria, refrigerantes, frutas e verduras, higiene pessoal, limpeza doméstica ou cuidados e higiene infantis.

Consulte todos os preços aqui.

A diretora do Procon Fortaleza, Cláudia Santos, orienta que o consumidor exija a oferta anunciada. "Se o estabelecimento utilizou de publicidade com preços promocionais para captar clientes, ele deve cumprir com o prometido". A multa pode chegar a R$ 11 milhões em casos de publicidade enganosa, alertou a Diretora.

Maiores variações (acima de 100%)

PRODUTO MENOR MAIOR VARIAÇÃO
Abacaxi R$ 1,68 R$ 6,59 292,26%
Tomate R$ 1,28 R$ 4,98 289,06%
Banana Prata R$ 1,59 R$ 5,99 276,73%
Batata R$ 0,98 R$ 3,48 255,10%
Cenoura R$ 1,89 R$ 5,98 216,40%
Cebola Pêra R$ 0,98 R$ 2,68 173,47%
Laranja pera R$ 1,48 R$ 3,99 169,59%
Alho R$ 11,20 R$ 30,00 167,86%
Pimentão R$ 1,79 R$ 4,48 150,28%
Farinha R$ 2,89 R$ 6,35 119,72%
Mamão R$ 1,68 R$ 3,59 113,69%

 

Dicas e direitos nos supermercados

- Verifique as datas de promoções e dias de ofertas;
- Analise os encartes distribuídos como sendo de produtos promocionais e exija os mesmos preços praticados nos caixas. Se houver divergência, o consumidor tem o direito de pagar sempre o menor valor;
- Avalie e faça as contas com as despesas mensais, como mensalidades escolares, impostos parcelados e outros;
- Faça uma lista dos produtos que realmente precisa comprar;
- Evite realizar as compras com fome ou acompanhado de crianças;
- Pesquise preços e verifique a melhor forma de pagamento e descontos nos pagamento à vista, em dinheiro e no cartão de crédito;
- Confira a data de validade dos produtos;
- Nem sempre o produto com tarja vermelha é o mais barato. Procure a categoria do item exposto como promocional e escolha um produto que seja mais em conta. Certamente, você sairá economizando;
- Na entrada de lojas e supermercados, por exemplo, normalmente são colocados produtos que induzam o consumidor à compra. Portanto, evite-os;
- Alimentos congelados devem ser colocados por último no carrinho para que sua qualidade não seja comprometida.

Publicado em Economia